Elétricos

Europa: 1 em cada 50 automóveis vendidos são elétricos

Pela primeira vez, a venda de automóveis elétricos novos na Europa atingiu uma quota de 2%, ou seja, um em cada 50 automóveis vendidos são elétricos.

Com os números de vendas de automóveis novos na Europa correspondentes ao mês de julho revelados (mercado caiu 3,1% nos primeiros seis meses do ano), permitiu constatar que a venda de automóveis elétricos novos atingiram pela primeira vez, uma quota de 2% quando consideramos o período de um ano (de agosto de 2018 a julho de 2019).

Uma quota de 2% ainda é considerado um nicho, mas reflete uma rápida trajetória ascendente, que se deve, de acordo com Matthias Schmidt, analista de origem alemã, essencialmente a três fatores.

O primeiro tem a ver com o regime fiscal da Holanda, que passou a beneficiar fiscalmente os automóveis elétricos acima dos 50 mil euros, medida prontamente aproveitada pelas empresas.

VÊ TAMBÉM: Há matéria-prima suficiente para fazer baterias para tantos elétricos?

O resultado foi um aumento repentino na venda de automóveis elétricos novos, com modelos como o Model S e o Model X da Tesla a saírem beneficiados, mas foi o Jaguar I-Pace a “estrela” dessa medida, ao ter conseguido ser até o modelo mais vendido na Holanda em dezembro de 2018.

O segundo e também o terceiro fator estão relacionados, já que ambos se referem à chegada de novos modelos que vieram dinamizar a venda de automóveis elétricos.

No primeiro caso tem a ver com o fenómeno Tesla Model 3, que chegou à Europa no início deste ano, mas já lidera as vendas nos automóveis elétricos, ao registar 37 200 unidades vendidas nos primeiros seis meses do ano.

No segundo caso, é a Hyundai/Kia que se destacam, com a chegada de modelos como o Kauai Electric e o e-Niro.

2020 promete ser bem melhor

Se 2019 promete ser um ano de recordes para a venda de automóveis elétricos novos na Europa, 2020 deverá ultrapassar todas as expetativas, considerando os “peso-pesados” já anunciados.

O grupo Volkswagen sozinho — inclui Volkswagen, Audi, Skoda, SEAT, Porsche — prevê vender 300 mil novos automóveis elétricos em 2020. No próximo Salão de Frankfurt conheceremos a versão final de produção do ID.3 que deverá representar uma parte significativa deste volume, e no outro extremo, o Taycan.

Volkswagen ID.3
Volkswagen ID.3

O grupo PSA também terá uma palavra a dizer, com um trio de modelos novos: Peugeot e-208, Opel Corsa-e e DS 3 Crossback E-Tense estarão também disponíveis. E não esquecer também as propostas da Honda, com o simplesmente chamado “e”, e também o já anunciado Fiat 500 elétrico, com apresentação marcada para o Salão de Genebra.

Este empurrão, não só em novos modelos elétricos, como também em novos automóveis híbridos plug-in, é o caminho necessário a percorrer por parte dos construtores para conseguir cumprir os patamares de redução de emissões de CO2 impostos pela União Europeia para 2021 — 95 g/km de média para a gama de um construtor.

Fonte: Matthias Schmidt, analista automóvel.

 

Sabes responder a esta?
Qual a autonomia máxima anunciada para o novo Kia e-Soul?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Kia Soul diz adeus aos motores de combustão e o Niro renova-se

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos