Transmissão

Transmissões. Conhece as últimas novidades, desde uma manual até outra só para elétricos

Nas últimas semanas têm sido vários os anúncios sobre novos desenvolvimentos no que toca a transmissões. Reunimos as mais recentes novidades.

Nem só de novos modelos se faz a indústria automóvel. Nas últimas semanas, vários foram os construtores e fornecedores a anunciar novos desenvolvimentos no que toca a transmissões. E como poderão ver, há de tudo um pouco, desde uma nova caixa manual, a uma caixa de duas velocidades para… elétricos.

ZF fornece à FCA nova geração da 8HP

A 8HP (8 velocidades com conversor Hidráulico e conjunto de engrenagens Planetárias) da ZF é presença ubíqua no mercado, mas também uma das melhores transmissões automáticas que o dinheiro pode comprar — pelo menos se o carro em questão tiver o motor em posição longitudinal.

Encontramo-la em diversos automóveis e diversos construtores: desde o BMW X3 ao Alfa Romeo Giulia, da Ram Pick-up ao Jaguar F-Type, até ao luxuoso Rolls-Royce Phantom ou o desportivo Aston Martin DBS Superleggera.

VÊ TAMBÉM: Aston Martin Vantage AMR estreia uma… caixa manual de sete velocidades
ZF 8HP
8HP, a transmissão da ZF para veículos com motor longitudinal, de tração traseira ou integral.

A FCA (Fiat Chrysler Automobiles) reforça agora o seu compromisso com a ZF, celebrando um contrato para o fornecimento da quarta geração da 8HP, que só iniciará produção em 2022.

Entre as novidades da nova 8HP, a maior será a possibilidade de integrar uma componente elétrica, fruto da sua modularidade, opção indicada para futuras propostas híbridas plug-in. Assim, garante a flexibilidade necessária aos construtores para reagir e adaptar-se aos requisitos do mercado, sem ser necessário recorrer a uma transmissão distinta.

Não sabemos que modelos da FCA serão equipados com a quarta geração da 8HP, mas dado os anúncios mais recentes do grupo referentes a híbridos plug-in, é de esperar que a nova transmissão faça parte do arsenal tecnológico destas, sobretudo os seus modelos de maior dimensão — aqueles que mantém o motor em posição longitudinal.

VÊ TAMBÉM: A Alfa Romeo faz hoje 108 anos. Nós celebramos assim…

Duas velocidades… para elétricos

As novidades da ZF não se ficam pela nova geração da 8HP. A fornecedora desenvolveu também uma nova transmissão para carros 100% elétricos com duas velocidades… Apenas duas velocidades? Bem é duas vezes mais do que vemos nos elétricos de hoje em dia.

ZF 2-speed drive
Mais autonomia ou performance? Os dois, com a nova transmissão de duas velocidades da ZF para elétricos.

Os carros elétricos, regra geral, não necessitam de caixa de velocidades. O binário disponível desde as zero rotações faz com só seja preciso uma relação fixa. Uma solução que, segundo a ZF, nem sempre é a ideal.

A nova transmissão é composta por um motor elétrico com 140 kW (190 cv), transmissão de duas velocidades, e respetiva eletrónica de controlo. De acordo com a ZF, por cada ciclo, a autonomia do veículo em questão pode aumentar até 5% quando comparado com um sistema convencional de uma relação.

A mudança de relação acontece aos 70 km/h, mas outras estratégias podem ser adotadas. Caso a transmissão seja ligada ao sistema de comunicação CAN do veículo, poderá ligar-se ao GPS e mapas digitais, o que lhe permite ganhar características preditivas. Dessa forma, pode adotar a melhor estratégia de mudança de relação no trajeto a efetuar, tendo em conta variáveis como a topografia, ou a localização dos postos de carregamento.

Também promete ser uma melhor solução para os que procuram performance, graças à sua abordagem modular:

Até agora, com motores elétricos, os construtores automóveis tinham de escolher entre um (valor de) binário elevado inicial ou uma velocidade máxima elevada. Estamos agora a resolver este conflito e esta nova transmissão será compatível para veículos de performance e (veículos) pesados — por exemplo, veículos que carregam um atrelado.

Bert Hellwig, Chefe da System House na divisão E-Mobility da ZF

Neste caso, o motor elétrico pode ter até 250 kW (340 cv) garantindo melhores acelerações e velocidades máximas mais elevadas.

RELACIONADO: Koenigsegg Regera: dos “0-200” em apenas 6,6 segundos

Volkswagen MQ281

Condenada inúmeras vezes à extinção, parece que ainda não é desta que veremos o fim da caixa de velocidades manual. A Volkswagen acaba de revelar a nova MQ281, concebida a pensar na eficiência, que permitirá, de acordo com o construtor, poupar até 5 g/km de CO2, dependendo da combinação motor-caixa.

MQ281 manual transmission
MQ281

O Volkswagen Passat será o primeiro a recebê-la, mas será usada em grande parte das marcas do enorme grupo alemão.

Concebida para enfrentar as exigências do automóvel de hoje — ou seja, a tendência para SUV e rodas de grandes dimensões, que obriga a esforços extra por parte das transmissões — a nova MQ281 acabará por substituir praticamente as MQ250 e MQ350, ao estar preparada para lidar com um intervalo de binário entre 200 Nm e 340 Nm.

Desenvolvida com recurso a métodos virtuais, permitiu otimizar diversas áreas, como o atrito, lubrificação — a Volkswagen diz que necessita apenas de 1,5 l de óleo para toda a sua vida útil —, ruído e vibrações (novo desenho da caixa exterior).

A nova MQ281 será produzida em Córdoba, na Argentina, e também em Barcelona, Espanha, através da SEAT e da sua unidade SEAT Componentes.

RELACIONADO: Este vídeo de 1936 explica como funciona uma caixa manual

Hyundai Active Shift Control

Por fim, não se trata de uma nova transmissão, mas está relacionado com o tema. A Hyundai apresentou uma tecnologia denominada Active Shift Control, que permite reduzir em 30% o tempo de mudança de relação nas suas propostas híbridas, aumentando a sua eficiência.

Hyundai Active Shift Control

A tecnologia Active Shift Control (ASC) aplica uma nova lógica de controlo do software à Unidade de Controlo Híbrida (HCU) — que monitoriza a velocidade de rotação da transmissão 500 vezes por segundo —, o que permite comandar o motor elétrico, que por sua vez alinha a velocidade de rotação do motor e transmissão, conseguindo dessa forma, reduzir o tempo de mudança de relação, de 500ms para 350ms.

Resultado: não só melhora a aceleração, como a economia de combustível, conseguindo também mudanças mais suaves, apesar de mais rápidas. Contribui também para o aumento da durabilidade da transmissão, ao reduzir o atrito durante a mudança de relação.

Hyundai Active Shift Control
Esquema de funcionamento do sistema Active Shift Control

O primeiro carro a ser equipado com este sistema será no próximo Hyundai Sonata Hybrid, não comercializado em Portugal, mas certamente veremos esta solução chegar a outras propostas híbridas da marca, como o Ioniq.

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos