Alfa Romeo 4C Spider: mais apaixonante

13/01/2015
2.412 views
Share Button

O Alfa Romeo 4C Spider é o automóvel mais inapropriado para ser apresentado em pleno Inverno, no salão da gelada cidade de Detroit. Só eleva os níveis de ansiedade para o poder testar devidamente numa estrada de montanha qualquer, com temperaturas primaveris como companhia e o céu azul como tecto.

O 4C é um manifesto rolante sobre a essência do que deve ser a Alfa Romeo. Pura emoção sobre rodas, apaixonante para muitos, incompreendido por outros, e também alvo de algumas críticas menos positivas, é impossível ficar-se indiferente ao que é, na realidade, um mini-supercarro.

2015-alfa-romeo-4c-spider-83-1

Com um corpo central em fibra de carbono, só encontra paralelo em exóticos como o McLaren 650S, automóveis múltiplas vezes mais caros. O baixo peso, a rondar a tonelada com condutor instalado e conseguido graças à dieta de fibra de carbono e alumínio, garante performances ao nível de carros bem mais possantes, apesar de ser motivado por um compacto 4 cilindros de 1.75 litros e 240cv. Será esta a receita do supercarro do futuro?

VEJAM TAMBÉM: O poder terapêutico da condução em imagens

Em Genebra, no ano passado, conhecemos o Alfa Romeo 4C Spider como protótipo. Felizmente, a apresentação da versão de produção em Detroit permitiu verificar que pouco ou nada mudou relativamente ao apelativo concept. Como tal e apesar de ser agraciado com o nome Spider, é na realidade um targa, com um arco de segurança em alumínio, revestido a plástico ou fibra de carbono, a unir as laterais atrás dos passageiros e a conter o suporte da capota.

2015-alfa-romeo-4c-spider-16-1

A natureza focada do 4C é transferida para o Alfa Romeo 4C Spider. A capota de série em lona, dobrável, tem de ser totalmente retirada e guardada em compartimento próprio atrás do motor para usufruir de condução a céu aberto. Ao contrário de alguns dos seus primos afastados mais exóticos e pujantes, e apesar da solução parecer algo frágil, a Alfa Romeo garante que a capota pode suportar a velocidade máxima do Alfa Romeo 4C Spider, que é de 258km/h. Essa característica torna quase inútil e desnecessária a futura opção de um tecto em fibra de carbono não pintado. E isto porque não existe sítio no Alfa Romeo 4C Spider para o guardar, excepto no lugar do “pendura”.

O encanto pelos automóveis empurraram-o para o mundo do design, com a enebriante possibilidade de poder vir a criar estas «criaturas» rolantes . Quando lhe colocaram um volante nas mãos, Fernando Gomes apercebeu-se ainda mais da complexa relação entre o homem e a máquina. Está definitivamente «agarrado»...