Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Entrevista

YouTube e Google Home. Novidades do infoentretenimento da Volvo explicadas por quem decide

Falámos com Thomas Stovicek, responsável de UX da Volvo Cars, e com David Holecek, diretor da Experiência Digital, para saber o que vai mudar no infoentretenimento dos Volvo.

Além de anunciar uma parceria com a Qualcomm para o fornecimento da plataforma Snapdragon Cockpit para o seu próximo sistema de infoentretenimento, a Volvo aproveitou o CES 2022, em Las Vegas (EUA), para reforçar a ligação à Google, tornando-se na primeira fabricante a lançar uma integração direta com o ecossistema Google Home.

Além desta novidade, que permitirá que os clientes controlem os seus Volvo por meio de comandos de voz, através do Google Assistant, a fabricante sueca também anunciou que vai disponibilizar em breve, em todos os automóveis com o sistema de infoentretenimento Android, o acesso ao YouTube.

Para a Volvo, é o início da mudança que vai tornar o automóvel numa espécie de extensão da sala de estar, algo que faz parte de uma revolução maior e que vai mesmo obrigar a alguns mudanças de base na indústria automóvel.

A NÃO PERDER: Volvo fecha parceria com a Qualcomm para o infoentretenimento do futuro

Para perceber de que forma estas novidades vão impactar a vida dos clientes Volvo e, de certa forma, tentar perceber para onde a indústria caminha, falámos — em exclusivo nacional — com Thomas Stovicek, responsável de User Experience (UX) da Volvo Cars, e com David Holecek, diretor da Experiência Digital da marca sueca.

O infoentretenimento do futuro, só com dois ecrãs

Ao anunciar a parceria com a Qualcomm, a Volvo prometeu levar o infoentretenimento dos seus futuros carros para o “próximo nível”, algo que ficaremos a conhecer já no próximo SUV 100% elétrico da marca e no Polestar 3, ambos a apresentar ainda este ano.

Mas enquanto isso não acontece, a marca sueca já nos mostrou um esboço de como será o seu infoentretenimento da próxima geração que, curiosamente (ou não), vai manter um ecrã vertical ao centro e um ecrã mais pequeno horizontal que serve como painel de instrumentos.

Volvo Cars

Digo “curiosamente” porque no último ano assistimos ao surgimento de uma tendência que começou a «olhar» para o passageiro da frente com outros «olhos», colocando-lhe também um ecrã à frente, para que só ele o possa controlar. O Mercedes-Benz EQS é só um dos exemplos disso.

A Volvo não é alheia a isto e tal como nos explicou Thomas Stovicek, é “definitivamente algo que está a ser pensado”. Contudo, fez questão de esclarecer a posição atual da marca acerca deste tema: “Acreditamos que nesta versão da nossa visão, o ecrã central é grande o suficiente e visível para todos os ocupantes do carro. Mas é algo que vamos continuar a prestar atenção”.

LEIAM TAMBÉM: Sucessor do Volvo XC90 chega em 2022, mas não se vai chamar XC90

A importância das parcerias tecnológicas

Mas se o novo infoentretenimento, com hardware da Qualcomm, é conversa de futuro, as novidades ao nível dos sistemas Google Home, Google Assistant e YouTube são para já. E vão beneficiar, muito em breve, muitos condutores Volvo.

Volvo Google

E para a Volvo não há qualquer dúvida de que a parceria com a Google é uma enorme mais valia que se traduz no produto que depois chega «às mãos» dos seus clientes. Até porque assim se pode focar noutras coisas.

Temos uma grande parceria com a Google e estamos a aproveitar a capacidade deles em criar ecossistemas de aplicações e funcionalidades no carro e o que já foi investido em controlo por voz e esse tipo de coisas.

Thomas Stovicek, responsável de User Experience (UX) da Volvo Cars

“Estamos a tirar proveito desse conhecimento e a trazê-lo para os nossos clientes, permitindo todas estas nossas possibilidades dentro do carro. E nós, enquanto fabricante automóvel, podemos focar-nos em coisas como criar a melhor experiência possível para os nossos clientes, enquanto produto”, acrescentou.

A NÃO PERDER: Volvo C40 Recharge (2022). O princípio do fim dos motores a combustão

Contudo, e mesmo que a tecnologia base seja «assinada» pela Google, contempla sempre o facto de ter de ser adaptada às exigências e ao perfil do cliente Volvo: “Acho que conseguimos fazer um bom trabalho ao criar uma usabilidade distinta. Os parceiros com que trabalhamos permitiram-nos criar o nível certo de personalização para os elementos que queremos ter personalizados. Fomos capazes de desenhar um sistema para os nossos clientes, capaz de responder aos seus problemas do dia a dia e ao que eles querem ver”, explicou-nos o responsável de UX da Volvo Cars.

volvo C40 recharge
O Volvo C40 Recharge é um dos modelos que terá acesso a estas novidades.

Inteligência Artificial é o futuro?

“Queremos dar alguma inteligência ao carro. Mas esta é uma daquelas coisas que vai melhorar e crescer ao longo do tempo. Faz definitivamente parte da nossa visão permitir que o sistema dê aos utilizadores algum tipo de conhecimento contextual, com base na forma como eles usam o carro e o que fazem quando o usam”, avançou Thomas Stovicek.

O grande objetivo passará sempre por encontrar um equilíbrio que permita melhorar e simplificar a experiência de utilização dos condutores: “estamos a tentar perceber para o futuro quais são as zonas onde as coisas precisam de ser mais manuais e, por outro lado, onde podemos ter inteligência artificial ou tecnologia preditiva para tornar as soluções mais simples para as pessoas”, disse Stovicek.

Thomas Stovicek
Thomas Stovicek, responsável de User Experience (UX) da Volvo Cars.

Mas a chamada “tecnologia preditiva” é algo que, de certa forma, já estará ao dispor dos condutores Volvo nas mais recentes novidades Google, através do Google Assistant, que consegue ir detetando hábitos e decifrando padrões de utilização ao longo do tempo.

“O que a Google traz para cima da mesa, em termos de parceria, é mais conhecimento sobre os utilizadores, o seu dia a dia e o seu comportamento diário, por meio do Google Assistant e de todas as outras capacidades de Inteligência Artificial. A Google é muito melhor nisso do que nós poderemos ser, até porque esse não é o nosso campo de trabalho”, ressalvou David Holecek.

YouTube agora, outras plataformas depois?

A possibilidade de aceder à plataforma YouTube a partir do sistema de infoentretenimento em todos os Volvo equipados com sistema operativo Android foi, naturalmente, uma das maiores novidades anunciadas pela marca.

LEIAM TAMBÉM: Volvo Cars anuncia Jim Rowan como novo diretor executivo e presidente

A partir de agora, ver vídeos no YouTube enquanto esperam por alguém ou enquanto aguardam durante um carregamento será uma realidade.

E no futuro existirão outras plataformas de streaming também disponíveis, até porque como nos contou o diretor da Experiência Digital da Volvo, esta é uma “estrutura aberta para que qualquer fornecedor de serviços de vídeo seja capaz de fazer algumas pequenas modificações e adaptações, de modo a que funcione bem no ambiente do carro e então possa ser publicado na Google Play Store”.

volvo youtube google

“Embora o YouTube seja o parceiro de lançamento para isto, não é uma coisa única feita com o YouTube, isso vai abrir o ecossistema para uma nova categoria de serviços de desenvolvimento por terceiros”, acrescentou.

Dados ilimitados com um cartão SIM digital

Através de um pacote denominado “Digital Services”, que geralmente se traduz em quatro anos gratuitos na compra de um novo Volvo, todos os serviços conectados da Google poderão ser usados sem restrições, já que os dados móveis são ilimitados. No final deste período de tempo o serviço — que consiste num cartão SIM digital — pode ser prolongado, mediante o pagamento de uma subscrição.

A NÃO PERDER: Volvo Cars. Vendas em alta, mesmo com as crises da indústria

“Estamos a colaborar com algumas das maiores operadoras de rede móvel do mundo para olhar para isto a partir de uma base regional, através de toda uma frota de carros, em vez de fazer assinaturas separadas para cada carro”, explicou-nos David Holecek.

“Isso por si só já nos permite obter taxas de dados muito melhores, claro, e também equilibrar o consumo de dados. E é dessa forma que podemos permitir esse tipo de oferta em que se pode realmente ouvir tanta música quanto a que se quiser, ver a quantidade de vídeo que se desejar e assim por diante. Todos os dados são incluídos”, acrescentou.

Para onde caminha a indústria?

Com os Volvo a poderem ser atualizados remotamente, sem precisar de se deslocarem fisicamente a um concessionário, e com plataformas como o Google Android Automotive a permitirem que a Volvo continue sempre em busca de novas e melhores funcionalidades, impunha-se uma pergunta: podemos esperar que no futuro o tempo de vida de um carro seja maior, porque vai sendo sempre atualizado?

Um dos aspetos chave em termos das mudanças fundamentais da indústria é afastarmo-nos da ideia de criar um produto absolutamente perfeito no início da produção e de que esse será o carro que vamos ter durante todo o período de vida do modelo.

David Holecek, diretor da Experiência Digital da Volvo Cars

“Temos que caminhar para uma experiência de evolução, onde o carro fica melhor a cada dia que passa, onde temos sempre novas atualizações e adições durante o ciclo de vida do carro, o que significa que ele vai sempre ficar melhor. Da mesma maneira que um smartphone ou um tablet fica”, disse, antes de “apontar” o dedo à indústria automóvel.

David Holecek
David Holecek, diretor da Experiência Digital da Volvo Cars.

“A indústria automóvel não tem sido boa nisso. Focamos tudo no lançamento do carro e isso é o que o cliente recebe, basicamente. Agora, com a força dos nossos parceiros, podemos seguir para esta nova era, para este novo mundo de experiências onde os clientes estão à espera de algo que evolua ao longo do tempo”, explicou.

“A indústria eletrónica e todo o setor das comunicações e dos sistemas de infoentretenimento não ficam parados. O que era verdade quando o carro foi desenhado, há vários anos, pode já não se verificar hoje em dia. Esta é uma mudança fundamental da qual nós estamos muito felizes por fazer parte”, disse, antes de concluir: “saber que o carro vai estar sempre atualizado, elimina alguma ansiedade às pessoas. Ao contrário de pensar que o carro vai ficar sempre cada vez mais velho”.

Sabe responder a esta?
Qual era a potência do Volvo P1800 original?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Volvo P1800. O coupé sueco mais especial de sempre está de parabéns

Mais artigos em Notícias