Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Apresentação

LEVA. A nova plataforma da Lotus para desportivos 100% elétricos

A Lotus acaba de apresentar os primeiros detalhes da LEVA, a plataforma que servirá de base aos desportivos elétricos da marca britânica.

A Lotus acaba de apresentar os primeiros detalhes da plataforma que servirá de base à sua família de modelos elétricos, denominada LEVA, que é 37% mais leve que a do novo Emira.

Há apenas três semanas, a Lotus anunciou os contornos principais da sua ofensiva elétrica para os próximos anos e confirmou o lançamento de quatro modelos 100% elétricos até 2026.

Agora, foi a vez da marca britânica revelar a arquitetura que estará na base dos desportivos que farão parte desta ofensiva assente exclusivamente nos eletrões.

A NÃO PERDER: Lotus Emira chega como First Edition e com V6 Supercharged de 405 cv
Lotus LEVA

A LEVA (Lightweight Electric Vehicle Architecture) é totalmente adaptável e, como tal, permitirá servir uma gama de veículos elétricos com desenhos distintos e com distâncias entre eixos diferentes, bem como a diversos tamanhos de baterias.

E por falar em baterias, esta ofensiva da Lotus vai assentar em dois tipos de configurações distintas, com 8 e 12 módulos e com, respetivamente, 66,4 kWh e 99,6 kWh, e com disposições também elas distintas.

Lotus LEVA

Haverá pelo menos uma proposta — de quatro lugares — com a bateria colocada sob o piso do habitáculo. Porém, também estará disponível um tipo de solução que vai montar as baterias (de forma vertical) atrás dos bancos dianteiros, uma configuração que se destina aos modelos desportivos que se querem muito baixos e com um centro de gravidade mais baixo.

Por enquanto, a fabricante com sede em Hethel, no Reino Unido, já confirmou três configurações distintas:

  • 2 lugares, mínimo de 2470 mm entre eixos, bateria de 66,4 kWh (8 módulos), um motor elétrico e 350 kW (476 cv);
  • 2 lugares, mais de 2650 mm entre eixos, bateria de 99,6 kWh (12 módulos), dois motores elétricos e 650 kW (884 cv);
  • 4 lugares (2+2), mais de 2650 mm entre eixos, bateria de 66,4 kWh (8 módulos) e um motor elétrico com 350 kW (476 cv) ou dois motores elétricos com 650 kW (884 cv).

Tudo indica que o modelo de quatro lugares com base nesta plataforma será o sucessor do Evora, que saiu recentemente de cena para dar lugar ao Emira.

Lotus LEVA

Os recentemente anunciados dois SUV elétricos e “coupé” de quatro portas, por outro lado, não recorrerão a esta nova plataforma, nem serão construídos em Hethel. A sua orientação será distinta — mais versáteis no uso e destinados a um público mais amplo —, assentarão numa arquitetura fornecida pela Geely, e serão fabricados na China.

LEIAM TAMBÉM: Radford Type 62-2. É assim que se faz um desportivo nostálgico com genes Lotus

Já os outros dois modelos, ambos de dois lugares e de cariz desportivo, serão, muito provavelmente, os sucessores naturais do Elise e do Exige, sendo que um deles, conhecido pelo código interno Type 135, será desenvolvido a meias com a Alpine, sob a forma de um sucessor do A110.

Lotus EV
Gama de modelos elétricos da Lotus.

Para já, sabe-se apenas que o tão esperado desportivo Type 135 só vai começar a ser produzido em 2026, em Hethel, no Reino Unido, onde a Lotus também vai produzir o Emira e o Evija, o primeiro 100% elétrico da Lotus.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi fundada a Lotus?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lotus Mark I. Onde está o primeiro Lotus construído pelo seu fundador?

Mais artigos em Notícias