Dakar

Dakar. 10 famosos no rali mais duro do mundo

Foram vários os famosos que já aceitaram o desafio de participar pelo menos uma vez no Dakar. Esta é a "hall of fame" do Dakar.

Pela sua dureza e mediatismo, o Dakar atrai constantemente novos participantes ansiosos por testar a sua resistência física e não só. Entre eles, alguns nomes famosos, que conhecemos de outros meios e que assumiram o desafio épico do Dakar.

Do futebol, à música, passando pela cozinha, todos têm certamente em comum o gosto pelo desporto automóvel e o sonho de aceitar o desafio que é o Dakar, pelo menos uma vez na vida.

Vamos conhecê-los:

André Villas-Boas

Não é só lá fora que vemos famosos a aceitar o desafio de participar no Dakar. O treinador português deixou Xangai, onde terminou a época ao serviço dos chineses do Shangai SIPG e parece que se vai dedicar ao automobilismo, para já em particular ao Dakar.

Depois de ter considerado disputar a prova aos comandos de um moto, o agora piloto acabou por optar pelos automóveis e alinha na mítica prova de todo-o-terreno ao volante de uma Toyota Hilux da equipa Overdrive. O motard Ruben Faria, segundo classificado na categoria de motos na edição de 2013 desta prova, é o seu co-piloto.

Falei com o meu amigo Alex Doringer, o diretor desportivo da KTM, que me disse que precisaria de uma preparação completa durante quase um ano, e que seria preferível participar na categoria de automóveis
André Villas-Boas

O todo-o-terreno é outra paixão do ex-treinador, que já em 2016 participou na Baja Portalegre 500, a emblemática prova nacional. Ao que conseguimos apurar também, André Villas-Boas tem uma coleção particular, na qual para além de mais de dez carros antigos conta com uma KTM usada por Cyril Despres numa das edições em que venceu o Dakar.

Raymond Kopaszewski

Continuando no futebol, Raymond foi um avançado francês mais conhecido por Raymond Kopa que jogou no Real Madrid e pela seleção francesa nos anos 50 e 60. Participou no Dakar em 1985 com um Mitsubishi Pajero e terminou na 65ª posição.

raymond kopa dakar

Johnny Hallyday

Ainda o Dakar decorria no continente africano, quando o cantor e ator francês decidiu participar na aventura do Dakar. Com mais de 100 milhões de discos vendidos até ao momento, Johnny Hallyday participou no Dakar em 2002 com o experiente René Metge como co-piloto.

Johnny Hallyday Dakar
Johnny Hallyday faleceu em dezembro de 2017

A dupla terminou num respeitável 49º, e o deserto africano marcou o cantor, também conhecido pelo seu nome artístico, Jean-Philippe Smet.

Príncipe Alberto do Mónaco

Pois é, também a realeza já se aventurou no Dakar, e neste caso por duas vezes consecutivas, provando que a experiência é apaixonante. Tanto em 1985 como em 1986, o Príncipe Alberto participou ao volante de um Mitsubishi Pajero, e nas duas vezes abandonou a prova a 13 de janeiro sensivelmente no mesmo local mas garantindo que a experiência tinha sido fantástica.

Princesa Carolina do Mónaco

Foi num dos anos em que o seu irmão Alberto participou no Dakar que a Princesa Carolina decidiu não ficar como espectadora. Em 1985 a Princesa alinhou no Dakar num camião de 15 toneladas, mas com o seu marido Stefano Casiraghi como piloto. A participação no entanto não foi muito longa, já que ao quinto dia prova, na Argélia, o camião virou acabando por ditar a desistência da equipa “real”.

Vladimir Chagin

O russo é o responsável pelas performances épicas do camião da Kamaz, e sete vezes vencedor do Dakar. Indiscutivelmente ligado ao Dakar, Vladimir Chagin é agora o diretor da equipa Kamaz.

Vladimir chagin
Vladimir Chagin provavelmente a discursar sobre a tática para o Dakar

Hubert Auriol

Não, nada tem a ver com o piloto de WRC Didier Auriol, mas entrou para a história do Dakar após as suas proezas na edição de 1987. Aos comandos de uma Cagiva e quando liderava com uma vantagem de 10 minutos ao penúltimo dia, colidiu frontalmente com uma árvore, provocando-lhe lesões graves, nomeadamente a rotura de ambos os tornozelos.

Ainda assim, voltou a montar a moto e conduziu os 20 km que faltavam até ao último ponto de controlo.

Hubert Auriol
Hubert Auriol

Apesar disto regressou ao Dakar para a sua terceira vitória, desta vez com um Citroën, em 1992, tornando-se no primeiro piloto da história do Dakar a vencer em duas categorias distintas (motos e carros).

Nandu Jubany

A paixão pelo desporto automóvel e particularmente pelo Dakar parece não escolher áreas. O famoso cozinheiro espanhol que recebeu uma estrela Michelin participou pela primeira vez na edição 2017 do Dakar aos comandos de uma KTM, e repetiu o feito este ano. Um sonho tornado realidade, que Nandu reconheceu como “perigoso” e “desafiante”.

nandu jubany dakar

Mark Thatcher

O filho rebelde da antiga Primeira-Ministra britânica Margaret Thatcher causou polémica quando em 1982 anunciou a sua participação no Dakar. As planos não correram como previsto para a equipa que esteve perdida durante seis dias no deserto do Saara.

peugeot 504 dakar mark tatcher
Mark Tatcher foi co-piloto de Anne-Charlotte Verney, ao volante de uma Peugeot 504.

Daí resultou uma chamada da sua mãe para a Argélia, motivando uma enorme missão de busca e salvamento. Thatcher e a sua equipa foram encontrados pelos militares argelinos a cerca de 70 km de distância do trajeto definido.

Paul Belmondo

Paul Alexandre Belmondo não competiu apenas no Dakar mas também marcou presença na F1, embora com pouco sucesso. Belmondo ganhou maior notoriedade graças à sua relação com a Princesa Stéphanie do Mónaco.

Paul Belmondo dakar
Paul Belmondo, na edição 2016 do Dakar.

Foi ao volante de um Nissan X-Trail que o francês participou por várias vezes nesta competição.

Sabes responder a esta?
Quantos participantes alinharam na edição 2018 do Dakar?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

7 factos sobre o Dakar que tu (eventualmente…) desconheces

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos

Pub