Ensaio Kia Sorento PHEV testado. É o mais potente e caro dos Sorento, mas será a escolha certa?

Desde 65 950 euros

Kia Sorento PHEV testado. É o mais potente e caro dos Sorento, mas será a escolha certa?

O Kia Sorento PHEV é, ao mesmo tempo, a versão mais potente e cara do SUV sul-coreano, mas promete o maior potencial de consumos baixos.

Kia Sorento PHEV
© Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Voltámos a colocar à prova o Kia Sorento, desta vez na versão PHEV — híbrida plug-in, de ligar à tomada e a permitir 57 km em modo elétrico.

Com 265 cv de potência máxima combinada destaca-se, desde logo, por ser a versão mais potente do Sorento. Contudo, os 65 950 euros pedidos fazem do PHEV também a sua versão mais cara.

Mas ao permitir circular em modo totalmente elétrico durante dezenas de quilómetros por carga, adivinha-se um maior potencial em poupança de combustível. Será então esta versão de «ligar à tomada» do SUV sul-coreano a escolha certa?

A NÃO PERDER: Testámos o Kia Sorento HEV. O SUV híbrido de 7 lugares a ter?
Kia Sorento PHEV
Como é óbvio há os logótipos específicos ou a porta de carregamento, mas em tudo o resto o Sorento PHEV mantém-se igual e, sendo muito sincero, ainda bem que é assim. © Fernando Gomes / Razão Automóvel. Edição: © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Recordamos que no primeiro teste que realizámos ao Kia Sorento, na versão HEV (híbrida convencional), chegámos à conclusão de que é hoje uma das melhores propostas do segmento para quem precisa de um SUV de sete lugares. As expectativas para este Sorento PHEV estão, desde logo, em alta.

Equipamento para «dar e vender»

Ok, os 65 950 euros pedidos (62 450 euros com a campanha em vigor) pelo Sorento PHEV não são os mais acessíveis, mas a verdade é que correspondem a uma dotação referencial de equipamento de série.

A sério, pensem num qualquer equipamento e é bem provável que esteja a bordo do Sorento PHEV e seja oferecido de série. Bancos e volante aquecidos? Tem. Várias câmaras de estacionamento e entradas USB? Também.

Podíamos aqui estar o resto do dia pois são tantos equipamentos que este teste se resumiria a uma… longa lista de equipamento — consultem-na na ficha técnica no final deste ensaio.

O milagre da multiplicação… do combustível

Quando fui buscar o Sorento PHEV ao parque de imprensa da Kia tinha pela frente uma semana inteira de viagens «casa-trabalho-casa» num total de mais de 1000 km a percorrer nesse período de tempo.

O computador de bordo «dizia-me» que iria ter uma autonomia máxima de cerca de 530 km e convenci-me logo de que teria de abastecer no decorrer da semana.

Contudo, os dias foram passando e pude comprovar, em primeira mão, as mais valias dos híbridos plug-in: se os carregarmos frequentemente, como é recomendado, permitem poupar (muito) dinheiro ao fim do mês.

Kia Sorento PHEV
Se carregarmos o Sorento PHEV como «mandam as regras», esta versão híbrida plug-in torna-se aquela que mais sentido faz no seio da gama do SUV sul-coreano. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Apesar de a Kia anunciar 57 km de autonomia elétrica, na realidade nunca consegui usufruir de mais de 45 km, muito provavelmente por culpa minha que não adotei a mais económica das conduções.

Seja como for, essa autonomia elétrica permitiu-me «rolar» durante toda a semana sem gastar uma gota de combustível sempre que saía da autoestrada e entrava na «malha urbana» lisboeta, precisamente onde os consumos mais depressa sobem.

Kia Sorento PHEV
Não faltam menus para podermos gerir a carga de bateria e compreender como podemos «cortar» nos consumos. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Graças a isso, quando devolvi o Sorento PHEV a média apresentada no computador de bordo fixava-se nuns impressionantes 5,2 l/100 km, alcançados praticando uma condução moderada, mas nem por isso particularmente lenta.

LEIAM TAMBÉM: Mercedes-Benz EQB 350 testado. O único SUV elétrico do segmento com 7 lugares

Para efeitos de comparação, com o mais leve e menos potente Sorento HEV (híbrido convencional) vi as médias fixarem-se entre os 6 l/100 km a 6,5 l/100 km numa utilização idêntica. Valores muito bons tendo em conta o tipo de veículo, mas ainda assim 20-25% acima dos obtidos com o sistema híbrido plug-in.

Descubra o seu próximo carro:

Dinamicamente, como é?

No capitulo do desempenho dinâmico, quando chegam as curvas a experiência de condução do Sorento PHEV é em tudo semelhante à do Sorento HEV.

A direção é precisa e direta e a suspensão impressiona ao conseguir suster satisfatoriamente as duas toneladas que o topo de gama da Kia «acusa» na balança (o HEV fica-se pelos 1783 kg).

Kia Sorento PHEV
Ao longo dos dias que passeio ao volante do Sorento PHEV a estética do SUV da Kia foi merecedora de diversos elogios. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Mas o vasto SUV é mais sobre estabilidade e conforto, com este último a impressionar em particular, assim como o isolamento acústico em autoestrada.

VEJAM TAMBÉM: Testámos o Audi Q3 híbrido plug-in na versão base. É preciso mais?

 

De tal forma que antes de ter conduzido este Sorento, estive ao volante de uma proposta de uma marca premium e as diferenças são bem menos do que podem imaginar e até do que estava à espera.

E as prestações?

Como já tinha referido antes, o Kia Sorento PHEV oferece 265 cv de potência máxima combinada, resultado do «casamento» entre um 1.6 l de quatro cilindros com 179 cv e um motor elétrico com 91 cv.

Ora, com 265 cv não era de esperar que o Sorento PHEV fosse lento e se é verdade que as duas toneladas de massa não ajudam, não é menos verdade que o SUV da Kia pode ser considerado «despachado».

Kia Sorento PHEV
O sistema híbrido plug-in, pauta-se pela suavidade na transição entre o motor térmico e o motor elétrico, comprovando a experiência que a Kia já tem neste tipo de soluções. © Fernando Gomes, Editado por Thomas V. Esveld / Razão Automóvel

Os 100 km/h são alcançados em 8,7s, mas são as recuperações que mais convencem. Para estas não só contribui o sistema híbrido plug-in como a bem escalonada caixa automática de seis relações que surge associada ao motor de combustão interna.

Face à versão híbrida, esta variante «de ligar à tomada» consegue prestações de melhor nível ao mesmo tempo que consegue ser mais económico, um autêntico «ovo de Colombo».

É o carro certo para mim?

Uma referência entre os SUV talhados para as famílias numerosas, nesta variante híbrida plug-in o Kia Sorento junta o «melhor de dois mundos»: prestações mais do que aceitáveis com consumos realmente comedidos (caso o carreguemos frequentemente).

Sim, os 65 950 euros pedidos pela Kia colocam o Sorento PHEV praticamente no mesmo patamar de preço de propostas como o BMW X3 xDrive30e ou o Mercedes-Benz GLC 300 de, mas a propostas sul-coreana tem alguns argumentos a seu favor.

Primeiro, é preciso adicionar 10-20 mil euros em opcionais às propostas premium para igualar o Sorento em equipamento.

Além disso, o Kia Sorento PHEV apresenta-se com sete lugares, algo que as propostas premium não têm, tal como os sete anos ou 150 mil quilómetros de garantia, também eles «exclusivos» da Kia.

VEJAM TAMBÉM: Testámos a Peugeot e-Traveller (elétrica). O que vale o futuro dos MPV?

Contudo, apesar da qualidade da proposta, face a rivais mais diretos como o SEAT Tarraco e-HYBRID FR, que é 10-15 mil euros mais acessível, o preço superior do Kia acaba por se destacar. Ainda assim mantém a vantagem dos sete lugares, já que o Tarraco, na versão híbrida plug-in, não permite essa configuração.

Kia Sorento PHEV testado. É o mais potente e caro dos Sorento, mas será a escolha certa?

Kia Sorento PHEV Concept

8/10

Uma das melhores propostas do segmento para quem precisa de sete lugares, o Kia Sorento PHEV tem nesta variante híbrida plug-in argumentos reforçados para seduzir aqueles que querem conciliar boas prestações com consumos bastante interessantes.
Contra si tem um preço que o coloca próximo das propostas premium, mas a verdade é que face a estas o Sorento «defende-se» com uma boa oferta de equipamento, uma extensa garantia, uma habitabilidade referencial e até com um nível de qualidade geral acima da média.

