Testámos o Dacia Duster TCe com 130 cv. O que valem mais 30 cv?

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Desde 20 400 euros

Testámos o Dacia Duster TCe com 130 cv. O que valem mais 30 cv?

Depois de ter testado o Dacia Duster bifuel, pus à prova a variante somente a gasolina e com 130 cv. Mas será que justifica o preço extra?

Se há algo que não falta ao Dacia Duster são motorizações por onde escolher. Depois de o termos posto à prova com a poupada motorização bifuel (a gasolina e GPL) e na desejada versão 4×4 com motor Diesel, fomos descobrir as qualidades de uma das motorizações mais potentes que podem equipar o Duster: o 1.3 TCe a gasolina na versão de 130 cv.

Não é, no entanto, a versão mais potente do SUV romeno, pois recebeu recentemente uma nova versão de 150 cv do mesmo 1.3 TCe, mas que não retira interesse a esta de 130 cv, um incremento substancial face aos 101 cv da versão a GPL que pude testar.

Mas será que mais 30 cv justificam o adicional de 1650 euros face à económica versão bifuel? Nas próximas linhas dou-vos a resposta a essa pergunta.

A NÃO PERDER: Testámos o FIAT Tipo Cross. A versão com melhor relação qualidade/preço?
Dacia Duster Gasolina © Fernando Gomes. Edição: Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Simplesmente Duster

Face aos outros dois Duster com que andei a grande diferença desta unidade era… a cor. Em vez do vistoso “Laranja Arizona”, este Duster estava pintado num não menos interessante “Azul Iron”. O preço destas duas cores? 400 euros, sendo que quem não quiser pagar mais pela pintura pode sempre optar pelo “Branco Glaciar” oferecido de série.

As emissões de carbono deste teste serão compensadas pela BP
Saiba como pode compensar as emissões de carbono do seu automóvel Diesel, gasolina ou GPL.

Tal como no exterior, no interior mantém-se tudo igual. Ou seja, materiais duros, uma montagem robusta e uma ergonomia à prova de críticas. Contudo, é no interior que o Duster a gasolina «ganha pontos» às variante 4×4 e a GPL que pude testar.

Face à versão 4×4, o Duster a gasolina apresenta-se com uma bagageira um pouco maior: 445 litros em vez dos 411 litros da variante mais aventureira. Já face à versão a GPL, apesar de a capacidade da bagageira ser a mesma, a ausência do depósito de GPL permite manter o pneu sobressalente.

Mais potente, mas económico

Com 130 cv e 240 Nm, este motor ajuda a tornar o Dacia Duster mais despachado, mas também deixa mais em evidência que o comportamento dinâmico não é o seu maior foco ou atributo.

Mas comecemos pela primeira parte. Mais do que os 30 cv extra, o que mais faz diferença entre este Duster e a versão GPL é o aumento de binário (240 Nm contra 170 Nm) que facilita o acesso à performance (disponibilidade superior), torna mais fácil ultrapassar e garante retomas de velocidade mais lestas.

Graças a isto, não somos «obrigados» a recorrer tanto à caixa manual de seis relações, que está bem escalonada, mas que beneficiaria de um tato um pouco mais «oleado».

Dacia Duster Gasolina
A caixa tem um escalonamento curto que ajuda a explorar bem o 1.3 TCe. © Fernando Gomes. Edição: Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Já a outra «face da moeda» do aumento de potência e binário surge quando decidimos explorar os 130 cv numa estrada mais sinuosa.

Se o comportamento pauta-se pela previsibilidade, não esperem tirar muita diversão ao volante do SUV romeno…pelo menos enquanto rodarem em asfalto. É quando saímos para estradões de terra que a diversão começa e o Duster se «transforma», graças também ao amortecimento algo brando e à elevada altura ao solo, que nos permite explorar a nossa «veia» de Sébastien Loeb.

Por falar no amortecimento, é ele o responsável pelo bom nível de conforto oferecido pela proposta da Dacia, mesmo nas estradas mais esburacadas.

Dacia Duster
Solícito e económico, o 1.3 TCe é um bom «aliado» do Dacia Duster. © Fernando Gomes. Edição: Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Outra boa notícia é que o motor maior, e consequente aumento de potência e binário, não se traduziu num apetite voraz. Lembram-se do maior binário? Pois é, graças a ele e ao «descanso» que este permite dar à caixa e às rotações mais elevadas, esta versão do Dacia Duster mantém a frugalidade típica do modelo romeno.

