Mercedes-Benz SL 73 AMG (R 129): o roadster que emprestou o motor à Pagani

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Glórias do Passado

Mercedes-Benz SL 73 AMG (R 129): o roadster que emprestou o motor à Pagani

Este Mercedes parece um SL 600 «normal», mas não é. Conheça a história do Mercedes-Benz SL 73 AMG (R129), o modelo que emprestou o motor V12 à Pagani.

O Mercedes-Benz SL 73 AMG é uma versão exclusiva — e para muitos, desconhecida — do SL 600. Produzida pela preparadora alemã AMG com base no SL 600, este desportivo aparentava ser um SL como tantos outros mas estava longe de o ser… Um olhar mais atento à sigla “73” e às jantes de 18″ exclusivas denunciavam-no.

Ao abrir o capô dissipavam-se as dúvidas que restavam: motor V12 — designação oficial M 297— com elementos em carbono e inscrição da cilindrada. Era um modelo especial. Ponto.

Tão especial que era quase «impossível» adquirir um exemplar. Não bastava ir a um concessionário e encomendar um.

VEJAM TAMBÉM: Pagani Zonda HP Barchetta. O carro mais caro do mundo
mercedes-sl-73-amg-2

O processo era bem mais complexo: começava por ter que se adquirir um Mercedes-Benz SL 600, equipado com um motor V12 de 6.0 l (aqui ainda como M 120), e, posteriormente, pagar uma «nota preta» à AMG para submetê-lo a uma preparação exaustiva do motor: pistões forjados em titânio, reforço de inúmeras peças internas, mudança das cotas internas do motor, sistema de escape específico, entre outras alterações.

Após a AMG operar a sua «magia», esta motorização passava a debitar 525 cv às 5500 rpm e 750 Nm de binário máximo às 4000 rpm — mais potente em 117 cv do que a versão de origem (SL 600). Através de uma caixa automática de cinco relações, o SL 73 AMG acelerava dos 0 aos 100 km/h em 4,8s e a velocidade máxima subia até aos 298 km/h.

Até ao lançamento do CL 65 AMG, este foi o modelo de produção mais potente de sempre da Mercedes. Hoje estes números podem não impressionar, mas nos anos 90 causava um impacto tremendo. Músculo puro, à antiga, coberto com carbono.

V12 7.2 Mercedes-Benz SL 73 AMG

Segundo a AMG, apenas foram produzidas 80 unidades deste modelo — sendo que 50 foram compradas por Hassanal Bolkia, o Sultão do Brunei. Ainda hoje, este bloco é um dos motores naturalmente aspirados com maior cilindrada das últimas décadas.

O motor certo para o Zonda

Após o fim de produção do Mercedes-Benz SL 73 AMG, Horacio Pagani contactou a preparadora AMG. O fundador da Pagani ficou muito interessado em equipar o seu Pagani Zonda com este motor.

Negócio fechado! As marcas chegaram a acordo e os Zonda passaram a vir equipados com o mesmo bloco naturalmente aspirado existente no SL 73 AMG. Apesar de ter começado de forma «modesta» com quase 400 cv, ao longo dos anos a potência foi subindo até uns extraordinários 800 cv.

Quanto ao design do SL (R 129), modelo lançado em 1989, o que vos parece: tem envelhecido bem, não acham?

 

Sabe responder a esta?
Qual era a potência do Mercedes-Benz E 50 AMG (W210)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te deste? Mercedes-Benz E 50 AMG (W210)

Mais artigos em Clássicos