Salão de Los Angeles 2019

John Cooper Works GP. Os números do mais radical e rápido Mini de sempre

Não esperaríamos menos do novo Mini John Cooper Works GP. Com mais de 300 cv e aparência radical, este é o mais rápido Mini de sempre.

Após vários teasers e até uma passagem pelo Nürburgring, o novo e limitado Mini John Cooper Works GP é finalmente revelado em toda a sua radicalidade, com o Salão de Los Angeles, EUA, a ser o palco escolhido para a sua primeira apresentação pública.

Tal como os GP que o antecederam, o novo Mini John Cooper Works GP extrai todo o potencial latente do pequeno hatchback de três portas e o resultado é um radical hot hatch, sendo o mais potente e rápido Mini de sempre.

Fica com todos os números do Mini John Cooper Works GP.

VÊ TAMBÉM: 308 cv, 680 Nm e AWD. Nissan Leaf, o hot hatch?

306

São 306 os cavalos debitados pelo quatro cilindros em linha, com 2.0 l de capacidade e turbocompressor. Trata-se do mesmo motor que vimos chegar não há muito tempo aos Mini Clubman e Countryman JCW, e também é partilhado com o BMW X2 M35i e M135i.

Ao contrário destes, o GP canaliza os 306 cv disponíveis entre as 5000 rpm e as 6250 rpm e os expressivos 450 Nm às 1750 rpm apenas às rodas dianteiras.

Mini John Cooper Works GP, 2020

90

A voz do Mini GP é condicionada pelo seu sistema de escape, concebido especialmente para este modelo — a Mini diz que o seu som é inspirado pela competição automóvel. Teremos de esperar para ver ouvir, mas o que podemos ver são as duas saídas de escape centrais, cada uma com 90 mm de diâmetro.

Mini John Cooper Works GP, 2020

8

A ligação entre o possante motor e o eixo dianteiro é efetuado através de uma caixa automática (conversor de binário) com oito velocidades, chamada de Steptronic, otimizada para o GP. Quando em modo manual, temos umas patilhas (em metal, e impressas em 3D) por trás do volante para subir e descer de relação.

Para garantir tração em todas as ocasiões, a transmissão do Mini John Cooper Works GP integra ainda um diferencial autoblocante mecânico, que trabalha em conjunto com o controlo de estabilidade DSC, com um efeito de bloqueio de 31%.

1255

Tal como os antecessores, o novo GP tem apenas dois lugares. O isolamento acústico foi também reduzido, as jantes são forjadas, os alargamentos são em fibra de carbono, tudo a contribuir para uns ligeiros 1255 kg, menos 85 kg que os JCW regulares.

5,2

Juntando os 306 cv, a eficaz transmissão e a massa contida, o Mini John Cooper Works GP é capaz de atingir os 100 km/h em apenas 5,2s, um valor impressionante, tratando-se de um tração dianteira — a Mini, mais que a aceleração, dá ênfase às retomas de aceleração devido à elasticidade do motor, colocando-o ao nível, ou até acima, de desportivos de outro gabarito.

Não existem amarras eletrónicas à velocidade máxima — o GP atinge os 265 km/h.

18

Os quatro pontos de contacto com o solo são efetuados via pneus de medida 225/35 R18 que envolvem jantes forjadas de 18″ de diâmetro por 8″ de largura — a sua leve construção permite que cada uma pese menos de 9 kg.

O sistema de travagem foi também majorado, com os discos ventilados dianteiros a apresentarem 360 mm de diâmetro por 30 mm de espessura. São “mordidos” por maxilas de quatro êmbolos, enquanto atrás têm apenas um êmbolo.

Mini John Cooper Works GP, 2020

10

A distância ao solo foi reduzida em 10 mm relativamente ao Mini JCW regular, mas é apenas um detalhe do aturado trabalho efetuado ao chassis do novo GP.

A rigidez foi incrementada, recebendo novos casquilhos, molas, amortecedores, barras estabilizadoras, apoios de motor, o túnel de transmissão foi reforçado e no lugar dos assentos traseiros encontramos uma barra a unir as torres da suspensão. Tudo para uma superior agilidade e reações mais prontas.

Mini John Cooper Works GP, 2020

1

Como edição especial e limitada que é, o Mini GP está apenas disponível com uma cor de carroçaria, precisamente aquela que vêm nas imagens — um cinzento escuro metalizado —, com detalhes em prata e vermelho.

Mini John Cooper Works GP, 2020

3000

Como todas as edições anteriores dos Mini GP, também esta será limitada. São 3000 unidades apenas, com a comercialização a iniciar-se no próximo mês de março, com um preço aproximado de 50 mil euros.

Para lá dos números

Além dos números que marcam o Mini John Cooper Works GP, é impossível ficar indiferente ao seu aspeto. Fiel ao “look” que vimos no primeiro protótipo, o novo Mini GP revela uma aparência extravagante, graças não só ao spoiler traseiro XXL, aparentemente dividido em dois, mas sobretudo a forma distinta como os alargamentos da carroçaria foram efetuados.

O que parecem ser “lâminas” separadas da carroçaria permitem o uso de vias mais largas, assim como o otimizar do fluxo de ar pela lateral do veículo. Estes extravagantes elementos consistem numa subestrutura termoplástica, com uma “pele” exterior em CFRP (Carbon Fibre Reinforced Plastic), ou fibra de carbono reforçada com polímero; material que é reciclado proveniente da produção dos BMW i3 e i8.

Mini John Cooper Works GP, 2020

O acabamento é em mate e estas “lâminas”, à frente, integram o número da unidade produzida — de 0001 a 3000.

O aparato visual é justificado pela sua contribuição para uma aerodinâmica mais eficaz — maximização do downforce e redução da resistência aerodinâmica —, assim como para melhorar o sistema respiratório deste hot hatch demoníaco.

Sabes responder a esta?
Qual a origem do motor V8 do novo Aston Martin DBX?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Aston Martin não resiste à “febre” SUV e apresenta novo DBX

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos