Arranque a frio

Elisa reencontra Elise, 22 anos depois

Pequeno e leve desportivo britânico, o Lotus Elise deve o seu nome a uma mulher. Que, 22 anos depois, voltou a reunir-se com o “seu” carro.

Romano Artioli, empresário italiano, chegou a ser dono de um dos maiores concessionários da Ferrari em Itália, mas acabaria por ficar conhecido, sobretudo, pela compra da Bugatti em 1987, originando o fantástico EB110. Não se ficaria por aqui, comprando a Lotus à General Motors, em 1993, tendo sido durante a sua liderança de apenas três anos, que foi lançado o Lotus Elise.

Desportivo referencial, ainda hoje vendido, marcou o regresso às origens por parte da Lotus. Quando chegou altura de batizá-lo, por vontade de Romano, ficou com o nome da neta Elisa Artioli — momento que ficou gravado para a prosperidade, ainda a mulher era criança.

Passados 22 anos e já com a Lotus nas mãos da Geely, Elisa, a mulher, voltou às instalações da marca em Hethel, para reencontrar-se com Elise, o carro — como parte das comemorações do 70º aniversário da marca —; não apenas com o modelo a que deu o nome, mas precisamente com o mesmo carro com que foi então fotografada — o Lotus Elise chassi número 2.

VÊ TAMBÉM: O Lotus n.º 100 000, um Evora GT410 Sport, pode ser teu por pouco mais de 20 euros

Sobre o “Arranque a Frio”. De segunda a sexta-feira na Razão Automóvel, há um “Arranque a Frio” às 9h00 da manhã. Enquanto bebes o teu café ou ganhas coragem para começar o dia, fica a par de curiosidades, factos históricos e vídeos relevantes do mundo automóvel. Tudo em menos de 200 palavras.

Sabes responder a esta?
Quanto anos fez a Ferrari, em 2017?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Família de Steve McQueen processa Ferrari. Porquê?

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos