Híbridos, elétricos e GPL em Portugal. Qual destas opções liderou as vendas em 2021?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Mercado nacional

Híbridos, elétricos e GPL em Portugal. Qual destas opções liderou as vendas em 2021?

O crescimento das vendas em 2021 foi «tímido», mas entre os automóveis movidos a «energias alternativas» o caso foi bem diferente.

Elétricos, híbridos plug-in, híbridos convencionais e veículos bifuel (sejam a GPL ou GNC). Se há algo que atualmente não falta no mercado automóvel são motorizações movidas a «energias alternativas» e as vendas em 2021 mostram que o mercado nacional é cada vez mais fã destas soluções.

Prova disso mesmo é o facto de todos os ligeiros de passageiros movidos a «energias alternativas» terem visto as suas vendas crescer 54,2% no ano passado, apesar do crescimento do mercado ter sido de apenas 1,9%.

Começando pelos automóveis 100% elétricos, entre janeiro e dezembro de 2021 foram registados 13 260 automóveis movidos exclusivamente a eletrões, um aumento de 69,3% face a 2020. Contudo, o papel de best-seller dos automóveis movidos a «energias alternativas» não coube aos automóveis elétricos.

A NÃO PERDER: Ansiedade da autonomia. Quantos quilómetros um elétrico precisa para termos “paz de espírito”?
Peugeot e-2008

Híbridos lideraram

Apesar do sucesso dos elétricos, foram os automóveis híbridos convencionais (inclui mild-hybrids ou semi-híbridos) os «reis» das vendas entre os automóveis movidos a «energias alternativas». No total foram registados em 2021 um total de 19 082 automóveis híbridos, um aumento de 60,3% face à procura destes automóveis em 2020.

Entre os híbridos, 14 996 deles contavam com um motor a gasolina associado ao motor elétrico (+57,7% do que em 2020) e 4086 contavam com um motor Diesel, um valor consideravelmente mais baixo, mas que representa um aumento de 70,7% nas vendas deste tipo de automóveis.

Ford Kuga PHEV 2020

Já no que aos híbridos plug-in (de ligar à tomada) diz respeito o crescimento de vendas foi de 32%, tendo sido registadas 15 660 unidades movidas com este tipo de motorização.

Destas, 13 551 unidades eram híbridas plug-in com um motor a gasolina (+36,1%) e 2109 (+10,6%) contavam com um motor Diesel — provavelmente, todas da Mercedes-Benz, a única marca a ter esta opção.

A NÃO PERDER: Como é calculada a potência combinada dos automóveis híbridos?

Bifuel «a todo o gás»

Apesar dos híbridos convencionais terem sido os líderes de vendas entre os automóveis movidos a «energias alternativas» e de os elétricos terem registado um crescimento das vendas substancial de 69,3%, o maior salto foi dado pelos modelos movidos a gasolina e GPL (gás de petróleo liquefeito).

Com 3524 unidades registadas em 2021, este tipo de solução viu as suas vendas crescerem 94,2% face a 2020 — de momento só a Renault e a Dacia têm em comercialização este tipo de propostas.

Já os automóveis movidos a GNC (gás natural comprimido) apresentaram números (muito) mais modestos, com apenas 31 unidades vendidas durante 2021 (um reflexo claro da parca rede de abastecimento) e um tímido crescimento de 3,3% face a 2020.

Gasolina mantém a liderança

Apesar do aumento de vendas registado entre os automóveis ligeiros de passageiros movidos a «energias alternativas», a maior fatia das vendas foi para os automóveis a gasolina, com uma quota de 43%, seguido dos Diesel, com 21,9%:

  • Gasolina — 43%;
  • Diesel — 21,9%;
  • Híbridos — 13%;
  • Híbridos Plug-in — 10,6%;
  • Elétricos — 9,0%;
  • Bi-Fuel (GPL) — 2,4%.

Fonte: ACAP

Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançado o Opel Calibra?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lembras-te deste? Opel Calibra, esculpido pelo vento

Mais artigos em Notícias