Vídeo

Novo Renault Clio em vídeo. Testámos a 5ª geração do carro mais vendido em Portugal

Terá a nova geração do novo Renault Clio os argumentos necessários para continuar a ser líder absoluto em Portugal, e líder no segmento na Europa?

Em Alentejo, Portugal

O peso da responsabilidade é grande sobre os (bem definidos) ombros da 5ª geração do Renault Clio. Um nome que conhecemos pela primeira vez em 1990 e que é o mais vendido de sempre da marca do losango — mais de 15 milhões de unidades vendidas, distribuídas por quatro gerações.

Líder de vendas do segmento na Europa, e líder absoluto em Portugal, cabe ao novo Renault Clio manter e até reforçar esse reinado, sobretudo quando este ano alguns dos pesos-pesados do segmento vão também introduzir novas gerações, como o Opel Corsa e, sobretudo, o compatriota Peugeot 208.

A Renault escolheu Portugal para a apresentação internacional do novo Clio, com a base de operações a estar em Évora, no Alentejo. Uma oportunidade para testarmos “em casa” e em primeira mão um dos modelos mais importantes da marca de Boulogne-Billancourt.

VÊ TAMBÉM: Novo Renault Clio. Mudou TUDO, mas será suficiente?

Apesar da evolução visual mais madura e que alguns podem acusar de ser tímida — parecendo um mais simples restyling —, a 5ª geração do Renault Clio é efetivamente 100% nova, com esta a usufruir dos préstimos de uma nova plataforma, a CMF-B, mais rígida, mais leve em 50 kg e compatível com crescentes níveis de eletrificação.

O recurso à CMF-B alterou as dimensões e proporções do novo Clio, com este a ser uns contra-correntes 14 mm mais curto e 30 mm mais baixo que o antecessor. Apesar disso, as cotas internas melhoraram, mas, como o Diogo constata, o espaço nos lugares traseiros continua ainda algo comprometido, uma das críticas já apontadas à geração atual.

Também a capacidade da bagageira cresceu, rivalizando com as do segmento acima, ao apresentar 391 l…, caso se trate de uma motorização a gasolina. No caso das motorizações Diesel, devido ao tanque adicional de Ad-Blue, a capacidade decresce para os 366 l, mesmo assim um valor excelente para o segmento.

Novidades nos motores

Por falar em motorizações, também há novidades, a começar no novo tri-cilíndrico de 1000 cm3 com turbocompressor de 100 cv — motor que conhecemos inicialmente ao volante do renovado Nissan Micra —; a estreia no Clio do 1.3 TCe de 130 cv, um motor já conhecido de outros Renault, Nissan e também do… Mercedes-Benz Classe A. No campo dos Diesel, são mantidos os leais serviços do 1.5 dCi, agora com 85 cv.

Renault Clio 2019, TCe 100, manual
1.0 TCe, 100 cv, com caixa manual de cinco velocidades.

Ainda no campo das motorizações, a principal novidade passa pela estreia inédita de uma versão híbrida denominada E-Tech, que combina um motor a gasolina de 1.6 l com dois motores elétricos e baterias de 1,2 kWh.

RELACIONADO: Futuro Renault Clio RS terá o mesmo motor do Alpine A110

Interior surpreende mais que exterior

Regressando ao interior, é onde constatamos as maiores diferenças da 5ª geração do Renault Clio para o seu antecessor.

Renault Clio interior, Intens

O Diogo leva-nos a descobri-lo, destacando a boa qualidade dos materiais, o novo quadrante digital (7″ ou 10″) e o bem melhor sistema de info-entretenimento Easy Link — três versões disponíveis, ecrã tátil de 7″ com ou sem sistema de navegação e 9,3″ com sistema de navegação. Não se fica por aqui, com a presença de vários espaços de arrumação totalizando 26 l de capacidade (valor referencial para o segmento, diz a Renault).

A posição de condução é também superior à da anterior geração, contribuindo para tal, entre outros, o aproximar do manípulo da caixa de velocidades do volante, e em posição sobreelevada.

VÊ TAMBÉM: A minha primeira vez no Estoril (e logo ao volante de um Renault Mégane R.S. Trophy)

R.S. Line, a linha de equipamento mais desportiva

Além do 1.0 TCe de 100 cv com caixa manual, o Diogo teve oportunidade de experimentar aquela que é, para já, a versão mais potente do novo Clio, a 1.3 TCe de 130 cv, associada a uma caixa de dupla embraiagem de sete velocidades (EDC7), e também no nível de equipamento R.S. Line, que toma o lugar do anterior GT Line.

Partilha com a versão TCe de 100 cv o bom comportamento dinâmico, com uma frente precisa, uma direção comunicativa e também consumos moderados.

O nível R.S. Line adiciona um estilo mais desportivo, visível nos para-choques e jantes de desenho específico; e também no interior, com a adição de bancos em pele, volante desportivo, pespontos a vermelho, e algumas superfícies a imitar a fibra de carbono.

O novo Renault Clio iniciará a sua comercialização em setembro — preços ainda não foram divulgados —, e para descobrires mais sobre a nova coqueluche francesa, acompanha o Diogo em mais um dos nossos vídeos:

Sabes responder a esta?
O novo Alpine A110S debita quantos cavalos?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

A110 é soft? O Alpine A110S dá-te mais cavalos e um chassis mais focado

Mais artigos em Testes

Os mais vistos