BMW Série 2 Active Tourer testado. Tem argumentos contra os SUV?

Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 37 200 euros

BMW Série 2 Active Tourer testado. Tem argumentos contra a «moda» SUV?

O BMW Série 2 Active Tourer é um dos últimos resistentes entre os monovolumes. Terá argumentos para vingar num mercado dominado pelos SUV?

Nos últimos anos os monovolumes têm perdido protagonismo, mas nem por isso o BMW Série 2 Active Tourer deixou de conhecer uma segunda geração.

Completamente novo, o modelo alemão tem pela frente a tarefa desafiante de vingar numa franja de mercado onde os SUV são a força dominante e onde até a BMW tem duas propostas: os X1 e X2, com os quais partilha a plataforma.

Para descobrir se tem argumentos para o fazer pusemo-lo à prova na versão mais acessível, a 218i equipada com um motor de apenas três cilindros, a gasolina.

A NÃO PERDER: Skoda Octavia Break Scout testada. Com carrinhas assim, quem precisa de um SUV?
BMW 218i Série 2 Active Tourer © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Identidade bem vincada

Se o exterior do Série 2 Active Tourer é pouco consensual, muito por «culpa» do “duplo-rim” XXL do qual até sou fã, o seu interior está totalmente em linha com as mais recentes propostas da marca bávara.

Enquanto no Série 1 e, principalmente, nos X1 e X2 temos um habitáculo onde os comandos físicos continuam muito presentes, no Série 2 Active Tourer a ausência generalizada de comandos físicos é sentida, com o design moderno do tabliê a seguir os ensinamentos de outros BMW como o iX.

Sim, é verdade que a ausência de comandos físicos para a climatização pode obrigar a alguma habituação, mas a responsividade do ecrã, as suas dimensões e até a dimensão dos comandos táteis comprovam que é possível abandonar os comandos físicos sem «destruir» a ergonomia.

A qualidade está ao nível do que se espera de um BMW, mas a habitabilidade e a quantidade de espaços de arrumação mostram que a BMW «estudou a lição» e criou um monovolume digno desse nome.

O Série 2 Active Tourer oferece uma habitabilidade bem melhor do que a de muitos SUV nesta classe.

Os bancos traseiros rebatem individualmente, o seu encosto é ajustável e se é verdade que a bagageira com 470 l de capacidade não é referencial, não é menos verdade que responde às necessidades de uma família, dispondo de uma notável versatilidade.

Descubra o seu próximo carro:

Combater mitos

Ao longo dos dias que passei ao volante deste BMW 218i Active Tourer fui «assaltado» frequentemente pelo mesmo pensamento de que este MPV faz muito o seu papel em «combater» mitos.

Afinal de contas, os monovolumes são muitas vezes vistos como propostas pouco apelativas para quem gosta de conduzir e os BMW de tração dianteira ainda são encarados com desconfiança pelos «puristas».

BMW 218i Série 2 Active Tourer
Os pneus que equipavam esta unidade não escondiam o foco na eficiência, mas o comportamento dinâmico não foi prejudicado. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Pois bem, o Série 2 Active Tourer «destrói» esses dois mitos mal o começamos a conduzir. Como seria de esperar num BMW a direção é precisa, rápida e direta, o que aliado a um bom chassis faz com que o Série 2 Active Tourer se revele interessante (quiçá até divertido) num traçado mais sinuoso.

Felizmente, a BMW não lhe deu um amortecimento demasiado seco para lhe dar essa faceta mais dinâmica, mantendo um nível de conforto bastante aceitável para uma proposta de cariz claramente mais familiar.

Os seus argumentos estradistas são também elevados, tendo-se revelado um excelente companheiro para viagens mais longas.

Quanto ao motor, apesar de ter apenas três cilindros, este 1.5 turbo a gasolina surpreendeu-me pela positiva. Com 136 cv e 230 Nm, pode não impressionar «no papel», mas na prática permite uma utilização bastante versátil do monovolume bávaro.

Associado a uma suave e bem escalonada caixa automática de sete relações, o tricilíndrico não se acanha quando levamos o Série 2 Active Tourer em viagens mais longas, permitindo não só manter velocidades de cruzeiro mais elevadas como efetuar ultrapassagens e recuperações sem especial dificuldade.

