Indústria

Volkswagen Autoeuropa. “Somos servidos por estradas que ameaçam pessoas e bens”

O maior investimento estrangeiro em Portugal, a Volkswagen Autoeuropa, queixa-se da falta de investimento das autoridades nacionais nas vias de acesso à fábrica.

Buracos, poças de água, regos na estrada. Foi através da rede LinkedIn que os responsáveis da fábrica Volkswagen Autoeuropa manifestaram publicamente o descontentamento relativamente ao estado de degradação das vias de acesso à fábrica.

Um estado de degradação tão avançado que, na opinião dos responsáveis da fábrica de Palmela, é uma “ameaça à segurança de pessoas e bens”.

A acompanhar a publicação no LinkedIn, os responsáveis da fábrica de Palmela anexaram três imagens.

 

VÊ TAMBÉM: O Volkswagen T-Roc R já tem preços para Portugal

Neste post, os responsáveis da «fábrica de Palmela» aproveitaram ainda para recordar a importância da fábrica para o país e para a região: “Somos o maior investimento estrangeiro em Portugal, o segundo maior exportador e a sexta maior empresa portuguesa”. Uma lembrança que é secundada por um alerta final:

A atratividade de Portugal não depende apenas de uma boa imagem no exterior. A que projetamos internamente é tão ou mais importante.

Contactado pela Razão Automóvel, João Delgado, responsável pela comunicação e relações institucionais da Volkswagen Autoeuropa, afirmou que os responsáveis da fábrica têm “feito todos os esforços para resolver esta situação junto da entidade responsável , porém sem sucesso — apesar das boas relações institucionais que mantemos”.

A Razão Automóvel contactou também a Câmara Municipal de Palmela, mas ainda não obtivemos resposta.

Volkswagen Autoeuropa. Mais do que uma fábrica de automóveis

Fundada em 1991, a Volkswagen Autoeuropa — inicialmente nascida de uma joint-venture entre o Grupo Volkswagen e a Ford — é atualmente responsável por 75% de toda a produção automóvel nacional e representa 1,6% do PIB português.

Modelos conhecidos dos portugueses, como é o caso do SEAT Alhambra, Volkswagen Sharan, Eos, Scirocco e mais recentemente, Volkswagen T-Roc, são apenas uma das faces mais visíveis da Volkswagen Autoeuropa.

Porém, a fábrica do Grupo Volkswagen localizada em Palmela não se dedica apenas à montagem final de automóveis. Dos 38,6 milhões de peças estampadas que saíram da Autoeuropa em 2019, 23 946 962 foram para exportação.

Volkswagen Autoeuropa
Parte da equipa da Volkswagen Autoeuropa a celebrar o marco histórico. No total, trabalham mais de 5800 pessoas na fábrica de Palmela.

Peças estampadas que fornecem 20 fábricas espalhadas por nove países e três continentes, e que têm como destino final modelos das marcas SEAT, Škoda, Volkswagen, AUDI e Porsche.

Forte investimento em 2020

Apesar dos constrangimentos nos acessos à Autoeuropa, a Volkswagen já anunciou um investimento de 103 milhões de euros para 2020.

Volkswagen Autoeuropa
Imagem aérea da Volkswagen Autoeuropa.

Parte desse investimento será alocado à modernização e automatização do armazém de logística interna e à construção de uma nova linha de corte na zona das prensas metálicas.

VÊ TAMBÉM: Lembras-te quando as capotas metálicas eram a “última bolacha do pacote”?

Recorde de produção em 2019

Nunca a Volkswagen Autoeuropa produziu tantas unidades como no ano passado.

Em 2019 saíram da linha de produção da fábrica de Palmela mais de 254 600 automóveis. Um número recorde e um dos motivos pelos quais a fábrica portuguesa da Volkswagen está no topo das tabelas de eficiência e qualidade do grupo alemão.

Volkswagen Autoeuropa
O momento em que saiu da linha de produção a unidade 250 000.

Fazendo as contas, da Volkswagen Autoeuropa saem todos os dias mais de 890 carros. Um número que em 2020 poderá aumentar, em virtude dos investimentos que o Grupo Volkswagen tem vindo a fazer na fábrica portuguesa.

Mais artigos em Notícias