Especial

As carrinhas desportivas mais radicais de sempre: BMW M5 Touring (E61)

Depois da Audi RS2, a mãe dos Rennsport (RS) na marca Ingolstadt, regressamos às carrinhas desportivas mais radicais de sempre com outra digna representante dos familiares apressados: a BMW M5 Touring E61.

Caramba, debaixo do capot da BMW M5 Touring (geração E61) mora um motor V10 atmosférico com 510 cv de potência máxima.

O texto podia terminar aqui e cada um de nós ia à sua vida – até porque o motor V10 atmosférico por si só, é motivo mais que suficiente para a M5 Touring constar deste Olimpo de supercarrinhas, improvisado pela Razão Automóvel. Porém, a M5 Touring é mais do que uma carrinha com um motor potente.

Para além do motor avassalador, capaz de impulsionar o conjunto até aos 100km/h em apenas 4.3 segundos – numa corrida desenfreada que só terminava aos 250km/h (limitados eletronicamente) – a M5 Touring também tinha outros argumentos.

“No modo mais familiar, o motor V10 da M5 Touring ficava castrado a apenas 400 cv de potência – sim, eu juntei a palavra ‘apenas’ a ‘400cv'”.

Era bonita, aliás, continua a ser. Mesmo passados todos estes anos (foi lançada em 2007) as linhas fluídas da carroçaria e aquela traseira com quatro escapes continuam a fazer suspirar muitos petrolheads à sua passagem.

Os números do BMW M5 Touring (E61):
0-100 km/h: 4,6 segundos
0-200 km/h 13.8 s
0-400m: 12.5 s

RELACIONADO: Audi RS2, a mãe das carrinhas verdadeiramente desportivas

Como se não bastasse, o comportamento dinâmico não perdia quase nada para a versão berlina. Apesar de acusar mais 100kg na balança do que a versão M5 berlina, em estrada esse peso adicional não se fazia sentir – há quem defenda até que melhorava a motricidade do conjunto.

“Depois desta BMW M5 Touring não houve sucessora. Porquê BMW, porquê?”

BMW M5 Touring

Depois, havia ainda o botão M Performance, que permitia ao piloto… perdão!, pai de família, configurar quase todos os parâmetros da carrinha, entre eles: rapidez da caixa, carácter do motor, dureza da suspensão e ajudas eletrónicas. No total, eram mais de 100 configurações possíveis. Because racecar…

No modo mais familiar, o motor V10 da M5 Touring ficava castrado a apenas 400cv de potência – sim, eu juntei a palavra “apenas” a “400cv de potência”.

Vamos por isto em perspetiva: até há bem pouco tempo, um Porsche 911 Carrera S (geração 991) em modo full power tinha isso mesmo, 400cv! No modo mais desportivo, os 510cv ficavam com rédea solta para exercer bullying nos pneus traseiros, a seu belo prazer.

Odeio-te BMW

Depois desta BMW M5 Touring não houve sucessora. Porquê BMW, porquê?

Mais uma deceção a juntar a tantas outras. O próximo Série 1 terá tração dianteira e já aguardamos pelo sucessor do M1 há quatro décadas (e não, o BMW i8 não conta…). Acordem!

Qual será a próxima carrinha?

Digam-me vocês. Qual é a próxima supercarrinha deste especial? Preferem um tijolo voador ou a temível RS6? Vocês decidem.