Dakar 2018

Dakar 2018. Os portugueses na 40ª edição da prova mais dura do mundo

Com mais ou menos sorte, estes são os portugueses no Dakar, aqueles que representam a bandeira de Portugal na prova mais dura do mundo.

A edição 2018 da mítica prova, 10 anos depois deste ter saído do continente Africano, tem sido uma autêntica razia para os portugueses no Dakar, mas não só, tornando-se uma das mais duras edições dos últimos anos.

Dos oito portugueses no Dakar, e que se previa arrancarem no dia 6 de janeiro de 2018 para a prova mais dura do mundo, apenas um se mantém ainda em competição.

Motards azarados

Os primeiros a “abandonar” a prova foram os motards Hélder Rodrigues, Paulo Gonçalves e Mário Patrão, todos eles devido a condições físicas e de saúde, e que nem chegaram a partir.

Joaquim Rodrigues

Ainda nas motas, Joaquim Rodrigues foi a primeira “vítima” portuguesa durante a prova, ao sofrer uma violenta queda logo na primeira etapa que ligou Lima a Pisco, no Peru.

O piloto que com 10 anos de idade conquistou o título de Campeão Nacional de Motocross da categoria de 60 cc, feito que repetiu em 1992, acabou por sofrer uma fissura numa vértebra que o obrigou ao abandono.

portugueses no dakar — joaquim rodrigues

Pedro de Mello Breyner

Já na nova categoria de SSV, tudo parecia encaminhado para a equipa de Pedro de Mello Breyner e Pedro Velosa, que aos comandos do Yamaha YXZ 1000 R tinha sido a 4ª mais rápida entre os SSV na etapa inaugural, mas um acidente típico do Dakar deixava de parte o sonho de chegar ao fim, depois dos médicos terem aconselhado a desistência.

Numa prova como esta, dura e difícil a última coisa que podemos é ir contra um conselho médico. Por muito que o nosso desejo fosse continuar a saúde está em primeiro lugar. O principal problema que o Yamaha teve foi ter ficado com três dos pneus fora da jante. Seguramente que perderíamos algum tempo, mas não era nada que não se resolvesse. Temos muita pena de terminar esta aventura mais cedo, mas tudo tem limites e não podemos brincar com a saúde

Pedro de Mello Breyner
portugueses no dakar — pedro de mello breyner
RELACIONADO: 7 factos sobre o Dakar que tu (eventualmente…) desconheces

André Villas-Boas

Um dos famosos no Dakar, acabou por abandonar a prova depois de um aparatoso salto numa duna, provocando-lhe fortes dores nas costas. André Villas-Boas foi transportado para o hospital onde os exames acabaram por não revelar qualquer fratura. Ainda assim, foi o fim da aventura para o ex-treinador de futebol que participava com Ruben Faria como navegador.

Quero dizer a todos que estamos bem e já regressamos ao acampamento. Infelizmente, o Dakar terminou para nós. Para a próxima será melhor. Obrigada a todos pelas mensagens de apoio.

André Villas-Boas
portugueses no Dakar — André Villas-Boas

Carlos Sousa

Uma das esperanças portuguesas na 40ª edição do Dakar era o experiente piloto Carlos Sousa, que alinhou ao volante de um Dacia Duster.

Não tendo sofrido qualquer acidente, o piloto foi obrigado a desistir na ligação para a 8ª etapa, na sequência de uma fuga de óleo no radiador.

Foi quando constatámos que a fuga de óleo no radiador era maior do que pensávamos quando o Duster perdera três litros de óleo, em apenas 30 quilómetros. Com 500 quilómetros de ‘especial’ pela frente, é evidente que íamos ficar pelo caminho com o motor partido. Por isso, para evitarmos males maiores, em conjunto com a equipa, tomámos a decisão de abandonar. Um problema que já tínhamos diagnosticado ontem, mas como se tratava de uma etapa-maratona (com assistência proibida), não conseguimos fazer a reparação com os nossos próprios meios.

Carlos Sousa
portugueses no dakar — carlos sousa

Filipe Palmeiro

Não como piloto mas como navegador de Boris Garafulic, num MINI da equipa X-Raid, Filipe Palmeiro está neste momento a disputar um lugar no TOP10, após ter sido protagonista de um episódio insólito. Ter batido de frente com o seu companheiro de equipa Yazeed Al-Rajhi em pleno deserto.

portugueses no dakar
RELACIONADO: Mini X-Raid. Quando os cavalos têm sede em pleno Dakar.

Fausto Mota

É mais um dos portugueses no Dakar, e o único ainda a competir na categoria moto. O piloto de Marco de Canaveses continua a subir na classificação geral, algo que tem vindo a acontecer de forma consecutiva desde a sétima etapa.

portugueses no dakar — fausto mota

Presenças de «peso»

Além dos que vão competir diretamente, seja como pilotos seja como navegadores, a presença portuguesa far-se-á sentir também com Armando Loureiro, mecânico do francês Michel Boucou (DAF), e com Marco Moreiras, mecânico na equipa do alemão Matthias Behringer (MAN), ambos na categoria de camiões.

 

Sabes responder a esta?
Em 1989 a Peugeot participou no Dakar com duas unidades de que modelo?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Do Peugeot 205T16 ao 3008 DKR. A história (quase) completa

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos