Entrevista

Artur Martins. “Kia ProCeed pode ser a alternativa para quem já está farto de SUV”

Depois de entrar na moda, a Kia quer agora ditar a moda. Assume-o o português Artur Martins, que vê na "shooting brake" ProCeed, a alternativa à vulgarização dos SUV.

A Kia acredita ter em mãos um novo filão. Depois da confiança manifestada pelo Chefe de Operações da Kia Europa, Emílio Herrera, nas potencialidades daquela que é a primeira shooting brake para o segmento C, criada por uma marca generalista, o mesmo discurso é adotado pelo português Artur Martins, vice-presidente da divisão europeia da Kia para o Marketing e Planeamento de novos Produtos.

Em entrevista exclusiva à Razão Automóvel, durante a apresentação mundial da Kia ProCeed que decorreu em Barcelona, Martins explicou não somente os motivos que levaram à criação desta deslumbrante shooting brake, mas também aquilo que, em termos de marketing, os responsáveis da Kia esperam conseguir com esta invulgar proposta. Com o português a assumir, desde já, que, com este novo produto, a Kia quer deixar de seguir a moda, para começar a ditá-la!

RAZÃO AUTOMÓVEL (RA) — Comecemos, talvez, por falar daquilo que levou a Kia a decidir passar à produção algo que, à partida, nada mais seria que um deslumbrante exercício de design…

Artur Martins (AM) — A verdade é que, se pensarmos bem, são raros os exercícios de design que a Kia apresenta, que não passem à produção. No caso desta ProCeed, acredito que nunca foi apenas um exercício de design, mas sempre foi vista como uma proposta capaz de fazer a diferença, não só para a marca, como também para a própria gama Ceed. Modelo que, aliás, compete num mercado já muito maduro, histórico na Europa, e a partir do qual nasceram algumas das marcas mainstream europeias.

RELACIONADO: Kia Ceed GT. “Quem não tem cão…”
Kia ProCeed

RA — No entanto e pelo menos de início, esta era uma aposta arriscada e que, aliás, ainda pode não correr bem…

AM — Aquilo que nós pensámos inicialmente, especialmente a partir do momento em que decidimos abandonar a carroçaria de três portas, até porque o sub-segmento é muito pequeno, foi conceber algo que pudesse capturar e manter o espírito desportivo do ProCeed Concept, apresentado em Frankfurt. E, ao mesmo tempo, abrir novas oportunidades em termos de vendas. Até porque eu acredito que este carro, uma vez na rua, vai ajudar a marca e o próprio Ceed, enquanto produto de cinco portas, wagon e tudo o resto, a ser mais relevante num dos segmentos particularmente competitivos do mercado. E a verdade é que nós estamos desejosos de fazê-lo.

“ProCeed vai permitir-nos ser uma alternativa à moda dos SUV”

RA — Significa, então, que a Kia acredita poder fazer com este ProCeed as vendas que não consegue fazer com o Stinger…
AM — Uma das perguntas que vocês, frequentemente, nos faziam, quando apresentámos o Stinger, era “OK, o Stinger é um carro maravilhoso, mas, e naqueles segmentos em que a Kia tem verdadeiramente possibilidade de fazer volume, o que é que vão ter correspondente?”. Na minha opinião, o ProCeed Shooting Brake é, precisamente, a declinação direta do Stinger, para o segmento C! Além disso, trata-se de um produto totalmente diferenciador no segmento, onde não existe nada igual, e que, como tal, vai permitir-nos ir buscar clientes novos a outras marcas.

RA — Mas, então e o fenómeno SUV?
AM — Hoje em dia, quando olhamos para o sucesso dos SUV, os quais representam já mais de 45% das vendas no segmento C, apercebemo-nos que, aqueles consumidores líderes de opinião que, no início, ajudaram a criar o fenómeno SUV, comprando este tipo de produtos, já não estão a fazê-lo. Basicamente porque, hoje em dia, já toda a gente tem um SUV! Inserida nesta realidade, a ProCeed pode sobressair como uma excelente alternativa para aqueles consumidores e trendsetters que, cansados da moda dos SUV, estão à procura de algo novo e diferente, uma coisa trendy, mas que ainda assim tem uma boa combinação entre estética e espaço.

Artur Martins Kia 2018

RA — A questão é saber se essa procura pela diferença resultará em números suficientemente substanciais, para que não termine tudo como com o Stinger…

AM – Nós acreditamos que a ProCeed poderá valer entre 15 e 20% do total das vendas da gama Ceed a nível europeu, ou seja, entre 130 a 140 mil unidades. Embora e conhecendo a paixão que os portugueses têm por carrinhas, eu acredite que, no nosso País, este mix de vendas poderá mesmo ser maior, a favor da Shooting Brake

RELACIONADO: Kia e-Niro chega no final do ano com 485 km de autonomia

“2019 vai trazer novidades muito giras”

RA — Então e elétricos?

AM — Este ano, tivemos a apresentação do Niro elétrico, modelo que não possui qualquer motorização exclusivamente a combustíveis fósseis. Entretanto, temos preparadas outras novidades para 2019, que ajudarão a fazer da eletrificação uma realidade, não só para a Kia, como para o próprio mercado.

Kia Sportage 2017

RA — E o muito sussurrado novo SUV para o segmento C, vai ser uma realidade?

AM — É preciso não esquecer que, para esse segmento, nós já temos o Sportage, que é inclusivamente um produto de muito sucesso, sendo mesmo o nosso best-seller na Europa e a nível global. Além deste, ainda temos o Niro, que também se posiciona no segmento C. Como tal, temos de ter muito cuidado quanto a uma possível introdução de um novo modelo neste segmento, até para que não canibalize as propostas já existentes. Ainda assim, acredito que vamos ter novidades muito giras no próximo ano e que, tenho a certeza, vão gostar imenso… Só que, infelizmente, ainda não posso revelar nada!

Sabes responder a esta?
Qual a autonomia anunciada para o Kia e-Niro?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Kia e-Niro chega no final do ano com 485 km de autonomia

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos