Transporte de animais: dicas para uma viagem de carro segura e confortável

22/06/2015
2.438 views
Share Button

Para além de colocar em risco a segurança de todos os ocupantes, as multas por transporte de animais de forma incorreta podem ir até aos 600€.

Como membro peludo de muitas famílias portuguesas, muitos dos animais de estimação passeiam de carro com os seus donos. E não raras vezes vão soltos no carro, com a cabeça fora da janela, língua de fora e orelhas ao vento. No entanto, saiba que essa não é a forma mais segura de transportar o seu animal de estimação, uma vez que pode prejudicar a atenção e diminuir a visibilidade do condutor. Este é um comportamento de risco, que põe em causa a segurança de todos os ocupantes do carro, sendo que também constitui uma infração ao Código da Estrada, com multas que podem ir dos 60 aos 600€. Por isso atenção ao transporte de animais no seu automóvel.

Para tornar a viagem mais segura e confortável, a seguradora LOGO reuniu sete dicas essenciais para o transporte de animais:

  • Documentação e veterinário. Verifique sempre se tem toda a documentação em dia, especialmente o registo do seu animal e o boletim de vacinas. No caso de viagens longas, deverá marcar uma consulta no veterinário, uma vez que poderá obter informações importantes para proteger o seu animal durante toda a viagem.
  • Antes da viagem. Para evitar ao máximo que o seu animal fique stressado com a mudança de ares, deve acostumá-lo ao carro nas semanas anteriores à viagem. Outro dos aspetos a ter em conta é a alimentação: recomenda-se uma quantidade menor do que o habitual de ração antes da viagem, para que não tenha que lidar com enjoos ou surpresas desagradáveis.
  • Animais de pequeno porte. Para o transporte dos animais mais pequenos, a caixa transportadora ou o cinto de segurança específico são boas soluções. Devem ser colocadas nos bancos traseiros ou na mala do carro, desde que lhe seja retirada a prateleira. No caso dos gatos, que não gostam de sair da rotina e assustam-se facilmente com ruídos, a melhor solução é a transportadora – podendo ainda cobri-la com um pano, para melhor proteção (assegure-se de que não é demasiado grossa, por causa da temperatura elevada).
  • Animais de médio e grande porte. Para os animais maiores, a mala sem a prateleira é a melhor solução. Pode optar por usar um cinto de segurança especial ou uma transportadora de tamanho adequado. Caso prefira levá-lo solto na mala, é aconselhável usar uma rede ou grelha divisória, colocada entre a mala e os bancos traseiros.
  • Outros animais. Os outros animais domésticos, como hamsters ou pássaros, devem ser transportados nas suas gaiolas habituais, com comida e água, se possível tapadas com um pano.
  • Temperatura e ventilação. Os animais são muito sensíveis à temperatura, especialmente quando está calor. Desta forma, deve manter o carro sempre fresco. O ar condicionado é a melhor solução. Se optar por abrir os vidros traseiros, não os abra completamente, pois o animal pode pôr a cabeça de fora ou até mesmo saltar – em particular no caso dos gatos que se assustam com os barulhos da estrada. Não esqueça de deixar os vidros um pouco abertos no caso de se ausentar momentaneamente da viatura, deixando-os no seu interior.
  • Paragens e higiene. Em viagens grandes, deve parar várias vezes, para que o seu patudo possa passear e fazer as suas necessidades. Caso não consiga fazer pausas, deve forrar o carro com tapetes absorventes e outro tipo de proteções.

Não deixe de nos seguir no Instagram e no Twitter

Fonte: LOGO

Diretor Editorial e co-fundador da Razão Automóvel. Tem 29 anos, ama os automóveis mas tem uma paixão secreta: as duas rodas! Praticante de todo-o-terreno, iniciou-se nas lides da condução aos comandos de um Citroen Ax. Não resiste a umas boas curvas, seja no asfalto ou numa folha de papel.