Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

Audi Q4 e-tron e Q4 Sportback e-tron revelados. Tudo o que precisam de saber

Os novos Audi Q4 e-tron e Q4 Sportback e-tron são as mais recentes adições à família de elétricos da marca e os primeiros assentes sobre a plataforma para elétricos MEB.

E aqui estão eles. Já o tínhamos visto camuflado e já tínhamos visto o seu interior. Agora podemos apreciar devidamente as formas e linhas definitivas do novo Audi Q4 e-tron e do “irmão” de silhueta mais desportiva, o Q4 Sportback e-tron.

O novo par de SUV elétricos são os primeiros modelos da Audi a recorrer à plataforma MEB do Grupo Volkswagen, a mesma que podemos encontrar no Volkswagen ID.4, Skoda Enyaq iV e que também fará parte do futuro CUPRA Born.

Com 4590 mm de comprimento, 1865 mm de largura e 1613 mm de altura, o Audi Q4 e-tron aponta “baterias” a rivais como o Mercedes-Benz EQA ou o Volvo C40 Recharge e promete um habitáculo vasto com muita tecnologia a bordo, destacando-se, por exemplo, o head-up display com realidade aumentada.

VEJAM TAMBÉM: Audi Q4 e-tron. Fica a conhecer todos os segredos do seu interior
Audi Q4 e-tron

As linhas, indiscutivelmente Audi e bastante próximas aos concepts que os anteciparam, revelam ser, também, bastante aerodinâmicas, apesar de se tratarem de carroçarias com genes SUV (altas). O Cx é de apenas 0,28 e este é ainda menor no Sportback — apenas 0,26 —, fruto da sua silhueta mais esguia e linha de tejadilho arqueada.

Ainda no capítulo da aerodinâmica, a Audi destaca o seu aprofundado trabalho de otimização da mesma. Desde aletas nas entradas de ar dianteira que abrem ou fecham de acordo com a necessidade de refrigeração das baterias (garantindo mais 6 km de autonomia) até à otimização ocorrida no fundo do carro.

Este apresenta spoilers à frente das rodas dianteiras que otimizam o fluxo de ar (+14 km de autonomia), tem os braços de controlo do eixo traseiro parcialmente revestidos (+ 4 km de autonomia) e recorre ainda a um difusor traseiro que reduz a sustentação positiva sobre o eixo traseiro.

VEJAM TAMBÉM: Até 770 km de autonomia e 523 cv. Os números do Mercedes-Benz EQS

Espaço não falta

Como temos visto nos outros modelos de base MEB, também o par de Q4 e-tron prometem cotas internas muito generosas, que se equiparam às de modelos maiores, de segmentos acima do seu.

Algo só possível por via da arquitetura usada: não só os motores elétricos ocupam menos volume, como as baterias, colocadas no chão da plataforma entre os eixos, permitem libertar preciosos centímetros em comprimento no habitáculo. E claro, com os motores posicionados diretamente sobre os eixos, deixa de haver um túnel de transmissão, com o piso do habitáculo a ser totalmente plano.

O mesmo podemos afirmar sobre a bagageira, bastante ampla para as dimensões deste SUV. A Audi anuncia 520 l de capacidade para o Q4 e-tron, um valor idêntico ao do maior Q5. No caso do mais desportivo Q4 Sportback e-tron, esse valor cresce, curiosamente, para os 535 l.

A Audi anuncia ainda um total de 25 l em espaços de arrumação — incluindo o porta-luvas — no habitáculo do Q4 e-tron.

Talvez o mais curioso seja o espaço que permite arrumar garrafas de até um litro de capacidade, posicionado na parte superior da porta:

Espaço para arrumar garrafas
Como dá para ver, à frente dos comandos dos vidros elétricos e da regulação dos retrovisores, existe um compartimento que permite guardar garrafas com até um litro de capacidade. Engenhoso, não?
VEJAM TAMBÉM: Testámos o Audi Q2 30 TFSI, com o motor menos potente. É preciso mais?

Digitalização domina, mas…

Como seria de esperar, a digitalização domina no interior. No entanto, ao contrário de outras propostas, incluindo aquelas dentro do Grupo Volkswagen que recorrem a esta mesma base, a Audi não cedeu às tendências minimalistas que “varrem” do habitáculo todos os botões físicos.

Tal como vimos no novo A3, a Audi conserva alguns comandos físicos, como os da climatização, que evitam recorrer ao sistema de infoentretenimento MMI Touch (10,1″ de série, opcionalmente com 11,6″) para interagirmos com ele — a usabilidade agradece.

Mas tecnologia não falta a bordo. O painel de instrumentos é o já nosso conhecido Audi Virtual Cockpit de 10,25”, mas a grande novidade passa pelo recurso a um novo head-up display com realidade aumentada (opcional).

O Q4 e-tron é o primeiro Audi a ter esta tecnologia, que permite sobrepor informação (onde se inclui comandos de navegação) ao nosso campo de visão, projetada no para-brisas com diferentes graus de profundidade, parecendo estar a “flutuar” sobre o que estejamos a ver.

Realidade aumentada
VEJAM TAMBÉM: Audi e-tron GT já chegou a Portugal. Toda a gama e preços

 

Três níveis de potência, duas baterias

O novo Audi Q4 e-tron será lançado, inicialmente, com três versões: Q4 35 e-tron, Q4 40 e-tron e Q4 50 e-tron quattro. Associado a elas teremos também duas baterias: uma de 55 kW (52 kWh líquidos) e outra, maior, de 82 kWh (77 kWh líquidos).

O Audi Q4 35 e-tron vem equipado com um motor traseiro de 170 cv de potência (e 310 Nm) — logo, a tração é traseira —, e surge associado à bateria de 55 kWh, atingindo os 341 km de autonomia. O Q4 Sportback 35 e-tron, consegue ir um pouco mais longe, alcançando 349 km.

Audi Q4 e-tron

O Audi Q4 40 e-tron mantém apenas um motor traseiro e a tração traseira, mas passa a debitar 204 cv (e 310 Nm) e serve-se da bateria de 82 kWh. A autonomia é de 520 km e é aquela que mais longe vai entre todos os Q4 e-tron.

O topo de gama é, para já o Q4 50 e-tron quattro. Como o nome indica, passa a ter tração às quatro rodas, cortesia de um segundo motor montado no eixo dianteiro com 109 cv, que faz com que a potência máxima suba até aos 299 cv (e 460 Nm). Só está disponível com a bateria de 82 kWh e a sua autonomia é de 488 km no Q4 e-tron e de 497 km no Q4 Sportback e-tron.

Audi Q4 e-tron

Em matéria de performance os 35 e-tron e 40 e-tron conseguem acelerar até aos 100 km/h em, respetivamente, 9,0s e 8,5s, com ambos a estarem limitados a 160 km/h. O 50 e-tron quattro alcança os 100 km/h em mais interessantes 6,2s, enquanto a velocidade máxima sobe até aos 180 km/h.

Se as prestações parecem apenas… simpáticas, talvez a massa destes SUV elétricos seja a principal responsável. Como sabemos, as baterias são sinónimo de enorme lastro, com o Audi Q4 e-tron a acusar 1890 kg na sua versão mais leve (30 e-tron), e 2135 kg na mais pesada (50 e-tron quattro).

Carregamentos

Os Audi Q4 e-tron e Q4 Sportback e-tron podem ser carregados até 11 kW com corrente alternada e 125 kW com corrente contínua. Neste último caso, 10 minutos de carregamento são suficientes para recuperar 208 km de autonomia.

Com a bateria mais pequena (55 kWh), os valores de potência descem um pouco, podendo carregar até 7,2 kW com corrente alternada e 100 kW com corrente contínua.

Sob controlo

Ao ter a bateria colocada entre os eixos, no chão da plataforma MEB, garante ao Q4 e-tron um centro de gravidade mais baixo do que aquele esperado num SUV. Também a distribuição de peso sai beneficiada, estando próxima dos 50/50 em todas as versões.

Audi Q4 Sportback e-tron

A suspensão dianteira obedece a um esquema MacPherson, enquanto atrás temos uma suspensão multibraços — cinco no total —, similar em design à usada em modelos de maior dimensão da marca. As rodas são também de grande dimensão, com as jantes a terem diâmetros entre as 19″ e as 21″, com alguns dos designs a terem como foco uma superior performance aerodinâmica.

A parte mais curiosa sobre a configuração destes novos modelos é que são, na sua maior parte, de tração traseira, uma característica incomum na Audi. Além do R8, não existem modelos concebidos de raíz para serem tração traseira na marca. A tendência nestes SUV será, assim, de sobreviragem e não subviragem, mas a marca de Ingolstadt diz que os sistemas de controlo, como o ESC (estabilidade), estarão alertas para garantir o comportamento preciso e seguro que reconhecemos da marca.

Audi Q4 e-tron

Porém, há espaço para tornar a dinâmica mais acutilante. Estarão disponíveis dois pacotes dinâmicos opcionais: Dynamic e Dynamic Plus. O primeiro adiciona uma suspensão desportiva (de série no S line) que reduz a distância ao solo em 15 mm, substitui a direção por uma progressiva (de série nos quattro) e adiciona modos de condução (de série no Sportback).

O segundo, o Dynamic Plus, adiciona amortecimento adaptativo, capaz de se ajustar automaticamente em intervalos de cinco milissegundos. Intervém ainda sobre os travões com a ajuda do ESP (controlo de estabilidade), para melhor distribuir o binário às rodas que mais precisam.

Tambores de volta

A travagem estará a cargo de discos dianteiros que terão um diâmetro entre 330 mm e 358 mm. Mas atrás teremos o “bom e velho” tambor… Como? Isso mesmo.

É fácil de justificar esta decisão da Audi. A verdade é que nos veículos elétricos, com sistemas de travagem regenerativa, o sistema de travagem mecânico não tem o uso frequente e intenso como num veículo com motor de combustão interna. A longevidade das pastilhas e discos é várias vezes maior, necessitando de uma muito menor frequência de substituição — casos de pastilhas durarem bem mais de 100 mil quilómetros são mais que muitos.

Recorrendo aos travões de tambor, permite reduzir também o desgaste, a manutenção é também inferior e o risco de corrosão também é mais baixo.

Audi Q4 Sportback e-tron

O Audi Q4 e-tron em Portugal

A chegada ao nosso mercado do Audi Q4 e-tron está indicada para o mês de junho, com preços a começar nos 44 700 euros. O Q4 Sportback e-tron chegará mais tarde, prevendo-se que o seu lançamento aconteça no final do verão, não havendo ainda estimativa de preços.

Mais artigos em Notícias