Apresentação

Renault Clio e Captur eletrificam-se com variantes E-Tech. Fica a conhecê-las

Para o Clio a Renault optou por um sistema híbrido convencional. Já o Captur recebeu um sistema híbrido plug-in. A revelação ocorreu no Salão de Bruxelas.

A eletrificação continua na ordem do dia. Assim, depois de te termos dado a conhecer as variantes mild-hybrid dos Fiat 500 e Panda, hoje trazemos-te novidades acerca das variantes eletrificadas dos Renault Clio e Captur.

Designadas E-Tech, as variantes eletrificadas dos Renault Clio e Captur optam, curiosamente, por dois “caminhos” diferentes no que à eletrificação diz respeito.

É que enquanto o Clio E-Tech se apresenta como um híbrido convencional, o novo Captur E-Tech recorre a um sistema híbrido plug-in.

VÊ TAMBÉM: Renault, Peugeot e Mercedes foram as marcas mais vendidas em Portugal em 2019

O que muda esteticamente?

Esteticamente, as versões E-Tech do Clio e do Captur são praticamente idênticas às variantes não eletrificadas, distinguindo-se, apenas pelos logótipos exclusivos e, no caso do Clio, pelo para-choques traseiro exclusivo.

Já no interior, as diferenças também são mínimas, assentando nos logótipos específicos e no facto de os painéis de instrumentos (com 7” no Clio e 10,2” no Captur) e de infotainment (com 7” com dispozição horizontal ou 9,3” com disposição vertical no Clio e 9,3” no Captur) contarem com gráficos relativos aos sistemas híbridos.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Renault Scénic 1.3 tCe: já não é moda, mas ainda tem argumentos?

O Renault Clio E-tech

O Clio E-Tech “casa” um 1.6 l atmosférico a gasolina com dois motores elétricos alimentados por uma bateria com 1,2 kWh de capacidade. A reduzida dimensão das baterias permitiu à Renault fazer com que o Clio E-Tech seja apenas 10 kg mais pesado que o Clio com motor Diesel de 115 cv.

VÊ TAMBÉM: Renault Koleos renovado fica mais barato 10 mil euros em Portugal
Renault Clio E-Tech

Com uma potência de 140 cv, a Renault afirma que o Clio E-Tech é capaz de circular cerca de 80% do tempo em circuito urbano em modo 100% elétrico. Por falar no modo 100% elétrico, o Clio E-Tech consegue circular até aos 70/75 km/h sem necessitar de recorrer ao motor de combustão.

VÊ TAMBÉM: Novo Peugeot 208 em vídeo. Testámos TODAS as versões, qual é a melhor?
Renault Clio E-Tech
O para-choques traseiro do Clio E-Tech é uma das poucas diferenças face aos restantes Clio.

Apesar de não divulgar valores oficiais, a Renault afirma que as emissões de CO2 são inferiores a 100 g/km (já de acordo com o ciclo WLTP) e que a adoção do sistema híbrido permitiu uma redução das emissões de cerca de 40% em meio urbano.

VÊ TAMBÉM: Novo Peugeot 2008. Primeiro teste e todos os preços para Portugal

O Renault Captur E-Tech

Equipado com uma bateria com 9,8 kWh e 400V, o Captur E-Tech conta com 160 cv (apesar de recorrer ao mesmo 1.6 l do Clio E-Tech) e é capaz de percorrer até 50 km em modo 100% elétrico a uma velocidade máxima de 135 km/h. Já se a circulação for feita em meio urbano, a autonomia em modo 100% elétrico sobe para os 65 km.

VÊ TAMBÉM: Ao volante do novo Nissan Juke. Como o puto cresceu
Renault Captur E-Tech

No que diz respeito aos consumos e emissões, a Renault anuncia consumos médios de 1,5 l/100 km e emissões de CO2 de apenas 32 g/km. Para otimizar o funcionamento do sistema híbrido plug-in, o Captur E-Tech, conta ainda com três modos específicos no comutador Multi-Sense.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Toyota Corolla 1.8 Hybrid Exclusive. Serão os híbridos a melhor opção?
Renault Captur E-Tech
Para já a Renault ainda não divulgou qual o tempo de carregamento do Captur E-Tech.

O modo “Pure” força a transição para o modo 100% elétrico sempre que a bateria tem carga suficiente. Já no modo “Sport”, se o pedal de acelerador for pressionado a fundo, os três motores trabalham em simultâneo. Isto sempre que a bateria tenha carga suficiente.

VÊ TAMBÉM: O renovado Renault Twingo já chegou a Portugal. Fica a saber quanto custa
Renault Captur E-Tech
A adoção do sistema híbrido plug-in viu a capacidade da bagageira do Captur diminuir.

Por fim, o modo “E- Save” limita o uso do motor elétrico, utilizando preferencialmente a potência do motor de combustão. Tudo isto para assegurar a manutenção de uma reserva de carga na bateria (pelo menos de 40%). Como seria de esperar, o Captur E-Tech conta ainda com travagem regenerativa.

VÊ TAMBÉM: Renault Triber. O SUV compacto de sete lugares que tu não podes comprar
Renault Captur E-Tech
Este logótipo é um dos poucos elementos distintivos do Captur E-Tech.

Quando chegam e quanto vão custar?

Para já, a Renault ainda não revelou quando é que planeia lançar o Clio E-Tech e o Captur E-Tech no mercado nacional nem quanto é que vai custar.

VÊ TAMBÉM: Navios que abastecem Portugal poluem tanto como as oito cidades com mais carros

No entanto, a Renault aproveitou a revelação dos Clio e Captur E-Tech para confirmar que vem aí uma versão híbrida plug-in do Mégane.

Sabes responder a esta?
Como se chamava o piloto que alcançou a primeira vitória da Renault na Fórmula 1?

Mais artigos em Notícias