Tudo sobre a produção do primeiro motor Ingenium a gasolina da Jaguar Land Rover

19/04/2017
648 views
Linha de Produção motores Ingenium
Share Button

O Centro de Produção de Motores da Jaguar Land Rover comemorou a produção do seu primeiro motor a gasolina Ingenium.

Como sabem, a Jaguar reforçou recentemente a sua gama F-TYPE com um motor turbo a gasolina de quatro cilindros para a versão de entrada. De acordo com a marca britânica, este motor Ingenium permite melhorar os consumos e as emissões. No caso do F-TYPE, também reduziu ligeiramente o peso total do conjunto. Mas mais importante que tudo, fá-lo sem desvirtuar a essência de um verdadeiro F-TYPE.

O motor de quatro cilindros mais potente de sempre da Jaguar

O novo motor Ingenium com 2.0 litros de capacidade é de facto um motor inédito para a Jaguar. Os 300 cv de potência equivalem à maior potência específica de qualquer motor na gama – 150 cv por litro – enquanto que o binário fixa-se nos 400 Nm, menos 50 Nm que o anterior modelo de acesso com 340 cv.

Quando acoplado à caixa Quickshift (automática) de oito velocidades, o F-TYPE consegue acelerações dos 0 a 100 km/h em 5.7 segundos – exatamente o mesmo que a versão V6 (caixa manual) com mais 40 cavalos – e só pára nos 249 km/h de velocidade máxima.

O primeiro motor Ingenium a gasolina da Jaguar Land Rover

O Centro de Produção de Motores (EMC) da Jaguar Land Rover celebrou ontem a produção dos primeiros motores Ingenium a gasolina. Estes juntam-se à gama composta também pelos motores a gasóleo de 2.0 litros e quatro cilindros com 150 cv, 163 cv e 240 cv. Tal como os Diesel, também os Ingenium a gasolina apresentam vários patamares de potência: 200, 250 e 300. Este último patamar exclusivo, por agora, do F-TYPE.

Pormenor motor Ingenium na linha de produção

VEJAM TAMBÉM: P-Type, Landmark, XJS… O que é que a Jaguar Land Rover está a preparar?

As instalações do EMC, no Reino Unido, foram abertas em 2013 e resultam de um investimento de quase 1.2 mil milhões de euros. Desde então foram recrutadas cerca de 1400 pessoas (mais de 80 % vivem num raio de 25 km da unidade de Wolverhampton) e foram necessárias 125 000 horas de formação.

“O início da produção de motores a gasolina constitui um marco para o centro, que pretende fornecer uma série de motores de alta performance de ultrabaixas emissões a gasolina e gasóleo para equipar os veículos atuais e futuros da Jaguar e da Land Rover”.

Trevor Leeks, diretor de operações do EMC.

Desde o início da produção do motor a gasóleo Ingenium, há exatamente dois anos, o EMC já construiu mais de 400 000 unidades. A produção deste novo bloco Ingenium a gasolina marca o final da primeira fase do EMC.

Equipa que produz o primeiro motor a gasolina Ingenium

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter