Indústria

Sinais positivos. Autoeuropa prepara reabertura, há mais fábricas na Europa que vão retomar a produção

A Autoeuropa anunciou o regresso à produção, mas não é a única. A indústria automóvel europeia envia os primeiros sinais positivos de recuperação.

Após mais de um mês de paragem, eis que surgem os primeiros sinais de que a indústria automóvel europeia retoma a atividade. Em Portugal, a Autoeuropa anunciou o regresso à produção, e a Renault Cacia já produz. A fábrica de Mangualde da PSA ainda não anunciou data, mas já prepara o reinício de atividade.

A Autoeuropa anunciou que retomará a produção a partir do dia 27 de abril — a produção estava suspensa desde o dia 17 de março. Uma medida que abrangerá 18 empresas fornecedoras do parque industrial da Autoeuropa.

No entanto, a produção será retomada de forma gradual por diversos motivos, algo que é comum a todos aqueles que já anunciaram o reinício de produção.

VÊ TAMBÉM: CoVid-19. Todas as fábricas fechadas ou afetadas na Europa (em atualização)
Volkswagen T-Roc
O Volkswagen T-Roc é o mais recente modelo produzido na fábrica da AutoEuropa em Palmela.

Primeiro que tudo, e como principal prioridade, a retoma gradual permite que se garanta a proteção da saúde de todos os funcionários — haverá maior controlo de entradas com realização de testes, assim como o recurso a equipamentos de proteção, entre outros.

Segundo, o efeito disruptor do coronavírus não permite um retorno a “todo o vapor” da indústria em simultâneo: há fornecedores externos que podem ainda não ter conseguido reiniciar atividade, há requisitos distintos por parte dos governos, etc.

Cacia já produz, Mangualde prepara-se

Se a Autoeuropa já tem data programada para retomar a produção, a Renault Cacia, em Aveiro, já retomou a sua atividade desde o dia 13 de abril, ainda que de forma reduzida.

Em relação ao Centro de Produção de Mangualde do Groupe PSA ainda não foi anunciada uma data de regresso à produção, mas o reinício está a ser preparado tendo anunciado a implementação de um protocolo de reforço das medidas sanitárias.

Berlingo, Partner e Combo são produzidas em Mangualde
Berlingo, Partner e Combo são produzidas em Mangualde

Este protocolo, “partilhado com as autoridades regionais de Saúde e a Inspeção do Trabalho e enriquecido com a contribuição dos elementos da Comissão de Trabalhadores, e submetido a uma auditoria”, diz a PSA em comunicado, engloba mais de 100 medidas que abrangem todas as atividades do grupo.

Entre elas, o controlo de temperatura, automonitorização de sintomas, aprovisionamento de equipamentos de proteção individual (EPI), marcações no solo para manutenção de distâncias de segurança, constituição de sala de isolamento, formação e conselhos essenciais de higiene e saúde, entre outros.

E na Europa?

No restante continente, também surgem sinais positivos por parte da indústria automóvel europeia. O mais recente anúncio veio por parte da Toyota, que aponta para o dia 22 de abril o reinício da produção em França, 23 de abril na Polónia e 4 de maio para as suas fábricas no Reino Unido, Turquia e República Checa.

Não é só em Portugal que a Volkswagen está para retomar a sua atividade. O grupo alemão fez anúncios idênticos para as suas fábricas em Zwickau, na Alemanha, e na Bratislava, na Eslováquia, já a partir do dia 20 de abril. A fábrica de motores da Audi em Gyor, na Hungria, já retomou atividade na passada terça-feira (14 de abril) ainda de que forma reduzida.

Volvo V90 Cross Country 2020
Volvo V90 é produzida em Torslanda, na Suécia.

A Hyundai também já retomou a produção na sua fábrica na República Checa; a Volvo reiniciará a produção em Torslanda, Suécia a partir do dia 20 de abril; e a Magna-Steyr, que produz o Classe G para a Mercedes-Benz na Áustria, já reiniciou a produção do emblemático todo o terreno.

Ainda não é o regresso à esperada normalidade, mas são sinais positivos de que estamos a progredir na direção certa, seja ao nível da retoma da indústria automóvel europeia, como também no combate ao coronavírus.


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Mais artigos em Notícias