Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Cor

Há 10 anos que o branco é a cor mais popular nos automóveis

O branco continua a ser a cor mais popular, por larga margem, nos automóveis produzidos em 2020, seguindo-se a ela apenas mais tons neutros.

Um mundo automóvel a preto e branco parece ser a norma e já é assim há muitos anos; 2020 não é exceção. Mais uma vez, é o branco que continua a ser, por larga margem, a cor mais popular nos automóveis produzidos no planeta. Há 10 anos que o é, e nos últimos três anos a quota estabilizou nos 38% — o dobro da percentagem para o segundo tom mais popular.

Nessa segunda posição encontramos o preto, com 19%, que continua a ser o tom preferido para veículos topo de gama ou luxo. É seguido pelo cinzento, com 15%, uma subida de dois pontos percentuais em relação ao ano anterior, atingindo um pico de 10 anos. A subida do cinzento é contraposta por uma descida do tom prata, que continua numa tendência decrescente, ficando-se pelos 9%.

Ou seja, se somarmos tudo isto, significa que 81% dos automóveis produzidos no mundo em 2020 saíram da linha de produção com um tom neutro — um mundo automóvel com muita pouca cor.

VÊ TAMBÉM: Sinais de fumo. O que significam as cores do fumo de escape?
Mazda3
Um pouco de cor nunca fez mal a ninguém.
Europa
No continente europeu, o cinzento e o branco dividem a liderança, atingindo cada os 25% de quota. São seguidos pelo preto, com 21% e, notavelmente, pelo azul com 10%, que se sobrepõe ao prata, com 9%.

A primeira cor a aparecer neste relatório sobre a popularidade das cores nos automóveis, o 68th annual Global Automotive Color Popularity Report da Axalta (fornecedor mundial no segmento de tintas líquidas e em pó), é o azul com apenas 7%. O vermelho fica-se pelos 5%, com os beges/castanhos a revestirem apenas 3% dos automóveis produzidos.

A fechar este relatório temos o amarelo e o verde com, respetivamente, 2% e 1%, com o 1% em falta a incluir todos os outros tons não mencionados.

No entanto, apesar do cenário neutro que domina o panorama automóvel, a Axalta refere que o seu relatório serve de referência para as suas pesquisas na criação de cores inovadoras para o futuro. A empresa indica, por exemplo, que há uma tendência para tons como verde-azulado e verde-amarelado.

Outra tendência é a do uso crescente do cinzento (como foi reportado), mas com nuances de cor para o tornar mais vivo, com recurso a finos flocos e vestígios de flocos coloridos.

Mais artigos em Notícias