Desde 32 958 euros

Testámos o Skoda Karoq Sportline 2.0 TDI. O mais apetecível dos Karoq?

Com um visual mais desportivo, mais equipamento e um acerto de suspensão revisto, será a versão Sportline a mais interessante da gama Karoq? Fomos descobrir.

Ao contrário do que acontece com o Kodiaq, o Karoq não tem (para já) uma versão RS. Para quem procura um Karoq com apetência mais desportiva, por enquanto, esse papel é desempenhado pela versão Sportline. Mas o que é que esta traz de diferente?

Para começar, temos um visual mais desportivo com destaque pára-choques redesenhados, jantes de 18” (19” em opção), barras de tejadilho negras, vidros traseiros escurecidos, diversas aplicações em preto e ainda os “típicos” logótipos que nos relembram de que versão é esta.

A verdade é que apesar de discretas (bem mais do que as operadas no Kodiaq RS), estas alterações oferecem um visual mais agressivo ao Karoq Sportline, contribuindo para o desejado aspeto desportivo que esta versão pretende transmitir.

VÊ TAMBÉM: O novo Skoda Octavia tem mais espaço, tecnologia e até um híbrido plug-in
Skoda Karoq 2.0 TDI Sportline © Raul Mártires / Razão Automóvel

No interior do Skoda Karoq Sportline

Antes de mais, deixa-me dizer-te que nesta versão Sportline, o Karoq mantém todas as qualidades que já lhe tínhamos reconhecido da última vez que o testámos, na altura com o 1.0 TSI e na versão Style — deixo-te o link para o ensaio do Karoq onde analisámos mais profundamente o seu interior —, por isso vou apenas enumerar o que distingue o Sportline dos restantes Karoq.

Para começar, os bancos dianteiros são agora desportivos, mas bastante confortáveis, e a estes juntam-se ainda os pedais em aço inoxidável e o volante desportivo, de boa pega, em pele perfurada.

VÊ TAMBÉM: Kamiq. Já conduzimos o “baby-SUV” da Skoda
Skoda Karoq 2.0 TDI Sportline © Raul Mártires / Razão Automóvel
O interior do Karoq Sportline é praticamente igual ao dos restantes Karoq, mantendo por isso a boa qualidade de construção e ergonomia que lhe são reconhecidas.

Ainda no capítulo das diferenças face aos restantes Karoq, a versão Sportline oferece revestimentos dos pilares e tejadilho a negro, tudo para contribuir para um ambiente mais desportivo a bordo.

VÊ TAMBÉM: Já conduzimos o novo Scala, o “Golf” da Skoda

No que ao espaço diz respeito, apesar de a unidade ensaiada não contar com o banco traseiro opcional VarioFlex (que é ajustável longitudinalmente e pode ser removido), o Karoq Sportline revela-se bastante espaçoso, com os bancos traseiros rebatíveis na proporção 60:40 a revelarem-se uma mais valia ao nível da versatilidade interior.

VÊ TAMBÉM: Nada está a salvo. Skoda Tudor, o protótipo que até seria roubado
Skoda Karoq 2.0 TDI Sportline © Raul Mártires / Razão Automóvel
A bagageira do Karoq Sportline conta com 521 litros de capacidade.

Ao volante do Karoq Sportline

Apesar de não se tratar de uma versão RS, o Karoq Sportline não é apenas fogo de vista. Para começar, a posição de condução sai beneficiada pelos bancos e volante desportivos, deixando logo no ar a ideia de que este Karoq não é bem igual aos restantes.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Kia Sportage 1.6 CRDi. A antiguidade ainda é um posto?

E a verdade é que quando começamos a conduzi-lo, essa ideia rapidamente é confirmada. Além do visual aprimorado, ao proceder a alguns ajustes na suspensão do Karoq, a Skoda deu-lhe um nível de precisão e um superior foco no comportamento relativamente aos restantes.

Não quero com isto dizer que os Karoq “normais” são mal comportados, no entanto, após alguns quilómetros (e algumas curvas) ao volante do Karoq Sportline é notório o foco superior na dinâmica sem, no entanto, parecer que o conforto saia prejudicado.

O Karoq Sportline adota igualmente o sistema DCC (Controlo Dinâmico do Chassis) que permite selecionar três modos de condução: Normal, Sport e Comfort.

VÊ TAMBÉM: Testámos o Honda CR-V Hybrid. Diesel para quê?
Skoda Karoq 2.0 TDI Sportline © Raul Mártires / Razão Automóvel
Apesar de esta versão Sportline estar mais focada no comportamento em estrada, o Karoq continua a ser capaz de enfrentar alguns “maus caminhos”, mesmo tendo apenas tração dianteira.

O resultado final é um comportamento dinâmico ao nível das propostas mais interessante do segmento (como, por exemplo, o SEAT Ateca) com o Karoq Sportline a revelar uma superior compostura (movimentos da carroçaria melhor controlados) e precisão.

A direção é direta e tem peso adequado (se bem que ainda prefiro a do Hyundai Tucson), a frente é fácil de inserir em curva, revelando-se eficaz, sem no entanto ser enfadonho.

Já no que diz respeito ao motor, o 2.0 TDI de 150 cv revela-se um bom aliado nas aspirações mais desportivas desta versão, garantindo já um nível de prestações interessante. Não deixa de ser económico numa condução calma, mas é solícito quando decidimos explorar as capacidades dinâmicas do Karoq.

Tem também uma muito boa parceira na bem escalonada caixa manual de seis velocidades.

VÊ TAMBÉM: Testámos a Renault Mégane ST GT Line TCe 140 FAP: honras de estreia
Skoda Karoq 2.0 TDI Sportline © Raul Mártires / Razão Automóvel
O 2.0 TDI de 150 cv revelou-se um bom aliado das aspirações mais desportivas desta versão.

Por fim, no que aos consumos diz respeito, ao longo deste teste conseguimos médias na casa dos 6 l/100 km, isto sem qualquer grandes preocupações com os consumos e em percursos que contaram com auto-estrada, estrada nacional e cidade.

É o carro certo para mim?

Para te respondermos a esta pergunta, precisamos que te questiones acerca de uma coisa: até que ponto o comportamento dinâmico é importante para ti na hora de escolher um carro?

VÊ TAMBÉM: Testámos o Renault Scénic 1.3 tCe: já não é moda, mas ainda tem argumentos?

Se a resposta for positiva, então deixa-nos dizer-te que o Karoq Sportline pode muito bem ser a escolha certa para ti. Junta todos os bons atributos familiares do Karoq — espaçoso, confortável, bem equipado e bem construído —, mas adiciona nesta versão Sportline um comportamento que o coloca mais perto das referências do segmento e um motor que conjuga bem performance e consumos.

VÊ TAMBÉM: Testámos o DS 7 Crossback 1.6 PureTech 225 cv: vale a pena ser chique?
Skoda Karoq 2.0 TDI Sportline © Raul Mártires / Razão Automóvel
As jantes de 18” garantem uma boa relação conforto/comportamento.

Se não, esta mesma motorização está também disponível nas versões Ambition e Style, onde as qualidades do Karoq mantêm-se inalteradas, sendo a única diferença a sua atitude dinâmica, claramente mais focado no conforto.

Preço

unidade ensaiada

35.838

Versão base: €32.958

IUC: €259

Classificação Euro NCAP: 5 / 5

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1968 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta common rail + turbo de geometria variável + intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro
    • Potência: 150 cv entre as 3500 e as 4000 rpm
    • Binário: 340 Nm entre as 1750 e as 3000 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de seis velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4382 mm / 1841 mm / 1603 mm
    • Distância entre os eixos: 2638 mm
    • Bagageira: 521 litros
    • Jantes / Pneus: 215/50 R18
    • Peso: 1461 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,7 l/100km
    • Emissões de CO2: 148 g/km
    • Vel. máxima: 203 km/h
    • Aceleração: 9,0 s
  • Equipamento
    • Pára-choques dianteiro desportivo,
    • Grelha dianteira em preto com moldura em preto gloss
    • Espelhos retrovisores exteriores em preto gloss (rebatíveis, anti-encadeamento e aquecidos)
    • Jantes de liga leve 18''
    • Difusor em preto com ponteiras de escape visíveis
    • Bancos desportivos
    • Volante desportivo forrado a pele
    • Apoio de braços dianteiro
    • Pedais em alumínio
    • Soleiras das portas dianteiras com logo, teto em preto, iluminação ambiente interior em LED
    • KESSY (abertura do veículo, fecho e ignição sem chave)
    • Driving Mode Select
    • Sensor de luz e chuva
    • Luzes de condução diurna com light-assist e espelho retrovisor interior com anti-encadeamento automático.
    • Ar-condicionado automático Climatronic
    • Hill hold control
    • Monitorização da pressão dos pneus
    • Tomada de 12 volts na bagageira
    • Sistema Start-Stop com recuperação de energia na travagem
    • Pack de arrumação
    • Front Assist inclusive travagem de emergência automática para trânsito na cidade
    • Limitador de velocidade
Extras
Care Connect 1 ano + Infotainment Online 1 ano (-); Cockpit virtual (480 €); Sistema de infotainment com navegação Amundsen, cartão SD com mapas da Europa e voice control (460 €); Faróis Full-LED com AFS, faróis de nevoeiro com função cornering (1005 €); Bluetooth com WLAN (-); Pintura metalizada (935 €).
Avaliação
8 / 10
Quem procura um SUV espaçoso, confortável, bem equipado e robusto, mas não prescinde de uma dinâmica mais apurada, a versão Sportline do Karoq é, muito provavelmente, a melhor da gama do SUV checo. É que às qualidades racionais que já conhecíamos Karoq, esta versão acrescenta uma dinâmica que o coloca entre as propostas mais interessantes de conduzir do segmento, tudo isto enquanto o 2.0 TDI se revela um bom companheiro tanto em viagens longas como quando o ritmo aumenta, apresentando consumos bastante razoáveis.
  • Comportamento
  • Espaço
  • Ergonomia
  • Robustez
  • Ausência de cruise control adaptativo
Sabes responder a esta?
Em que ano foi lançado o Opel Calibra?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Lembras-te deste? Opel Calibra, esculpido pelo vento

Mais artigos em Testes, Ensaio

Os mais vistos