Project CS. E se o novo BMW Série 2 Coupé tivesse sido assim?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Design

Project CS. E se o novo BMW Série 2 Coupé tivesse sido assim?

A imagem controversa do BMW Série 2 Coupé (G42) tem feito «correr muita tinta», mas estes dois designers parecem ter a solução…

Desde que foi conhecido, o novo BMW Série 2 Coupé (G42), apesar de ter evitado o uso de um duplo rim XXL, como o maior Série 4 Coupé, o seu estilo tem dado também «pano para mangas», que está longe de ser unânime.

O Guilherme Costa foi o conhecer a Munique, Alemanha e já o conduziu (vídeo abaixo). E apesar do motor e da dinâmica do mais potente M240i xDrive o ter impressionado, confirmou — in loco — o que as imagens já deixavam adivinhar: a traseira do novo coupé iria dividir opiniões como os duplos rim gigantes noutros BMW.

Mas… E se em vez deste desenho mais contemporâneo, agressivo e também controverso, o novo Série 2 Coupé se tivesse inspirado mais nos desenhos clássicos da marca, como o do Série 02 — o antecessor do BMW Série 3 — da década de 60 do século passado?

A NÃO PERDER: E se o novo BMW Série 2 Coupé G42 tivesse saído assim?

Bem, foi precisamente para responder a essa pergunta que os designers Tom Kvapil e Richer Gear uniram forças para criar o CS Project, um estudo independente que recupera, de forma mais direta, o 02 Series para o século XXI.

O resultado é um coupé que troca a agressividade visual por linhas muito mais depuradas e elegantes, que conta com vários detalhes que nos remetem de imediato para outras décadas. A grelha dianteira é um exemplo perfeito disso mesmo, ainda que tenha sido estilizada.

CS project BMW
Proporções clássicas de um tração traseira — capô longo, habitáculo recuado e eixo dianteiro em posição avançada — e que costumamos associar à BMW há muitas décadas. © Tom Kvapil e Richer Gear

As linhas muito bem vincadas, a assinatura luminosa muito rasgada e a ausência de pilar B (central) também ajudam a reforçar o caráter mais requintado e elegante deste protótipo, que conta com um tejadilho muito distinto, retrovisores laterais digitais e puxadores escondidos.

Qualquer que seja o ângulo em que olhamos para ele, este protótipo parece sempre transmitir a ideia de que foi feito a partir de uma só peça.

CS project BMW
Apesar da inspiração no passado, as óticas traseira unidas por uma faixa LED é uma solução hoje muito em voga. © Tom Kvapil e Richer Gear

Os para-choques e as saias laterais integradas na carroçaria ajudam a reforçar essa sensação, ao mesmo tempo que as jantes de grandes dimensões preenchem as generosas cavas das rodas.

LEIAM TAMBÉM: Heresia?! Este BMW M2 Competition tem um V8 Hellcat com 717 cv

Mas se o exterior conta com várias inspirações retro, o interior aponta decisivamente ao futuro. Além de um painel de instrumentos digital curvo, conta com um pequeno display integrado no volante e com uma consola central muito elevada que divide o habitáculo em dois.

CS project BMW © Tom Kvapil e Richer Gear

O resultado final deste projeto impressiona e não deixa ninguém indiferente, mas escusado será dizer que este protótipo nunca verá a luz do dia.

Pelo menos enquanto modelo à escala real, mas, apesar disso, estes dois designers já se comprometeram a produzi-lo à escala 1/18.

CS project BMW
O duplo rim assume também aqui uma posição vertical, mas é muito mais comedido na dimensão — a fazer lembrar os 1602 e 2002 do passado —, e contido no acabamento. © Tom Kvapil e Richer Gear

Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançada a geração E46 do BMW M3?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

BMW M3 Touring E46. Nunca houve uma carrinha M3, mas esteve perto de acontecer

Mais artigos em Notícias