Apresentação

Nova era na CUPRA começa com o seu primeiro elétrico, o Born

A comemorar três anos como marca independente, a CUPRA não só revelou os seus planos para o futuro, como o carro com que planeia lançá-los: o CUPRA Born.

Três anos depois do seu lançamento como marca independente, a CUPRA entra em 2021 com ambições renovadas, tendo no CUPRA Born, o nome definitivo para a versão de produção do CUPRA el-Born, o seu primeiro modelo 100% elétrico, o “ponta de lança” desta nova etapa.

Num evento realizado na plataforma virtual da CUPRA e-Garage, a mais jovem marca do Grupo Volkswagen revelou quais os seus planos para o futuro e, verdade seja dita, não lhe falta ambição.

Para começar, o presidente da CUPRA, Wayne Griffiths, revelou quais as metas da marca para 2021, afirmando: “A CUPRA surpreendeu todos nestes três anos e até continuou a crescer durante a pandemia. Estes grandes resultados dão-nos otimismo para encarar 2021 com mais força: este ano, queremos duplicar o volume de vendas de 2020 e alcançar um mix de 10% do volume total da empresa”.

VÊ TAMBÉM: CUPRA Formentor eletrifica-se a dobrar com duas versões e-HYBRID
CUPRA Formentor

Como é óbvio, para conseguir este nível de crescimento é preciso um plano e o da CUPRA assenta em três “pilares” distintos: eletrificar a gama, implementar uma nova estratégia de distribuição e construir o “universo da marca”.

CUPRA Born: o primeiro de uma nova era

No que à eletrificação diz respeito, a CUPRA visa conseguir que 50% das vendas totais do Formentor sejam versões híbridas plug-in, contando ainda com uma completa gama de modelos eletrificados.

No entanto, é o CUPRA Born que surge como a “estrela” deste plano de eletrificação da CUPRA, cujo lançamento está previsto acontecer já este ano, contribuindo não só para ajudar a CUPRA a reduzir as emissões de CO2, como para a transformação da marca.

CUPRA Born
O presidente da CUPRA, Wayne Griffiths, ao lado do CUPRA Born.

Uma transformação que terá igualmente no Born como o “responsável” pela implementação de uma nova estratégia de distribuição, com o modelo a estar disponível por subscrição, com uma prestação mensal que incluirá o uso do veículo e outros serviços relacionados (o segundo “pilar”).

A ele seguir-se-á, segundo avança a Autocar, outro modelo elétrico, cuja chegada está prevista para 2025. Mais pequeno que o CUPRA Born, este modelo deverá recorrer à “mini-MEB”, ou seja, a variante mais pequena da MEB, da qual já te falámos à uns anos, que a Volkswagen está a desenvolver e que dará origem a modelos elétricos de dimensões mais compactas, similares a um SEAT Ibiza ou um Volkswagen Polo.

VÊ TAMBÉM: SEAT e CUPRA passam a ser representadas pela SIVA em 2021

Os outros pilares

Além de querer transformar a sua estratégia de negócio, a CUPRA planeia, ainda ao abrigo do “segundo pilar” de crescimento, aumentar a sua visibilidade nas ruas. Para tal planeia abrir “City Garage Stores” nas zonas centrais das principais cidades do mundo.

O objetivo passa por expandir a sua rede global, prevendo ter no final de 2022, 800 pontos de venda. A juntar a isto, a CUPRA quer ainda aumentar a sua equipa com mais 1000 CUPRA Masters.

Por fim, o “terceiro pilar”, o do crescimento do universo da marca, vai focar-se em gerar novas experiências, procurando desta forma expandir-se para novos mercados internacionais, entre os quais se destacam o México, Israel ou a Turquia.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o SEAT Ronda?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Este SEAT Ronda foi usado como prova em tribunal. Porquê?

Mais artigos em Notícias