Volkswagen Golf R: o mesmo de sempre com «lado B»

14/02/2015
4.720 views
Share Button

O Volkswagen Golf R é tudo aquilo que os restantes Golf’s são e muito mais. A parte do «muito mais» será devidamente explicada nas próximas linhas, porque a parte do «resto» já toda a gente conhece.

Vamos já arrumar aquilo que não interessa. O Volkswagen Golf R é – como qualquer modelo da gama Golf… – bem construído, confortável, bem equipado, suficientemente espaçoso, etc… Enfim, uma lista de qualidades exaustivamente repetidas pelas publicações da especialidade sempre que testam o Golf. Quero poupar-vos a isso.

“(…)o Volkswagen Golf R é o equivalente de quatro rodas a uma zelosa e vistosa dona de casa com tendências masoquistas.”

Feito este aparte, vamos ao que interessa: o Volkswagen Golf R tem ou não pedigree desportivo? A resposta é sim. E em doses generosas. Comecei por aqui, porque acredito que esta é a questão que mais preocupa quem pondera adquirir um modelo desta natureza. Claro que a parte do Golf bem comportado e responsável pai de família continua lá. Mas há outro lado: o «lado B» – como nos antigos discos de vinil, lembram-se?

Para conhecer este preverso «lado B» do Golf R, basta seleccionar o modo Race no sistema Driving Mode Selection que o ralenti sobe algumas rotações, as ajudas electrónicas diminuem, a suspensão fica mais firme e a resposta dos comandos (direcção e acelerador) fica mais directa.

Volkswagen Golf R-2

Portanto, no «lado B» do Golf R a música é outra. Temos heavy hetal, cortesia do som encorpado e grave emitido pelo motor 2.0 TSI de 300cv e pelas quatro saídas de escape na traseira; e temos hip-hop nas curvas, cortesia do sistema 4Motion e das suspensões desportivas que dão ao Volkswagen Golf R capacidades acrobáticas e a nós uma grande liberdade para improvisar (tal como os rapper’s).

RELACIONADO: Conheçam o Volkswagen Golf GTD, a versão mais desportiva da gama Diesel

Confesso. Não foram poucas as vezes que tive dificuldades em acompanhar o ritmo da rimas criadas pelo imenso grip que o Volkswagen Golf R imprime no asfalto. O sistema 4Motion tem um dom: ir buscar aderência onde ela não existe. Os limites são tão elevados que em andamentos mais desportivos temos de reprogramar o cérebro para conduzir o Golf R como merece ser conduzido: travar mais tarde e acelerar mais cedo do que o normal.

E tudo isto a velocidades que rimam com crime, cassação da carta de condução e por aí em diante. Mas não digam a ninguém. A letra fica só para nós.

Dito isto, é fácil compreender que não é difícil arranjar problemas com a justiça ao volante do Golf R. São 300cv sempre às ordens do pé direito, preparados para acelerar dos 0-100km/h em apenas 5.1 segundos numa marcha apressada que termina num ápice, com o ponteiro a indicar 250km/h (limitados electronicamente). Os consumos condizem com a perfomance, com médias de 9 litros em toadas domingueiras e 11,5 litros em andamentos normais, sem preocupações.

Se este Golf R vale os 56.746 euros que a Volkswagen pede por ele? É difícil dizer. É muito dinheiro, sem dúvida, mas afinal de contas é um carro com «lado A» e «lado B». Consegue ser responsável como a maioria dos Golf’s e terrivelmente desportivo quando necessário (sempre!).

Volkswagen Golf R-8

Não fosse o visual que não engana ninguém  – leia-se enormes discos de travão, apontamentos R-design e para-choques desportivos -, e poderia afirmar sem receio de exagerar, que o Volkswagen Golf R é o equivalente de quatro rodas a uma zelosa e vistosa dona de casa com tendências masoquistas, que gosta de ser maltratada nas curvas e puxada como se não houvesse amanhã, mas também cumpre nas tarefas diárias – nota-se muito que eu também caí no erro de ir ver as 50 Sombras de Grey? O filme é péssimo sob qualquer ponto de vista, ao contrário do Golf R diga-se…

Defeitos? Na tentativa de ser tudo ao mesmo tempo nem é o mais competente familiar nem o mais competente desportivo. Faz tudo como poucos, mas não é o melhor em nada, nem tão pouco o pior. No entanto, o kit sorriso de orelha-a-orelha é de série e se o adquirirem, têm a garantia de que não vão ser recriminados pela vizinhança. Afinal de contas, para o bem e para o mal, não deixa de ser um Golf. E aos olhos da sociedade, as pessoas que andam de Golf são todas pessoas de bem. Mas desconfiem das que conduzem um Golf R…

Fotografia: Thom V. Esveld

MOTOR 4 Cilindros
CILINDRADA 1998 cc
TRANSMISSÃO DSG de 6 velocidades
TRAÇÃO Integral (4Motion)
PESO 1476 kg.
POTÊNCIA 300 cv / 5600-6200 rpm
BINÁRIO 380 / 1800-5500 rpm
0-100 KM/H 5,1 seg
VEL. MÁXIMA 250 km/h
CONSUMO 7,1 lt./ 100 km (consumo médio anunciado)
PREÇO 56.746 euros (unidade ensaiada)

Segue a Razão Automóvel no Instagram e no Twitter

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.