Lembram-se do Renault 16? 50 anos «ao ritmo da vida»

26/02/2015
2.159 views
Share Button

O Renault 16 marcou o início da filosofia «ao ritmo da vida» na marca francesa. Uma filosofia que ainda hoje marca presença em toda a gama do construtor. A uma semana da edição 2015 do Salão de Genebra e dos 50 anos do Renault 16, fazemos uma viagem pela sua história.

Desde 1965 que a Renault produz todos os seus modelos de acordo com a filosofia «ao ritmo da vida». Uma filosofia que se materializa em pequenos detalhes ergonómicos e em soluções práticas que pretendem ajudar e facilitar a vida dos utilizadores no dia-a-dia.

O primeiro carro a estrear essa filosofia foi o Renault 16, apresentado no Salão de Genebra em 1965, com um desenho absolutamente inovador: um dois volumes com um portão traseiro para acesso à bagageira. Ao conciliar o carácter prático, com uma linha elegante, o Renault 16 foi o primeiro automóvel «ao ritmo da vida».

COZ19659010101

As linhas do Renault 16 foram uma obra conjunta de Philippe Charbonneaux e de Gaston Juchet. Como este último, além de designer era também engenheiro de aerodinâmica, o P-DG da Renault da época, Pierre Dreyfus, encarregou-o da concepção estética do Renault 16.

RELACIONADO: 50 anos de depois o ritmo é outro… estamos a falar «apressado» Renault Mégane RS

Nasceu assim o projecto 115, liderado por Yves Georges do lado da engenharia e por Gaston Juchet no design. Durante quatro anos, as equipas da Renault conceberam uma arquitectura inédita, que acolheu numerosas inovações técnicas sob um design funcional.

A bagageira dispunha de quatro diferentes configurações, com um volume de 346 dm3 a 1200 dm3, graças ao banco traseiro deslizante, rebatível e amovível. Os bancos adaptavam-se a todos os tipos de utilização: desde a instalação de uma cadeira para criança, a uma posição de repouso e mesmo uma posição cama. (Continua na página 2)

Não deixe de nos seguir no Facebook

Renault-16_3

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.