Prós

  • Consumos
  • Equipamento de série
  • Conforto
  • Espaço

Contras

  • Preço elevado

Versão base:€65.950

IUC: €137

Classificação Euro NCAP: 5/5

€65.950

Preço unidade ensaiada

  • Arquitectura:4 cilindros em linha
  • Capacidade: 1598 cm3 cm³
  • Posição:Motor combustão: Dianteira Transversal; Motor elétrico: Dianteira Transversal; Bateria: central
  • Carregamento: Motor combustão: Injeção direta, turbo e intercooler. Motor elétrico: bateria de iões de lítio de 13,8 kWh
  • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas por cilindro (16 válv.)
  • Potência:
    Motor combustão: 179 cv às 5500 rpm
    Motor elétrico: 91 cv
    Potência máxima combinada: 265 cv
  • Binário:
    Motor combustão: 265 Nm entre as 1500 e as 4500 rpm
    Motor elétrico: 304 Nm
    Binário máximo combinado: 350 Nm

  • Tracção: Integral
  • Caixa de velocidades:  Automática de 6 velocidades

  • Largura: 4810 mm
  • Comprimento: 1900 mm
  • Altura: 1695 mm
  • Distância entre os eixos: 2815 mm
  • Bagageira: 175 l (com três filas de bancos) a 809 l (com duas filas de bancos)
  • Jantes / Pneus: 235/55 R19
  • Peso: 1982 a 2099 kg

  • Média de consumo: 1,6 l/100 km; Consumo elétrico: 18,4 kWh/100 Km; Autonomia: 57 km
  • Emissões CO2: 38 g/km
  • Velocidade máxima: 193 km/h
  • Acelaração máxima: >8,7s

    Tem:

    • BCA (Blind-Spot Collision Avoidance) traseiro
    • BVM (Blind-Spot View Monitor)
    • DBC (Downhill Brake Control)
    • FCA (Forward Collision-Avoidance Assist)
    • HAC (Hill Assist Control)
    • Head-Up Display
    • HDA (Highway Driving Assist)
    • ISLA (Intelligent Speed Limit Assist)
    • LFA (Lane Following Assist)
    • LKA (Lane Keeping Assist)
    • MCB (Multi Collision Brake)
    • PCA (Parking Collision-Avoidance Assist) traseiro
    • Sensor de chuva
    • TSA (Trailer Stability Assist)
    • Apoio de pernas no banco do condutor elétrico
    • Apoio de pernas no banco do condutor elétrico
    • Banco do condutor com ajuste elétrico e memória
    • Bancos do condutor e do passageiro com apoio lombar elétrico
    • Banco do passageiro com ajuste elétrico
    • Banco de 2a fila rebatível 60/40
    • Banco de 3a fila rebatível 50/50
    • Bluetooth mãos livres
    • Câmara de estacionamento 360o
    • Carregador wireless para smartphone
    • Coluna da direção com regulação em altura e ajuste telescópico
    • Comandos no volante + Sistema de reconhecimento de voz
    • Cluster digital com ecrã LCD de 12,3"
    • Cortinas traseiras de privacidade
    • Cruise Control adaptativo com Sistema Stop&Go
    • Encostos de cabeça ajustáveis em altura
    • Ligações USB (1a, 2a e 3a fila)
    • Patilhas de mudança de velocidade
    • Porta-bagagens inteligente
    • Sensor de luz
    • Seleção de modos de condução
    • Sistema de chave inteligente e botão start
    • Sistema de navegação com touchscreen de 10,25''
    • Sistema de som Bose
    • Tomadas de 12 V (2a e 3a fila)
    • Vidros elétricos à frente e atrás
    • Apoio de braço dianteiro em pele c/ compartimento de arrumação
    • Bancos em pele aquecidos e ventilados
    • Bolsas de arrumos nas costas do banco do passageiro
    • EPB (Electronic Parking Brake)
    • Espelho retrovisor eletrocrómico
    • Luzes de leitura à frente
    • Pedais em alumínio
    • Iluminação ambiente
    • Roda sobressalente de emergência
    • Volante (aquecido) e alavanca das velocidades em pele
    • Antena Shark
    • Barras de tejadilho
    • Espelhos retrovisores elétricos da cor da carroçaria aquecidos e retráteis
    • Faróis dianteiros Dual LED
    • Faróis de nevoeiro LED
    • Jantes de Liga leve 19"
    • Luzes diurnas LED
    • Luzes LED traseiras
    • Manípulos das portas cromados
    • Piscas incorporados nos retrovisores
    • Sensores de parqueamento dianteiros e traseiros
    • Teto panorâmico com abertura elétrica
    • Vidros traseiros escurecidos

Pintura «Aurora Black» — 550€.

Sabe esta reposta?
Qual é a capacidade da bagageira do Kia Xceed PHEV?
Oops, não acertou!

Pode encontrar a resposta aqui:

Agora também como híbrido plug-in. Testámos o Kia XCeed PHEV