Vídeo

Agora sim! Toyota GR Supra testado em vídeo. É digno do nome?

Toyota GR Supra. Um dos carros que mais discussão tem gerado nos últimos tempos passou pelas nossas mãos — o nome é merecido?

Em Madrid, Espanha

Para saberes a resposta à pergunta, terás de ver o vídeo do nosso canal de YouTube, onde o Diogo já teve a oportunidade de conduzir o novo Toyota GR Supra, tanto em estrada como em circuito (em Jarama, a norte de Madrid).

Como o Diogo diz no vídeo, “não devemos julgar um carro antes de o conduzir”. O novo Supra tem sido um tópico quente entre os entusiastas, mas até agora apenas o conhecíamos “no papel”, pelo que se torna fácil simpatizar com os fãs mais hardcore.

A polémica

Este é um Toyota Supra diferente de todos o que o antecederam, já que resulta de uma colaboração com outro construtor, neste caso a BMW — de acordo com a Toyota, uma colaboração apenas inicial, na definição dos parâmetros essenciais da plataforma, após os quais cada construtor seguiu caminho de desenvolvimento específico.

VÊ TAMBÉM: Fica a saber tudo sobre o novo Toyota GR Supra
Toyota Supra A90 2019

Foi a solução possível — hoje em dia, com custos crescentes e vendas decrescentes, a única forma realmente viável de ter um desportivo concebido de raíz parece ser o unir de esforços entre diferentes construtores. No caso da BMW e da Toyota, permitiu que tivéssemos mais uma geração do Z4 e o regresso do nome Supra.

Tivesse a Toyota, através da Gazoo Racing que liderou o desenvolvimento do projeto, trilhado sozinha o percurso para um novo Supra, este acabaria por ter um preço bem mais elevado do que aquele que apresenta, o que colocaria em causa a sua viabilidade comercial. Razão que permite justificar o recurso generoso a tantos componentes da BMW, sobretudo o mais polémico de todos: o motor.

Grande parte da identidade do Supra passou desde sempre por um bloco de seis cilindros em linha, culminando com o lendário 2JZ-GTE que equipou o último Supra, o A80. Desenvolver um motor de raíz estava fora de questão pelos custos envolvidos, mas o que não falta à BMW são blocos de seis cilindros em linha, que fazem parte do construtor desde praticamente o início da sua existência — que melhor parceiro de desenvolvimento se podia ter para esta ocasião?

Toyota Supra A90 2019

Com o B58 da marca bávara, veio a transmissão automática de oito velocidades, a eletrónica e o sistema de info-entretenimento — componentes que acabam por estar interligados. Como será que afeta o caráter do novo Toyota GR Supra?

VÊ TAMBÉM: Este Toyota Supra custa cerca de 1,72 milhões de euros

Ao volante

Só há uma forma de descobrir e é sentarmo-nos aos comandos da nova máquina, colocar a manete em “D” e… arrepiar caminho. As impressões de condução, tanto em estrada como em circuito, será o Diogo a descrevê-las, mas posso dar algumas pistas sobre o que esperar.

O Toyota GR Supra tem um nível de rigidez estrutural superior ao Lexus LFA — esse mesmo, quase todo ele em fibra de carbono —, o centro de gravidade é inferior ao de um GT86 que, recordemos, está equipado com um baixo motor boxer, e é também mais curto que este — pela primeira vez na sua história, o Supra é um bi-lugar.

Apesar dos cerca de 1500 kg (sem condutor), sempre são 340 cv e 500 Nm, transmitidos ao eixo traseiro através da já mencionada caixa automática de oito velocidades, o que permite atingir os 100 km/h em apenas 4,3s e chegar rapidamente aos eletronicamente limitados 250 km/h.

Os ingredientes estão lá… Será que a forma como foram preparados e prontos a servir fazem deste Supra um digno herdeiro do nome que ostenta? Descobre já a seguir…

Em Portugal

O novo Toyota GR Supra chega em julho ao mercado nacional por 81 mil euros, apenas com um nível de equipamento, o mais completo, ao contrário do que acontece noutros mercados onde existem dois níveis.

Toyota GR Supra

Assim, apenas teremos o nível Legacy (denominado Premium nos restantes mercados europeus), o que significa que os “nossos” Supra além de virem com ar condicionado bi-zona, cruise control adaptativo, botão de arranque, volante em pele, faróis LED adaptativos, sensor de chuva e câmara traseira, terão também bancos desportivos em pele (eletricamente ajustáveis e aquecidos) um sistema áudio da JBL com 12 altifalantes, head-up display e carregador sem fios para o smartphone.

O sistema de info-entretenimento integra um ecrã tátil de 8,8″ controlado por um comando rotativo — efetivamente é o sistema i-Drive da BMW. Contem ainda com Apple CarPlay.

Sabes responder a esta?
Quantas motorizações híbridas tem o novo Toyota Corolla?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Ao volante dos dois híbridos do Toyota Corolla. Fórmula vencedora?

Mais artigos em Testes

Os mais vistos