Lancia quer «inspirar-se» na Mercedes-Benz para o seu relançamento

Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Indústria

Lancia quer «inspirar-se» na Mercedes-Benz para o seu relançamento

Neste seu regresso, a Lancia vai focar-se nos lucros em vez do volume de vendas e definiu a Mercedes-Benz como o «exemplo a seguir».

Com dez anos para assegurar a sua sobrevivência, a Lancia tem vindo a revelar os planos para o seu relançamento.

Primeiro ficámos a saber que a eletrificação vai ter um importante papel na marca italiana: em 2024 toda a sua gama será eletrificada e a partir de 2026 todos os seus novos modelos serão exclusivamente elétricos.

Depois, foi revelado que a partir de 2024 a marca transalpina vai deixar de estar «confinada» ao mercado italiano, voltando a ser comercializada em mais mercados europeus, algo que não acontece desde 2017.

A NÃO PERDER: Lancia quer «inspirar-se» na Mercedes-Benz para o seu relançamento
Lancia Ypsilon
O sucessor do Ypsilon estará mais focado em gerar lucros do que em ser um dos best-seller do segmento.

Agora, e depois de ter revelado que vem aí um Delta 100% elétrico, o diretor executivo da Lancia, Luca Napolitano, deu a conhecer um pouco melhor a estratégia de relançamento da marca.

O exemplo alemão

Para começar, Luca Napolitano revelou que neste regresso da Lancia o foco não estará no volume de vendas mas sim nos lucros, um modelo que já várias marcas adotaram.

Por exemplo, há uns anos, depois de entrar para o então Groupe PSA, a Opel fê-lo e a Renault também já aponta nessa direção, como pudemos ver no plano Renaulution.

Contudo, o mais interessante das declarações de Napolitano foi mesmo o de ter dito que vê na Mercedes-Benz como o exemplo a seguir para o futuro da Lancia.

Mercedes-Benz Classe A, CLA e Classe B
A Lancia quer «seguir o exemplo» da Mercedes-Benz e a eletrificação é um dos pilares que a marca italiana mais preza.

Luca Napolitano, no entanto, clarifica: “Não quero dizer que queremos competir (comercialmente) com a Mercedes, isso seria ingénuo, mas é um exemplo a seguir”.

Eletrificação será «ponta de lança»

Para ajudar a Lancia a alcançar os seus novos (e ambiciosos) objetivos, Luca Napolitano confia na estratégia de eletrificação da marca, afirmando: “a nossa estratégia de eletrificação agressiva e o foco em segmentos de mercado que são muito fortes na Europa vão ajudar-nos”.

Ainda sobre a expansão europeia da Lancia, o objetivo passa por estabelecer 100 pontos de venda em todo o continente, estando estes distribuídos por cerca de 60 cidades. Ao contrário do que acontece, por exemplo, com a CUPRA, estes espaços serão partilhados com outras marcas do grupo Stellantis.

Talvez por isso, Luca Napolitano vê com bons olhos o reforço dos canais de venda online, revelando que ambiciona “tornar possível comprar um automóvel com apenas três cliques”.

Fonte: Automotive News Europe

Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançado o Lancia Y?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Que cor escolher? O primeiro Lancia Y tinha 112 à escolha

Mais artigos em Notícias