Apresentação

Aqui está ele: este é o novo Hyundai Tucson

O bem sucedido Hyundai Tucson conta com uma nova geração e surge de ambições renovadas. Descobre tudo o que o SUV da Hyundai traz de novo.

A partir do final do ano, o Volkswagen Tiguan, o Ford Kuga e companhia têm mais um rival. É que a nova geração do Hyundai Tucson já é uma realidade e, tendo em conta o sucesso do seu antecessor, o futuro parece promissor para o SUV sul-coreano.

Esteticamente, o Tucson inaugura na Europa a nova linguagem visual da Hyundai que o público norte-americano já conhecia pois esta foi estreada pela nova geração do Sonata.

A iluminação faz a diferença

Na dianteira destaca-se a iluminação LED diurna que, mesmo quando apagada, faz com que a frente do Tucson nos traga à memória as máscaras do Darth Vader ou do Batman.

Já quando os cinco módulos LED (um conjunto à direita e outro à esquerda da grelha) são ligados, a frente do Tucson ganha outra personalidade, personalidade essa que volta a mudar quando se é altura de usar os médios (ou luzes de cruzamento para os mais zelosos).

VÊ TAMBÉM: Hyundai Kauai Electric fez mais de 1000 km com uma carga, mas…
Hyundai Tucson

Na traseira o cenário é o mesmo. Assim, além da enorme e vistosa faixa LED que atravessa o portão da bagageira temos dois faróis de cada lado que acompanham a direção do pilar C e contribuem para que o Tucson não passe despercebido.

Já na lateral, e à semelhança do que acontece com o RAV4, o Hyundai Tucson conta com diversos elementos estilísticos ao longo dos seus quase 4,5 m de comprimento. Não só as cavas das rodas surgem bastante “musculadas” como o Tucson recebeu diversos elementos decorativos que asseguram que até quando visto lateralmente capta as atenções.

Por fim, ainda no capítulo estético os clientes vão poder optar por jantes de 17”, 18” ou 19” e o tejadilho poderá ter uma cor diferente da restante carroçaria.

Hyundai Tucson
VÊ TAMBÉM: A caixa manual inteligente (iMT) da Hyundai não precisa de pedal da embraiagem

E o interior?

Tal como o exterior, também o interior é completamente novo, contando com um painel de instrumentos digital de 10,25”, um novo volante de quatro raios inspirado nos usados pelo Porsche 964 ou pelo atual Audi A8 e uma nova consola central onde se destaca um ecrã de 10,25” posicionada por cima dos comandos da climatização (que deixaram de ser físicos).

Quanto aos botões físicos, estes mantiveram-se para a seleção dos modos de condução, travão de mão elétrico e para o ajuste dos bancos elétricos (opcionais) e refrigerados. Curiosamente, no meio de tanto equipamento destaca-se a ausência do head-up display que já muitos concorrentes do Tucson oferecem.

Hyundai Tucson
VÊ TAMBÉM: IONIQ deixa de ser modelo e passa a marca… 100% elétrica

No capítulo do espaço, o ligeiro aumento de dimensões (mais 2 cm em comprimento e 1 cm na distância entre eixos) acaba por pagar dividendos e a bagageira conta com 620 litros que podem ir até aos 1799 litros com o rebatimento dos bancos.

E os motores?

A oferta de motorizações do novo Hyundai Tucson assenta em dois motores a gasolina e dois Diesel, todos eles com quatro cilindros, 1.6 l e associados a um sistema mild-hybrid de 48V. Além destes há ainda uma variante híbrida e, mais tarde, chegará uma versão híbrida plug-in.

Os motores a gasolina oferecem entre 150 e 180 cv enquanto nos Diesel a potência anda entre os 115 e os 136 cv. No campo das transmissões, o Tucson pode contar com uma caixa manual de seis velocidades ou automatica de dupla embraiagem de sete velocidades e, consoante a versão, contará com a tração dianteira ou integral.

VÊ TAMBÉM: Hyundai i10 (2020) testado. Será um dos melhores citadinos da atualidade?

Já para quem quiser mais potência, a variante híbrida oferece 230 cv e 350 Nm de potência máxima combinada, surgindo associada a uma caixa automática de seis relações e, em opção, a um sistema de tração integral.

Para mais tarde está ainda prevista a chegada de uma variante híbrida plug-in e parece estar nos planos a chegada de um muito aguardado Hyundai Tucson N.

A data de chegada ao mercado português continua a ser uma incógnita, assim como os preços, sabendo-se apenas que, na Alemanha, está previsto que estes arranquem nos 30 mil euros.

Sabes responder a esta?
Em que ano foi lançado o Hyundai S Coupe?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Ainda te lembras dos pequenos coupé dos anos 90?

Mais artigos em Notícias