Condução autónoma

Mais focada. Volvo cria empresa para acelerar desenvolvimento da condução autónoma

O fim da Zenuity, joint venture entre a Volvo e a Veoneer, não são más notícias. Esta desenvolvia sistemas avançados de assistência à condução e sistemas para condução autónoma.

Em 2017, fruto de uma joint venture entre a Volvo e a Veoneer (empresa de equipamento de segurança automóvel, um spin off da Autoliv), formou-se a Zenuity, cujos objetivos eram essencialmente dois: o desenvolvimento de sistemas avançados de assistência à condução; e o desenvolvimento de sistemas para condução autónoma.

Agora, três anos depois, a Zenuity acaba e separar-se-á em duas partes, cada uma focada em cada um desses objetivos iniciais.

Assim, uma parte ficará focada no desenvolvimento e comercialização de software para condução 100% autónoma, originando uma nova empresa independente, detida pela Volvo Cars. A outra parte ficará exclusivamente focada no desenvolvimento dos sistemas de assistência à condução e será integrada na Veoneer.

VÊ TAMBÉM: Porsche diz não à condução autónoma total nos automóveis
Volvo

Apesar do desmembramento da Zenuity, as duas partes continuarão a alavancar o trabalho já iniciado, sobretudo o que se refere ao desenvolvimento da uma plataforma de software a ser usada por sistemas de condução autómoma e de assistência à condução.

Esta mudança também implica a transferência das operações e colaboradores que estavam sediados em Gotemburgo (Suécia) e em Xangai (China) para a nova empresa da Volvo Cars, assim como a integração na Veoneer das operações e colaboradores que estavam localizados em Munique (Alemanha) e Detroit (EUA).

A nova empresa detida pela Volvo Cars será, no entanto, independente desta, tendo o seu próprio canal de distribuição. Poderemos ver os resultados dos seus desenvolvimentos no que toca a software para sistemas de condução autónoma na próxima geração de modelos da Volvo baseados na SPA2, a evolução da plataforma que atualmente serve os Volvo da família 60 e 90.

“A Volvo Cars pretende introduzir na próxima geração de automóveis, sistemas completamente autónomos de condução em autoestradas. Isto será possível ao permitirmos agora que a nova empresa se foque totalmente no desenvolvimento destes sistemas.”

Håkan Samuelsson, CEO Volvo Cars
VÊ TAMBÉM: Testámos o Volvo XC60 B5. O que mudou em relação ao XC60 D5, que substitui?

A nova empresa, à espera de um nome, deverá estar operacional durante o terceiro trimestre de 2020. Como refere Dennis Nobelius, atual CEO da Zenuity:

“Esta nova empresa irá desenvolver software avançado para uma condução autónoma segura. Acreditamos que no futuro, só existirá um número limitado de plataformas globais para a condução autónoma. Pretendemos que uma dessas plataformas vencedoras seja a nossa.”


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Sabes responder a esta?
Qual foi o primeiro coupé da Volvo?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

História. Os coupés da Volvo que antecederam o Polestar 1

Mais artigos em Notícias