Indústria

Adeus, Skoda Citigo. Volkswagen Up! e SEAT Mii a seguir?

Apesar de ter ganho uma versão elétrica o ano passado, parece que o Skoda Citigo desaparecerá dos catálogos da marca ainda este ano.

Foi lançado em 2011 e apesar de ter recebido uma variante elétrica tão recentemente como o ano passado, o Skoda Citigo parece ter os dias contados, definitivamente.

É o que podemos concluir das declarações contundentes de Alain Favey, diretor de vendas e marketing da Skoda, à publicação britânica Autocar:

“O Citigo desapareceu — no que concerne à Europa está esgotado. Não haverá um substituto para o Citigo e não temos intenção de ter um carro deste tamanho no futuro.”

VÊ TAMBÉM: Citigo-e iV. O primeiro iV da Skoda estreia em Frankfurt
Skoda Citigo-e iV

Uma decisão aparentemente abrupta, até porque o Skoda Citigo iV, a versão elétrica do citadino checo, tem conhecido sucesso nos mercados europeus onde os incentivos têm sido mais generosos este ano, nomeadamente no Reino Unido e Alemanha, tendo as alocações previstas até esgotado prematuramente.

Em Portugal, o mais pequeno dos Skoda já não era comercializado, mas mantinha-se na gama checa em vários mercados europeus.

VÊ TAMBÉM: Ao volante do SEAT Mii electric. O primeiro de uma nova era

O fim do trio de citadinos do Grupo Volkswagen?

A confirmação do fim do Skoda Citigo — tanto como elétrico como combustão — reforça os rumores de que o fim também parece estar próximo para o Volkswagen up! e o SEAT Mii, os restantes membros do trio de citadinos do grupo alemão. Pelo menos quando nos referimos às suas versões elétricas, que conhecem uma procura desmesurada, devido aos generosos incentivos em vigor, devido à pandemia.

A Volkswagen, por exemplo, deixou de aceitar encomendas para o seu mais pequeno modelo elétrico, o e-up!, avança a publicação espanhola Diariomotor.

Volkswagen e-up
e-up! Volkswagen

O congelar das encomendas e até a retirada de alguns mercados está a permitir melhor controlar as listas de espera, mas porque não elevar a produção para fazer face à procura? O gigante alemão não demonstra vontade de aumentar a produção do e-up! ou do Mii Electric, o que não deixa de ser intrigante.

Não parece fazer sentido, até colocarmos os elevados custos de fabricação destas versões elétricas dos citadinos na equação. Recordamos que o trio de elétricos do Grupo Volkswagen estão entre os mais acessíveis do mercado, e já garantem uma autonomia respeitável de 260 km.

SEAT Mii electric
SEAT Mii electric
VÊ TAMBÉM: Mii electric manda para a reforma o Mii com motor de combustão

Porém, de acordo com a Diariomotor, a razão para o seu preço mais acessível deve-se a estarem a ser vendidos abaixo do seu custo real de produção, uma das formas que o Grupo Volkswagen encontrou de ir de encontro às metas de CO2 impostas pela União Europeia. Uma medida que, como deves calcular, não é sustentável a longo prazo.

Este congelamento de encomendas ou até eventual fim de carreira para os citadinos elétricos também poderá ser justificado para concentrar as vendas de modelos zero emissões no grupo alemão nos novos modelos MEB que começam a chegar ou chegarão em breve aos concessionários.

Volkswagen ID.3 e ID.4, Skoda Enyaq, CUPRA el-Born e Audi Q4 são maiores, mais caros e, sobretudo, serão rentáveis. Interessa, por isso e naturalmente, ser estes os elétricos que os seus clientes compram.

Citadinos elétricos e mais acessíveis no Grupo Volkswagen? Provavelmente só em 2025, com o desenvolvimento de uma versão mais acessível da MEB, que permitirá veículos compactos 100% elétricos com preços abaixo dos 20 mil euros — segue a ligação abaixo:

A NÃO PERDER: ID.1. Sucessor do Volkswagen e-up! deverá entrar em produção em 2025

Mais artigos em Notícias