Aliás, nem mesmo no modo de condução “Eco”, o mais eficiente, este propulsor perde muito vigor. Quando optamos por uma toada mais calma presenteia-nos com consumos bastante comedidos.

BMW 218i Série 2 Active Tourer
O tricilíndrico que equipa o 218i Active Tourer foi uma agradável surpresa. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

No final de quase 1000 km percorridos entre estradas nacionais, autoestradas e o rebuliço urbano, o BMW Série 2 Active apresentava uma média de 5,6 l/100 km, e admito que os consumos não estiveram no topo das minhas prioridades.

LEIAM TAMBÉM: Novo Ford Kuga FHEV. Será que este híbrido dá cartas no território da Toyota?

Mas quando «trabalhei» para os consumos cheguei a ver o computador de bordo registar médias de 4,9 l/100 km.

É o carro certo para si?

Não há volta a dar. Os monovolumes até podem ter perdido protagonismo (e vendas) para os SUV, mas continuam a ser uma das melhores propostas para as famílias e o BMW Série 2 Active Tourer é particularmente eficaz a relembrar-nos disso mesmo.

Mais versátil do que o usual nos BMW, a nova proposta alemã vê o seu apelo reforçado ao conseguir conjugar muito bem conforto e comportamento.

O que faz do BMW Série 2 Active Tourer uma proposta particularmente adequada para aqueles que precisam de um carro de família, mas não prescindem de uma condução e dinâmica mais acutilante.

Preço

unidade ensaiada

46.559

Versão base: €37.200

IUC: €137

Classificação Euro NCAP: N/D

  • Motor
    • Arquitectura: 3 cilindros em linha
    • Capacidade: 1499 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção mista direta/indireta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c.; 4 válv. por cilindro (12 válv.)
    • Potência: 136 cv entre as 4400-6500 rpm
    • Binário: 230 Nm entre as 1500-4000 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Automática de 7 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4386 mm / 1824 mm / 1576 mm
    • Distância entre os eixos: 2670 mm
    • Bagageira: 470-1455 litros
    • Jantes / Pneus: 205/60 R17
    • Peso: 1545 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 6,2 l/100 km
    • Emissões de CO2: 140 g/km
    • Vel. máxima: 214 km/h
    • Aceleração: 9s
  • Garantias
    • Reviews Interval: 2 anos/30 000 km
  • Equipamento
    • Monitorização da pressão dos pneus
    • Sistema ISOFIX
    • Active Guard
    • Assistente de estacionamento
    • Serviços digitais Professional
    • Display widescreen
    • Jantes de 17''
Extras
Branco Mineral metalizada — 730 €; Pack Travel (inclui: Barras tejadilho alumínio Satinated; Teto de abrir elétrico panorâmico; Rede de separação na bagageira; Vidros com proteção solar; Ajuste dos bancos traseiros) — 2100 €; Pack Premium (inclui: Sistema de acesso Comfort; Pack de espelhos interior e exterior; Espelho retrovisor interior com função automática antiencandeamento; Painel de instrumentos Luxury; Luzes adaptativas LED; Assistente das luzes de máximos; Carregamento sem fios; Preparação para o volante aquecido; Preparação para bancos aquecidos frontais) — 2010 €; Assistente de condução — 610 €; Bancos dianteiros desportivos — 390 €; Aumento da capacidade do depósito de combustível — 50 €; Linha BMW Line Luxury — 2170 €; Sensatec perfurado Oyster — 620 €.
Avaliação
8 / 10
A BMW foi das últimas marcas a entrar no segmento dos monovolumes, mas promete ser das últimas a abandoná-lo e, a julgar pelas qualidades do Série 2 Active Tourer, tem boas razões para não o fazer. Nesta versão 218i consegue conjugar prestações mais do que aceitáveis com bons consumos, mantendo sempre um comportamento e qualidade geral referenciais. No fundo, o que o BMW Série 2 Active Tourer faz é relembrar-nos que ainda há espaço para propostas que não são SUV.
  • Qualidade geral
  • Relação conforto/comportamento
  • Versatilidade
  • Relação consumos/prestações
  • Preço
  • Equipamento de série
Sabe responder a esta?
Qual era a potência do BMW 333i (E30)?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

BMW 333i (E30). O «primo do M3» que pouca gente conhece

Mais artigos em Testes, Ensaio