GT

BMW Série 8. O Grand Tourer de Munique

O BMW Série 8, fruto do seu design e sofisticação, foi um dos porta-estandartes da marca alemã durante uma década. Um sucessor precisa-se!

Um autêntico «gentlemen car» onde o luxo se mistura com a desportividade de forma harmoniosa, sem conflitos. Um verdadeiro Grande Turismo alemão, pleno de potência, conforto e sofisticação. Assim era, resumidamente o BMW Série 8, hoje em dia, um modelo bastante desejado da casa de Munique.

No total, segundo a BMW, foram produzido 30 621 exemplares do BMW Série 8 (E31) de 1989 a 1999 — ano em que deixou de ser produzido. E para assinalar este marco histórico, a BMW juntou em Welt cerca de 120 exemplares, local emblemático para os amantes da marca bávara.

Todos os participantes vieram ao volante das suas preciosidades, apreciando todas as curvas, embora a maior parte tenha, é claro, optado pelas autobahn. Mas é sempre bom frisar que cada um dos exemplares fez mais de 1800 km sendo que alguns, de países mais distantes, cobriram mais de 2500 km. Respeito.

VÊ TAMBÉM: Dose dupla: novos BMW M8 e M8 Competition revelados
BMW Série 8

E como estamos a comemorar os 25 anos de um grande automóvel, aproveitamos para recordar a sua história.

1989, o ano da revelação

Foi em 1989, durante o Salão Automóvel de Frankfurt, que a BMW apresentou o Série 8, cujo papel era o de substituir o bem sucedido Série 6 (E24) — partilhou o palco com o que viria a ser uma lenda, o BMW E30 M3. As linhas elegantes, mas também desportivas, davam a este modelo uma presença absolutamente extraordinária, conseguindo ofuscar grande parte dos desportivos da época.

Foi lançado apenas com uma motorização, um V12 de 5.0 l com 300 cv, associado a uma caixa manual de seis velocidades, uma combinação que era estreia absoluta na indústria automóvel.

BMW Série 8

Um modelo que contava já em 1989 com o sistema «Integral Active Steering» que consoante a posição do volante e a velocidade, virava ligeiramente as rodas traseiras de modo a melhorar o desempenho em curva. Estavam também disponíveis equipamentos de série como duplo airbag, fecho centralizado, controlo de estabilidade e o «Adaptive Control» (opcional).

A versão mais potente era a 850 CSI, lançada em 1993 — após ter recebido uma atualização — , que contava com um motor V12 de 5.6 l e que debita 381 cv de potência e 550 Nm de binário máximo. Os 0-100 km/h cumpriam-se em seis segundos.

Com a atualização e o 850 CSi, recebeu outras versões, desde uma evolução do V12 original, agora com um motor 5.4 l V12 com 326 cv e caixa automática de cinco relações no BMW 850 Ci; e ainda, o BMW 840 Ci equipado com um motor 4.0 V8 de 286 cv, que servia de acesso à gama. Recordamos que em cada três Série 8 produzidos, dois estavam equipados com o motor V12. Outros tempos…

Por agora resta-nos relembrar o passado, com esperança que num futuro próximo a BMW volte a produzir este modelo tão marcante.

NDR: à data da publicação original do artigo, o Série 8 celebrava o seu 25º aniversário e especulava-se sobre a vinda de um sucessor.

Galeria:

Mais artigos em Clássicos

Os mais vistos