Desde 55 450 euros

Ensaiámos o Alfa Romeo Giulia Veloce na versão Diesel mais potente

Este Alfa Romeo Giulia é um «vira-cabeças». A sua cor, juntamente com as linhas dinâmicas e atraentes, não deixam ninguém indiferente. Mas será que há mais conteúdo para lá da aparência?

Desde 2012 que a Alfa Romeo está em profunda renovação. O Alfa Romeo 4C foi o primeiro modelo desta nova fase — nasceu com o propósito de avivar a paixão pela marca — e pouco depois surgiu o Giulia. Um modelo que estreou uma nova plataforma, novas tecnologias, e uma nova abordagem à muito amada Alfa Romeo.

Com o novo Alfa Romeo Giulia, a marca conseguiu conciliar o inconfundível estilo italiano, num pacote que cumpre de forma muito competente as obrigações familiares sem beliscas o prazer de condução.

As linhas do Giulia são praticamente inquestionáveis, e a versão Veloce em ensaio realça-as ainda mais. Quanto à cor… resulta muito bem. Haja coragem para encomendar um assim…

Alfa Romeo Veloce

A sigla Veloce identifica as versões mais desportivas da marca, imediatamente antes das versões Quadrifoglio. Seja pelas jantes de liga leve de 18”, pelas pinças de travão em amarelo com o nome da marca a contrastar com o azul céu deste modelo, ou pelo defletor traseiro com as duas ponteiras nas extremidades integradas no para-choques, tudo sobressai nesta versão do Alfa Romeo Giulia. Nas laterais destacam-se ainda as siglas Veloce desta versão.

Particularmente nesta configuração, o Giulia é o alvo das atenções por onde quer que passe.

No interior o bom gosto mantém-se, com um ou outro pormenor na escolha de materiais que poderá merecer critica, mas no geral o resultado é muito positivo. O conjunto de soluções e comandos parece ser inspirado em vários modelos da concorrência, sem que o Alfa Romeo Giulia perca identidade.

No geral dispomos de um ambiente homogéneo, de onde destacamos o ecrã central do sistema de infoentretenimento incorporado na consola. Por seu lado, e já o tínhamos referido no ensaio ao Alfa Romeo Stelvio, este sistema de infoentretenimento carece de um update urgente. Seja em termos de funções, como em termos de facilidade de funcionamento, fica aquém daquilo que a concorrência faz.

Tração traseira, motor longitudinal
O Giulia é também o primeiro sedan da Alfa Romeo em mais de duas décadas, a utilizar uma plataforma de tração traseira com motor longitudinal — que recebeu o muito italiano nome de Giorgio —, desde que o modelo Alfa Romeo 75 foi descontinuado em 1992. A unidade em ensaio dispunha no entanto do sistema de tração integral da marca, denominado de Q4.

O Diesel mais potente

Mas é ao volante que o Alfa Romeo Giulia nos brinda com uma condução entusiasmante. Aqui na versão de 210 cv do motor Diesel 2.2 l — a marca identifica-o como um 2.2, mas com 2143 cm3, tecnicamente é um 2.1 —, com a caixa automática de oito relações da ZF e umas patilhas que incentivam a uma condução mais empolgada. Mais um aspeto que já tínhamos elogiado no ensaio ao Alfa Romeo Stelvio.

A solução encontrada pela marca para as patilhas do volante merece vénia, tal é a sua perfeição. O material, a precisão, o toque, e o facto de serem fixas à coluna de direção fazem delas as melhores que temos testado, e os seus 16 cm mantêm-nas sempre ao alcance de um dos dedos, seja qual for a posição do volante.

RELACIONADO: Alfa Romeo Giulia Coupé híbrido com 650 cv a caminho?

Depois, para um comportamento ainda mais exemplar e disciplinado, podemos contar com a tração integral Q4, patenteada pela marca, e que permite ao Alfa Romeo Giulia curvar de uma forma sempre controlada, com uma estabilidade de referência, mesmo em condições de piso irregular ou menor aderência.

A distribuição de peso do Giulia é perfeita, 50% à frente e 50% atrás

DNA apurado

O sistema DNA da Alfa Romeo permite selecionar três modos de condução — Dynamic, Normal, e All Weather. E se no modo Normal já se reconhecem as aptidões dinâmicas do Alfa Romeo Giulia, é no modo Dynamic que estas são elevadas ao seu expoente máximo. As passagens de caixa ganham outro… impacto, e são sentidas de outra forma, bem como o acelerador que ganha outra reatividade.

Para condições metereológicas mais adversas ainda podemos contar com o All Weather que ajusta os parâmetros de forma a que as reações sejam mais suaves, e portanto mais adequadas ao tempo chuvoso.

Com um comportamento em muito ajudado pelo sistema de tração integral, e sem esquecer a sua vocação de familiar com linhas elegantes, modernas e que se destacam, este Alfa Romeo Giulia é um dos mais recentes modelos da marca italiana que vem provar que tem tudo para proporcionar muitas mais alegrias a quem o conduz. A parte boa? É que continua a ser um bom familiar.

Ficha técnica
Alfa Romeo Giulia Veloce Diesel
Configurar este modelo

Preço

unidade ensaiada

65.030

Versão base: €55.450

IUC: €255

Classificação Euro NCAP: 5 / 5

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cil. em linha
    • Capacidade: 2143 cm3
    • Posição: Longitudinal
    • Carregamento: Inj. Dir. Common-rail, Turbo de Geometria Variável, Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro
    • Potência: 210 cv às 3750 rpm
    • Binário: 470 Nm às 1750 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Integral
    • Caixa de velocidades: Automática de 8 relações
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4643 mm / 1860 mm / 1450 mm
    • Distância entre os eixos: 2820 mm
    • Bagageira: 480 l
    • Jantes / Pneus: 225/45 R18 à frente, 255/45 R18 atrás
    • Peso: 1610 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 4,7 l/100 km
    • Emissões de CO2: 122 g/km
    • Vel. máxima: 235 km/h
    • Aceleração: 6,8s
Avaliação
7 / 10
O Giulia é um automóvel apelativo e bem conseguido do ponto de vista dinâmico, que convida a tirar partido de um chassis saudável e uma condução invejável, sem esquecer a qualidade de vida a bordo.
  • Conjunto motor + caixa de velocidades
  • Patilhas da caixa automática
  • Comportamento dinâmico
  • Sistema de infoentretenimento
  • Alguns materiais

Mais artigos em Testes, Ensaio

Os mais vistos