Apresentação

Fica a saber tudo sobre o novo Toyota GR Supra

O Toyota GR Supra chega finalmente à Europa e nós trazemos toda a informação que precisas de saber sobre o herdeiro do legado do nome Supra.

Foi preciso esperar pelo início de 2019, no Salão de Detroit, para finalmente conhecer o novo Toyota GR Supra, a sua quinta geração, a A90. Chega agora, finalmente, ao “Velho Continente” — mas a produção para este ano já esgotou… —, pelo que a Toyota revelou todas as especificações do seu desportivo.

Fiel à arquitetura que sempre marcou o Supra desde a sua origem, encontramos um seis cilindros em linha, longitudinalmente posicionado na dianteira, que envia potência para as rodas traseiras.

Relativamente aos outros Supra difere no número de lugares disponíveis; apenas dois, contra a configuração 2+2 que marcava os antecessores. O resultado é um carro bastante compacto — mais curto do que o GT86 —, com a Toyota a evidenciar mais os genes de desportivo do que os de GT para esta nova iteração do Supra.

RELACIONADO: Finalmente (!) ao volante do novo Toyota Supra
Toyota Supra A90 2019

Tetsuya Tada, o engenheiro chefe do Toyota GR Supra, refere a importância desta configuração bilugar pela qual lutou arduamente. Era a única forma de obter uma relação perfeita entre a distância entre eixos (2470 mm) e a via traseira (1589 mm), atingindo um rácio de 1,55 entre as duas dimensões — um valor entre 1,5 e 1,6 é considerada a proporção áurea neste campo (golden ratio) —, a que garante o melhor equilíbrio possível entre agilidade e estabilidade.

Chassis

As fundações do chassis do novo Supra não poderiam ter melhor ponto de partida, apresentando não só uma distribuição perfeita de peso (50:50) e até um centro de gravidade inferior ao do GT86, assim como uma elevada rigidez estrutural, superando mesmo a do Lexus LFA, o superdesportivo nipónico maioritariamente construído em fibra de carbono — o que não deixa de surpreender, considerando que aço e alumínio são os materiais predominantes do Supra.

Desenvolvido pela Toyota GAZOO Racing, esta testou o Supra em vários pontos do globo, sempre à procura das estradas mais desafiantes, incluindo também desenvolvimento em circuitos como o Nürburgring. O esquema de suspensão dianteiro é do tipo MacPherson, enquanto o traseiro é um sistema multilink com cinco pontos de ligação.

A suspensão é do tipo adaptativo (Adaptive Variable Suspension ou AVS), tendo dois modos à escolha: Normal e Sport. Estes alteram múltiplos parâmetros que afetam a atitude do carro — mais estabilidade e conforto no modo Normal e menor rolamento da carroçaria e resposta mais ágil em modo Sport, por exemplo.

Para a Europa, todos os Toyota GR Supra vêm equipados com jantes de 19″ forjadas e também com um diferencial autoblocante ativo, que pode ser bloqueado até 100%. Existe ainda um modo Track nas opções do controlo de estabilidade (VSC) que reduz o nível de intervenção das múltiplas ajudas eletrónicas presentes quando em circuito.

Travões

O sistema de travagem é composto por discos ventilados — 348 mm x 36 mm à frente e 345 mm x 24 mm atrás — com pinças vermelhas em alumínio da Brembo de quatro pistões à frente e do tipo flutuante atrás com um pistão apenas.

Os travões do Toyota GR Supra têm também uma função anti-fadiga, onde a pressão de travagem aumenta automaticamente quando os discos apresentam uma temperatura elevada.

VÊ TAMBÉM: Primeiro Toyota GR Supra e Ford Mustang Shelby GT500 valem milhões

Nem um 2JZ-GTE à vista…

… mas seria missão impossível tal bloco cumprir as normas de emissões atuais. Como sabemos, o Toyota GR Supra nasce fruto de uma parceria com a BMW, dando origem também ao novo Z4 — parece ser a única forma de desenvolver desportivos hoje em dia —, com ambos os modelos a partilharem grande parte do hardware, onde se inclui o seis cilindros em linha.

Toyota Supra A90 2019

A origem bávara do coração do Supra não é motivo de embaraço, já que o B58 tem-se revelado excelente em todas as suas aplicações. O bloco de 3.0 l de capacidade é turbocomprimido (um turbo twin scroll), e debita 340 cv e 500 Nm.

Só existe uma transmissão disponível, uma caixa automática de oito velocidades (conversor de binário). A Toyota refere que as primeiras relações são mais curtas, para garantir sempre a melhor aceleração possível. Com o contributo de um Launch Control (controlo de arranque), o Toyota GR Supra atinge os 100 km/h em apenas 4,3s.

A resposta e até a sonoridade do motor, assim como a atuação da transmissão, alteram-se quando o modo Sport é acionado.

A NÃO PERDER: O novo Toyota Supra A90 recebeu o motor 2JZ-GTE e… rejeitou-o

Versões

O Toyota GR Supra estará disponível em sete cores e dois níveis de equipamento, Active e Premium, sem contarmos com a muito limitada edição especial A90 Edition —apenas 90 unidades a terem como destino a Europa —, que se destaca pela presença de uma cor exterior exclusiva, Matt Storm Grey, e pele vermelha no interior.

Entre os vários equipamentos disponíveis no nível Active temos ar condicionado bi-zona, cruise control adaptativo, botão de arranque, volante em pele, faróis LED adaptativos, sensor de chuva e câmara traseira. Os bancos desportivos são revestidos a Alcantara, ajustáveis eletricamente e aquecidos. O sistema áudio é composto por 10 altifalantes e o sistema de info-entretenimento integra um ecrã tátil de 8,8″ que pode ser controlado por um comando rotativo — efetivamente o sistema i-Drive da BMW. Contem ainda com Apple CarPlay.

O nível Premium troca os bancos em Alcantara por outros em pele — sempre de cor negra —, o sistema áudio é da JBL com 12 altifalantes, passa a haver um head-up display, carregador sem fios para o smartphone.

Toyota GR Supra

Naturalmente, o Toyota GR Supra vem equipado com os mais recentes sistemas de segurança e assistentes à condução: sistema Pré-Colisão com deteção de peões e ciclistas, sistema de manutenção na faixa de rodagem ou iluminação adaptativa fazem parte do equipamento de série.

De momento ainda não foram disponibilizados os preços para Portugal.

Sabes responder a esta?
Quantas motorizações híbridas tem o novo Toyota Corolla?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Ao volante dos dois híbridos do Toyota Corolla. Fórmula vencedora?

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos