Recharge No modo Recharge está a reduzir a sua pegada ecológica.

Obrigado por guardar energia para o que mais importa.

Uma iniciativa
x

Recharge

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Antevisão

Futuro Volkswagen Passat chega em 2023, mas o sedã ficará pelo caminho

O Volkswagen Passat sedã que conhecemos atualmente poderá ser muito bem o último, quando a geração atual for substituída em 2023.

Primeiro foi nos EUA. Ficámos a saber, não faz muito tempo, que o Volkswagen Passat norte-americano (diferente do europeu) não teria sucessor. O sucesso de modelos SUV como o Volkswagen Atlas — um SUV de grandes dimensões não vendido na Europa — estão a contribuir para a perda de importância comercial dos convencionais sedãs como o Passat.

Na Europa as notícias, quase em simultâneo, iam noutro sentido. Haveria um novo Volkswagen Passat, mas produção deste sairia de Emden, na Alemanha, para a fábrica da Skoda, em Bratislava, na Eslováquia, juntando-se ao Skoda Superb. Movimentação justificada pela conversão da fábrica de Emden para produzir apenas veículos elétricos.

Os dois modelos, Passat e Superb, estarão mais próximos um do outro que nunca nas suas próximas gerações. Compartilharão as mesmas mecânicas, soluções tecnológicas e a plataforma MQB. Um cenário não muito diferente do de hoje, mas ao partilharem a mesma linha de produção, terá como consequência uma maior partilha de componentes entre os dois.

VÊ TAMBÉM: Familiar, desportiva e “poupadinha”? Testámos a híbrida (plug-in) Volkswagen Passat Variant GTE
Volkswagen Passat

Adeus, Passat sedã

Porém, agora, de acordo com a Automotive News que obteve informações de fontes internas na Volkswagen, quando a próxima geração do Passat chegar em 2023, apenas a carrinha (Variant) fará parte da gama. O sedã não terá sucessor.

Tal justifica-se pelas vendas decrescentes do sedã — também na Europa os crossover e SUV estão a tomar o lugar da tradicional berlina de três volumes —, e pelo sucesso da carrinha Passat em mercados chave, como o alemão (o maior mercado automóvel europeu). Nove em cada 10 Passat vendidos na Alemanha têm como destino empresas e frotas e maioritariamente é a Passat Variant a escolhida.

Na Europa Central e de Leste, onde os sedãs ainda têm mais peso comercial do que as carrinhas, será o Skoda Superb a preencher essa necessidade — relembramos que o Volkswagen Passat e o Skoda Superb são os modelos que mais vendem no segmento a nível europeu, se não contarmos com os modelos premium alemães (Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C).

Volkswagen Passat Variant GTE
É a carroçaria mais popular da gama na Europa com alguma margem, garantindo-lhe mais uma geração de vida. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Também a caminho da extinção parece estar o recentemente renovado Volkswagen Arteon, o irmão com mais estilo do Passat, que até recebeu uma inédita variante carrinha de nome Shooting Brake.

A Volkswagen continuará a ter um grande sedã

O fim anunciado do Volkswagen Passat sedã (e aparentemente do Arteon, apesar da quinta porta) não significa, porém, o fim desta carroçaria neste segmento para a marca alemã.

Em 2018, no seguimento da revelação de vários protótipos para a crescente família ID, ficámos a conhecer o I.D. Vizzion, ou a… visão de um sedã elétrico e autónomo da Volkswagen para o futuro. Seria acompanhado, em 2019, por uma carrinha, a ID. Space Vizzion. É praticamente impossível não olhar para os dois modelos e não ver neles a “vizzion” do que serão os Passat 100% elétricos.

Volkswagen ID Vizzion Concept Genebra 2018
Volkswagen I.D. Vizzion Concept

E é o que vamos ter. Originalmente previstos para, diziam, o mais tardar, 2022, a chegada das versões de produção foram adiadas para 2023. Com o nome de código interno “Aero B”, as suas designações finais deverão assumir, presumivelmente, as nomenclaturas ID.6 e/ou ID.7, mas ainda não há confirmações.

Os protótipos que conhecemos eram um pouco maiores do que o Volkswagen Passat de hoje e ofereciam cotas internas ao nível do já extinto e maior Phaeton, características que deverão permanecer nos modelos de produção. Prometem uma aerodinâmica bastante apurada, um dos ingredientes para que a versão com maior autonomia consiga chegar aos 700 km (pelo menos no mais fluído sedã).

Volkswagen ID. Space Vizzion
Volkswagen ID. Space Vizzion

Fontes: Automotive News, Auto Motor und Sport.

Mais artigos em Notícias