LEIAM TAMBÉM: Testámos o Hyundai Bayon 1.0 T-GDi Premium. Será que o Kauai se deve “preocupar”?

Ao longo do teste a média de consumos fixou-se nuns bastante interessantes 5,7 l/100 km, isto numa utilização que incluiu largos troços em autoestrada, mas também algumas horas «perdidas» no pára-arranca citadino. Para terem uma ideia, com o Duster bifuel, nos mesmos trajetos, e apenas a consumir gasolina, a média fixou-se nos 6,5 l/100 km.

Descubra o seu próximo carro:

É o carro certo para si?

Com um preço não muito superior ao da versão a GPL, este Dacia Duster com o 1.3 TCe a gasolina é a escolha ideal para quem aprecia o Duster, mas não «devora» quilómetros diariamente — nesse caso, o custo inferior do combustível da versão GPL tem, definitivamente, uma palavra a dizer.

Sim, é verdade que há uma versão a gasolina somente com 90 cv extraídos do 1.0 TCe, mas tendo em conta as dimensões do Duster essa acaba por nos… «confinar» a um uso maioritariamente urbano.

Já com estes 130 cv e 240 Nm é possível usar o Duster tanto em trajetos curtos em meio urbano como em viagens mais longas, em passeio ou com a família, tudo isto sem ter de «meter duas abaixo» sempre que queremos ultrapassar um camião.

Preço

unidade ensaiada

21.530

Versão base: €20.400

IUC: €172

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1332 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta + Turbo + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válvulas/cilindro
    • Potência: 130 cv às 5000 rpm
    • Binário: 240 Nm às 1600 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Manual de seis velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4341 mm / 1804 mm / 1693 mm
    • Distância entre os eixos: 2673 mm
    • Bagageira: 445 litros
    • Jantes / Pneus: 215/60 R17
    • Peso: 1358 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 6,2 l/100 km
    • Emissões de CO2: 141 g/km
    • Vel. máxima: 193 cv
    • Aceleração: 10,6s
  • Equipamento
    • Barras de tejadilho longitudinais em dark metal
    • Jantes em liga leve 17"
    • Vidros laterais e óculo traseiro sobreescurecidos
    • Retrovisores exteriores em cromado acetinado
    • Alerta de ângulo morto
    • Alerta de esquecimento dos cintos de segurança
    • Sistema ISOFIX
    • Controlo eletrónico de estabilidade + Sistema de ajuda ao arranque em subida (ESP+HSA)
    • Computador de bordo
    • Faróis de nevoeiro
    • Indicador de mudança de velocidade
    • Óculo traseiro com desembaciamento
    • Regulador e limitador de velocidade
    • Sensores de luminosidade
    • Sistema de ajuda ao estacionamento traseiro
    • Modo ECO
    • Ar condicionado automático
    • Condutas de ar para os lugares traseiros
    • Elevadores elétricos dos vidros traseiros
    • Retrovisores exteriores c/regulação elétrica e função de desembaciamento
    • Volante regulável em altura e profundidade
    • Volante em couro
    • Consola central semi-elevada com apoio de braços e local de arrumação
    • Banco traseiro rebatível com funcionalidade 1/3 - 2/3
    • Banco do condutor regulável em altura e com regulação lombar
    • Compatível com Android Auto e/ou Apple CarPlay
    • Sistema multimédia Media Nav 8”
Extras
Câmara Multiview — 350 €; Pneu sobressalente — 100 €; Cartão mãos-livres (inclui: portas USB traseiras, cartão mãos-livres) — 200 €; Cartografia Europa Ocidental — 80 €; "Azul Iron" — 400 €.
Avaliação
7 / 10
Longe de ter pretensões desportivas, o que este Dacia Duster com 130 cv faz melhor é oferecer uma superior facilidade de condução, fruto de um motor com mais potência e binário que não exige tanto esforço. Sim, é verdade que esta versão é mais cara que a variante a GPL, mas os cerca de 1600 euros a mais pedidos são justificados pela maior desenvoltura deste propulsor. Só é pena que não seja possível ter este motor na versão bifuel, pois com a economia permitida pelo GPL e as prestações oferecidas por esta motorização, facilmente seria um dos Duster mais interessantes.
  • Conforto
  • Relação preço/qualidade
  • Prestações
  • Ruídos aerodinâmicos
  • Materiais duros
  • Condução pouco entusiasmante em asfalto
Sabe responder a esta?
Em que ano foi lançado o Renault Clio V6?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

No adeus aos Renault Sport, recordamos 5 dos mais especiais

Mais artigos em Testes, Ensaio