Salão de Genebra 2019

Final Edition significa o adeus ao SLC e também aos… V12 na Mercedes

A Mercedes-Benz levou até ao Salão de Genebra 2019 as edições especiais Final Edition do SLC e do S65 by AMG… esse mesmo, o do V12.

É altura de dizer adeus… As edições especiais Final Edition que a Mercedes-Benz e Mercedes-AMG levaram ao Salão de Genebra dos, respetivamente, SLC e S65, são significativas, pois representam o “fim da linha” para o compacto roadster alemão e para o portentoso V12 na marca da estrela.

Começando pelo Mercedes-Benz SLC, este iniciou carreira na década de 90 como SLK, um mini-SL e uma alternativa ao fenómeno Mazda MX-5. Três gerações e 23 anos depois, já rebatizado de SLC, já não há lugar para um sucessor…

Culpe-se a crise, já que as vendas dos desportivos nunca recuperaram após o fim desta; culpe-se os SUV, que também “roubaram” clientes aos coupés e roadsters, por conseguirem oferecer não só estilo e imagem (um dos grandes motivos de compra dos roadsters), como praticidade; e também a idade do próprio SLC, efetivamente não era mais do que um restyling do último SLK…

ESPECIAL: Todas as novidades do Salão de Genebra 2019 estão aqui

De momento não há muito espaço para estes desportivos mais acessíveis, o que torna difícil justificar o investimento num novo modelo. A solução, como temos visto, poderá passar por parcerias, como a efetuada entre a BMW e a Toyota, que originou uma nova geração do Z4, um dos rivais diretos do SLC.

V12, o adeus

Em relação ao Mercedes-AMG S65, à luz do apertar das normas de emissões, a decisão da marca em “reformar” o V12 parece fazer todo o sentido. Em performance, o S63, com o Hot V8 e um par de turbos, não fica atrás e fá-lo com consumos e emissões inferiores, com a vantagem de poder ser usado em muitos mais modelos.

Mas não deixamos de soltar uma lágrima pelo fechar deste capítulo na história da Mercedes. Nada iguala o equilíbrio e sonoridade de um V12… Não é à toa que é considerada a mais nobre das motorizações, digna das melhores berlinas de luxo e super ou hiper-desportivos.

O seu lugar será tomado futuramente por novas variantes do V8 dos modelos 63 da AMG, que além de sobrealimentado, será também eletrificado. Solução já prevista pela marca, quando revelou o protótipo que antecipava o GT 4 portas, mas já podemos ver em máquinas como o Porsche Panamera Turbo S E-Hybrid.

Resta-nos esperar que o sr. Horacio Pagani mantenha-se fiel aos V12 da AMG, para que este capítulo não encerre totalmente… Entretanto, há um glorioso V12 naturalmente aspirado à solta em Genebra.

Sabes responder a esta?
Qual a potência do mais Mercedes-AMG A 35?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Mercedes-AMG A 35 ao vivo em Paris com 306 cv de potência

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos