Ensaio Testámos o SEAT Tarraco 2.0 TDI DSG. É melhor com caixa automática?

Desde 47 725 euros

Testámos o SEAT Tarraco 2.0 TDI DSG. É melhor com caixa automática?

Depois de já termos testado o SEAT Tarraco 2.0 TDI com caixa manual, chegou a altura de descobrir as qualidades da caixa automática.

SEAT Tarraco
© Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Quis o destino (ou a agenda de testes da Razão Automóvel) que um ano depois de eu ter testado o SEAT Tarraco com o motor 2.0 TDI de 150 cv, voltasse a testar o modelo espanhol exatamente com a mesma motorização e nível de equipamento Xcellence.

Contudo, nem tudo era igual ao modelo com que convivi há cerca de 12 meses. Para começar, neste espaço de tempo o Tarraco foi submetido a um discreto restyling.

O resultado dessa renovação foram algumas mudanças de pormenor e um interior que perdeu os comandos físicos em detrimento de comandos táteis e que recebeu um novo (e mais moderno) sistema de infoentretenimento.

LEIAM TAMBÉM: Injustamente “esquecida”. Testámos a Renault Espace
Seat Tarraco
Mesmo sem tração integral, o Tarraco não se nega a chegar um pouco mais longe do que as tradicionais carrinhas. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Além de tudo isto, e talvez mais importante, desta vez o 2.0 TDI estava associado à caixa automática DSG de sete relações o que faz levantar uma pergunta: é melhor que a transmissão manual?

Descanso ao pé esquerdo

Depois de ter constatado o quão «feliz» era o casamento entre o 2.0 TDI de 150 cv e a caixa manual de seis relações, foi com alguma curiosidade que arranquei para quase mil quilómetros ao volante da variante equipada com caixa automática.

Nos primeiros quilómetros, passados num insistente pára-arranca de hora de ponta, depressa agradeci a adoção da caixa DSG. Equipado com cruise control adaptativo com função stop & go, o Tarraco revelou-se particularmente agradável de conduzir nestas circunstâncias, sendo capaz de quase se «conduzir sozinho».

Já após o alívio do trânsito, a caixa DSG confirmou as qualidades que já lhe havia reconhecido noutras propostas do Grupo Volkswagen. Rápida q.b., esta destaca-se, acima de tudo, pela suavidade e pela capacidade de se adaptar «como uma luva» ao modo de condução selecionado.

Se escolhermos o modo «Eco» a caixa não só dá o seu melhor para manter o motor sempre por volta das 2000 rpm como sempre que circulamos numa descida opta por deixar o Tarraco «andar à vela».

No modo «Sport» faz o oposto e «estica» as relações para apimentar a experiência de condução e extrair todos os 150 cv do 2.0 TDI. Quanto ao modo «Normal», a resposta do motor é mais equilibrada, nem tão focada na performance nem tão pensada para a eficiência, e a caixa conjuga «o melhor de dois mundos».

Tudo isto contribui para que conduzir o SEAT Tarraco seja particularmente fácil, até em meio urbano. Contudo, é fora das cidades que o SUV se sente como «peixe na água» e onde as suas qualidades de estradista mais sobressaem.

LEIAM TAMBÉM: Volkswagen Arteon Shooting Brake eHybrid. A receita ideal?

Confortável e (muito) espaçoso, o Tarraco convida-nos a «devorar» quilómetros como os modelos equipados com motor Diesel sabem fazer. O desempenho do motor permite-nos imprimir velocidades de cruzeiro mais elevadas e «despachar» ultrapassagens com a facilidade exigida a um topo de gama.

SEAT Tarraco
Confortável, previsível e seguro, assim podemos descrever o comportamento do SEAT Tarraco. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

A facilidade de condução tem preço?

Tendo em conta as mais valias da caixa automática, a dada altura só uma questão me assaltava a mente sobre se esta seria uma melhor opção que a manual: será que os consumos se ressentem?

Pois bem, depois de ter percorrido largos quilómetros ao volante do SUV espanhol e, curiosamente, ter feito percursos muito semelhantes aos que fiz com a versão com caixa manual, posso dizer-vos que até no campo da economia a caixa DSG se revelou uma muito boa opção.

Descubra o seu próximo carro:

Ao longo do teste as médias andaram próximas das alcançadas com a unidade com caixa manual, ou seja, cerca de 6,5 l/100 km em estrada e não foram muito além dos 7,5 l/100 km em cidade (7l/100 km no caso do manual).

Já quando quis explorar realmente o potencial de poupança do motor Diesel, em modo «Eco» e num percurso pela lezíria ribatejana, a média baixou para uns frugais 5,6 l/100 km — um valor de nota, tendo em consideração que se trata de um SUV de dimensões generosas.

VEJAM TAMBÉM: Skoda Enyaq iV 80 (204 cv). Provavelmente, o melhor Skoda de sempre

E para mais um valor praticamente idêntico ao que consegui em circunstâncias idênticas com o Tarraco 2.0 TDI com transmissão manual.

É o carro SUV certo para si?

As qualidades do SEAT Tarraco vão muito além da unidade motriz e da transmissão que o equipam. Tal como disse no passado, o Tarraco revela ser um modelo bem equipado, confortável e (muito) espaçoso que merece lugar cativo na lista de opções de quem procura um SUV familiar.

Quanto à motorização, o 2.0 TDI de 150 cv relembra-nos que, em alguns modelos de cariz mais estradista, os motores Diesel continuam a fazer todo o sentido, sendo que quando associado à caixa DSG, faz do Tarraco um carro particularmente fácil de conduzir e económico.

Testámos o SEAT Tarraco 2.0 TDI DSG. É melhor com caixa automática?

SEAT Tarraco 2.0 TDI 150 cv Xcellence DSG

8/10

Se o 2.0 TDI já era, a meu ver, o motor que melhor se adequava ao SEAT Tarraco, quando associado à caixa DSG então torna-se uma combinação imbatível, destacando-se pela facilidade de condução, disponibilidade e baixos consumos. Em tudo o resto o SUV espanhol continua igual a si mesmo, a fazer do espaço, conforto e da elevada oferta de equipamento as suas principais «armas».

Prós

  • Conforto
  • Espaço
  • Consumos
  • Agradabilidade da caixa DSG
  • Dotação de equipamento

Contras

  • Motor algo ruidoso a frio
  • Comandos táteis menos intuitivos que os anteriores físicos

Versão base:€47.725

IUC: €259

Classificação Euro NCAP: 5/5

€54.995

Preço unidade ensaiada

  • Arquitectura:4 cilindros em linha
  • Capacidade: 1968 cm3 cm³
  • Posição:Dianteira transversal
  • Carregamento: Injeção direta Common Rail + Turbo de geometria variável + Intercooler
  • Distribuição: 4 cilindros em linha
  • Potência: 150 cv entre as 3250-4200 rpm
  • Binário: 340 Nm 1600-3000 rpm

  • Tracção: Dianteira
  • Caixa de velocidades:  DSG de sete velocidades

  • Largura: 4735 mm
  • Comprimento: 1839 mm
  • Altura: 1658 mm
  • Distância entre os eixos: 2790 mm
  • Bagageira: 230 litros (com sete lugares) — 700 litros (com cinco lugares)
  • Jantes / Pneus: 235/45 R20
  • Peso: 1773 kg

  • Média de consumo: 5,7 l/100 km
  • Emissões CO2: 150 g/km
  • Velocidade máxima: 196 km/h
  • Acelaração máxima: >10,1s

    Tem:

    • Volante multifunções em pele
    • Pontos de ancoragem traseiros para bancos de criança para sistema i-Size, 2x top tether, e ponto de ancoragem no banco do passageiro para sistema i-Size
    • Bancos dianteiros reguláveis em altura
    • Espelho interior anti encandeamento automático
    • Bolsa porta-objectos no encosto dos bancos dianteiros
    • Apoio de braço dianteiro
    • Assistente de faixa de rodagem
    • Espelhos retrovisores e manípulos das portas na cor da carroçaria
    • Iluminação interior LED no piso na parte dianteira
    • Espelhos retrovisores elétricos e aquecidos com recolhimento elétrico. Iluminação exterior de presença "Welcome Light"
    • Ajuste lombar nos bancos dianteiros
    • Faróis dianteiros Full LED
    • Farolins traseiros LED
    • Faróis de nevoeiro dianteiros LED com função cornering
    • Painel de instrumentos digital
    • Sistema de reconhecimento de cansaço
    • Ar condicionado
    • Travão de mão eléctrico com função Auto-Hold
    • 2 portas USB C dianteiras + 1 porta USB C traseira
    • Direção Progressiva
    • Volante multifunções em pele com patilhas para caixa DSG
    • Perfil de Condução SEAT com botão "Driving Experience"
    • Banco do passageiro rebatível
    • Barras do tejadilho cromadas
    • Jantes de liga leve 19" Exclusive
    • Abertura e fecho do portão traseiro elétrica e controlada por sensor (Pedal Virtual)
    • Sistema Kessy (Entry + Go) sem função SAFE
    • Vidros traseiros escurecidos
    • Moldura exterior dos vidros cromada
    • Front Assist com assistente de travagem em cidade para Cruise Control adaptativo.
    • Assistente automático de estacionamento
    • Cruise Control Adaptativo até 210km/h com função Stop&Go
    • Função ECO
    • Câmara traseira de ajuda ao estacionamento
    • Climatronic 3 zonas
    • Estofos em Alcantara
    • Bancos desportivos
    • Porta documentos por baixo do banco do condutor
    • Iluminação ambiente LED multicolor nos painéis das portas (dianteiras e traseiras)
    • Proteção dos estribos das portas iluminados
    • Teto panorâmico

Pacote Bancos 5+2 — 742,20 €
Connectivity box (Carregamento sem fios + Amplificador de sinal GSM) — 185,92 €
Câmara de visão 360º — 509,43 €
Controlo Adaptativo do Chassis (DCC) (inclui: suspensão traseira para DCC, suspensão dianteira para DCC, perfil de Condução SEAT com botão "Driving Experience" e regulação hidráulica da suspensão) — 742,20 €
Pacote Segurança & Condução L em combinação com Sistema de Navegação Plus 9,2" — 618,54 €
Tomada 230V na bagageira — 92,78 €
Regulação elétrica do banco do condutor com memória (do banco do condutor e espelhos retrovisores) — 370,37 €
Gancho de reboque — 731,95 €
Assistente de estacionamento com reboque — 229,76 €
BeatsAudioTM 9 altifalantes premium + 1 subwoofer + Amplificador de 340W + Tecnologia Surround — 464,07 €
Aquecimento programado — 881,30 €
Jantes de liga leve 20" Supreme — 690,97 €
Pacote inverno (Bancos dianteiros aquecidos, controlados separadamente
jato de água do lava para-brisas aquecido) — 453,81 €
Climacoat — 220,91 €
Volante aquecido — 104,55 €
Alarme com função SAFE — 231,32 €.

Sabe esta reposta?
Qual é a capacidade da bagageira do CUPRA Formentor VZ?
Oops, não acertou!

Pode encontrar a resposta aqui:

Testámos o CUPRA Formentor VZ 310 cv. A versão que mais convence?