Vídeo

BMW 840d xDrive Cabrio testado em vídeo. Diesel faz sentido?

Recuperou uma nomenclatura com quase 30 anos para ocupar o lugar de topo de gama na marca bávara. Testámos o BMW 840d xDrive Cabrio, um GT… a gasóleo.

Os recentemente apresentados M8 e M8 Cabrio roubam todas as atenções, mas apesar de estar no campo oposto, o 840d xDrive Cabrio que testámos não deixa de ter o seu próprio encanto.

O BMW Série 8 é um dos topos de gama da marca bávara, com o Série 7 e o X7 a completar o trio de luxo, mas sem dúvida que é o mais emocionante dos três, sendo o mais focado no capítulo da condução — um verdadeiro GT de acordo com a BMW.

Um GT… Diesel

Não deixa de ser surpreendente que por baixo do capot deste GT surja um motor que funciona com o mais infame dos combustíveis, ou seja, gasóleo — fosse tal combinação sugerida no tempo do primeiro Série 8 e certamente nos chamariam de loucos…

VÊ TAMBÉM: BMW M850i xDrive com 530 cv e quatro rodas direcionais

No caso do 840d xDrive Cabrio é uma combinação que gera excelentes resultados, com os generosos e facilmente acessíveis 680 Nm do seis cilindros em linha de 3.0 l a adequarem-se perfeitamente ao carro em questão. Afinal trata-se de um descapotável de quatro lugares, de vastas dimensões e massa (2030 kg, mais 125 kg que o Coupé).

Em combinação com a excelente caixa automática de oito velocidades, o bloco Diesel de 320 cv movimenta o Série 8 com celeridade, garantindo prestações de respeito e sem esforço, como o comprovam os 4,9s dos 0 aos 100 km/h.

É certo que o nosso coração diz M850i e V8 POWER — bem mais rápido e com uma sonoridade bem mais interessante — como o Diogo também refere no vídeo, mas os números mais modestos do 840d xDrive não comprometem e até adequam-se à natureza mais… relax de um descapotável.

Mesmo assim, o 840d xDrive não deixa os seus créditos por mãos alheias, revelando-se adepto de uma condução mais entusiasmada. O sistema xDrive garante sempre elevados níveis de aderência, e o sistema de quatro rodas direcionais tornam-no bem mais ágil do que à partida imaginaríamos — o Diogo não o podia dizer melhor, curva “sobre carris”.

BMW 840d xDrive Cabrio © Raul Mártires / Razão Automóvel

Quando comparado com o seu mais direto rival, o Mercedes-Benz Classe S Cabrio, o 840d xDrive Cabrio é mais acutilante e dinâmico, com o Classe S mais focado no conforto — não que o 840d xDrive não o seja, bem pelo contrário.

RELACIONADO: BMW Série 8 Cabrio oficialmente apresentado. Vê as imagens e características técnicas

Topo de gama, seja no interior ou no preço

Tratando-se de um topo de gama, naturalmente somos brindados com um interior onde os excelentes materiais abundam e a qualidade de montagem é irrepreensível. Há pormenores requintados, como certos acabamentos opcionais em vidro — no botão de arranque e no comando do i-Drive, por exemplo —, ou a ventilação direcionada para o pescoço que os bancos providenciam.

Num interior onde praticamente é tudo revestido a pele e quase tudo o que é ajustável, é-o de forma elétrica, destaque igualmente para a forte componente tecnológica, onde encontramos a mais recente iteração do sistema i-Drive, múltiplos assistentes e modos de condução, e o painel de instrumentos é agora 100% digital.

Descer ou subir a muito bem insonorizada capota demora apenas 15 segundos, basta carregar num botão, e podemos fazê-lo em andamento.

Apesar das vastas dimensões do Série 8 Cabrio — mesmo assim, ligeiramente mais compacto que o antecessor Série 6 —, a carroçaria descapotável obriga a alguns compromissos. O espaço para os dois ocupantes traseiros é muito limitado, e a capacidade da bagageira bem mais reduzida (350 l), para poder arrumar devidamente a capota.

Como topo de gama que é, o preço também é de topo. Os preços para o BMW 840d xDrive Cabrio começam nos 130 mil euros, com a nossa unidade a adicionar mais de 20 mil euros em extras, suplantando os 150 mil euros — é muito? Sem dúvida, mas não esperem encontrar a este nível preços mais baixos.

O Diesel faz sentido?

Diesel faz sentido num carro como o Série 8 Cabrio? Não compromete tanto como à partida se poderia pensar e garante consumos comedidos — o nosso melhor registo foi de apenas 6,4 l/100 km, regra geral andou pelos 7 a 8 l/100 km —, mas considerando o elevado valor pedido, um “salto” de 20 mil euros para o mais entusiasmante M850i sem dúvida que deve ser considerado.

Altura de passar a palavra ao Diogo:

VÊ TAMBÉM: Designer faz um “lavar de cara” ao novo BMW Série 1
BMW 840d xDrive Cabrio © Raul Mártires / Razão Automóvel

Sabes responder a esta?
Quem concebeu o McLaren F1?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Este é o verdadeiro sucessor do McLaren F1… e não é um McLaren

Mais artigos em Testes

Os mais vistos