Desde 47 432 euros

Skoda Superb 2.0 TDI 150 cv testado. O que vale o carro do “Sr. Ministro”?

Fomos descobrir os argumentos do renovado Skoda Superb. Uma berlina preparada para agradar a famílias, executivos e até ministros.

Desde a sua primeira geração, o Skoda Superb tem sido uma opção frequente nas frotas dos governos europeus. Argumentos não lhe faltam para essa missão institucional, desde as suas vastas dimensões externas, ao visual sóbrio que sempre o marcou ou até ao generoso espaço que oferece.

Fomos descobrir mais sobre o que faz do Superb ser o “carro do Sr. Ministro”, depois de termos posto à prova, recentemente, a Superb Break, a carrinha da gama.

Começando pelo seu aspeto, tenho de dar os parabéns à Skoda pela forma como conseguiu disfarçar o facto de o Superb ser, na realidade, um hatchback. Pois é, apesar de não parecer, o topo de gama checo tem uma quinta porta (porta da bagageira inclui óculo) e a verdade é que esta é uma grande mais valia no que à versatilidade diz respeito.

VÊ TAMBÉM: Toyota Camry. Será que o japonês feito a pensar nos americanos convence os europeus?
Skoda Superb
Não parece mas o Superb é um hatchback e não um sedã. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Já o estilo sóbrio promete fazer com que o Superb se mantenha visualmente atual ao longo dos anos, sendo apenas de lamentar o facto de este não esconder uma excessiva semelhança com outras propostas da marca checa.

Qualidade e espaço são a norma

Sem surpresa e tal como a Superb Break que testei, o interior do Superb berlina é bem construído e reveste-se de bons materiais, valendo-se de uma ergonomia à prova de críticas graças não só a um bom sistema de infoentretenimento como ao facto de se manter fiel aos comandos físicos.

Skoda Superb
No interior a sobriedade foi adotada em detrimento da modernidade oferecendo uma bem vinda facilidade de utilização. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
MAIS SOBRE O INTERIOR: Skoda Superb Break TDI 190 cv testada. O que oferece para além de muito espaço?

Já no capítulo do espaço, o que disse acerca da carrinha volta a aplicar-se aqui. Seja nos lugares dianteiros seja nos traseiros viaja-se com conforto e agradável desafogo, sendo fácil perceber uma das razões pela qual este modelo é presença habitual no estacionamento dos ministérios. Já a bagageira com 625 litros estabelece-se como a referência do segmento.

Skoda Superb
A bordo do Superb a “espaço” é a palavra de ordem. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Mesmo motor, menos potência

O Skoda Superb berlina, tal como a carrinha, recorre a um 2.0 TDI que se conjuga com a caixa DSG de sete relações. No entanto, o famoso Diesel apresenta-se aqui com 150 cv ao invés de 190 cv como acontecia na carrinha .

A verdade é que depois de vários dias e mais de 1000 km ao volante do Superb equipado com este motor nunca dei comigo a pensar “aqueles 40 cv extra fazem-me mesmo falta“.

Não me interpretem mal, a potência é como o dinheiro, nunca é demais. No entanto, esta versão com 150 cv não desilude.

Skoda Superb
Os confortáveis bancos do Superb não só nos permitem alcançar uma boa posição de condução como convidam a longas tiradas em autoestrada. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel
VÊ TAMBÉM: Testámos o novo Škoda Octavia (4ª geração). O melhor de sempre?

Solícito e com uma entrega linear de potência, este motor tem na caixa DSG uma boa aliada e no facto de não ter modos de condução (a não ser o modo “S” da caixa) é uma boa notícia que se traduz numa afinação standard agradável de usar e que permite um bom compromisso entre prestações e consumos.

E é precisamente por estes últimos que este 2.0 TDI mais se destaca. Estradista por natureza, este motor parece casar na perfeição com o carácter do Superb e com as funções que habitualmente este desempenha.

Com uma caixa bem escalonada que não nos obriga a andar sempre a fazer reduções para tirar o melhor partido dos 150 cv, este 2.0 TDI facilmente nos permite averbar consumos entre os 5-5,5 l/100 km em estrada e entre os 6-6,5 l/100 km em cidade. Quando explorei a sua veia economicista e dei uso ao cruise control consegui até médias de 4,8 l/100 km — nada mal, mesmo…

Skoda Superb
Bastante completo e de fácil leitura, o Virtual Cockpit faz parte do equipamento de série. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Já no capítulo dinâmico, o Skoda Superb na variante hatchback merece os mesmos elogios que teci à carrinha. Estável e confortável, não compromete quando chegam as curvas mas também não entusiasma — nem é esse o seu objetivo —, preferindo longas tiradas em autoestrada onde nos convida a percorrer sempre mais alguns quilómetros.

VÊ TAMBÉM: Skoda cria uma aplicação que “ouve” o carro para detetar avarias

É o carro certo para mim?

Bem sei que há no segmento modelos com mais sex appeal como o Peugeot 508 ou com outro pedigree como o BMW 420d, mas a verdade é que nenhum deles oferece o espaço que o Skoda Superb oferece.

Skoda Superb
A quinta porta é uma grande mais valia em termos de versatilidade. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

Discreto e sóbrio por natureza, o Skoda Superb é estradista nato e a escolha ideal para quem precisa de “devorar” quilómetros diariamente a ritmos relativamente elevados com conforto e segurança e não quer que a fatura do combustível seja excessivamente elevada.

No final de contas, depois de ter passado alguns dias aos comandos do Skoda Superb não foi difícil perceber porque razão é o “carro do Sr. Ministro”. O que me faz confusão é que alguns “Srs. Empresários” não se deixem mais vezes cativar pelos seus charmes e qualidades, pois pelo preço a que é proposto não há muito melhor no segmento.

Preço

unidade ensaiada

49.147

Versão base: €47.432

IUC: €225

Classificação Euro NCAP:

  • Motor
    • Arquitectura: 4 cilindros em linha
    • Capacidade: 1968 cm3
    • Posição: Dianteira transversal
    • Carregamento: Injeção direta Common Rail + Turbo de geometria variável + Intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv. por cil.
    • Potência: 150 cv entre as 3000-4200 rpm
    • Binário: 340 Nm entre as 1700-2750 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: DSG 7 velocidades
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento / Largura / Altura: 4869 mm / 1864 mm / 1469 mm
    • Distância entre os eixos: 2841 mm
    • Bagageira: 625 litros
    • Jantes / Pneus: 215/55 R17
    • Peso: 1575 kg
  • Consumo e Performances
    • Consumo médio: 5,2 l/100 km
    • Emissões de CO2: 129 g/km
    • Vel. máxima: 220 km/h
    • Aceleração: 9,1s
  • Garantias
    • Mecânica: 4 anos ou 80 mil quilómetros
  • Equipamento
    • Apoio de braços dianteiro Jumbo Box refrigerada
    • Apoio de braços traseiro
    • Ar condicionado Climatronic
    • Bancos dianteiros com apoio lombar, o do condutor ajustável eletricamente
    • Bancos dianteiros ajustáveis em altura, o do condutor com regulação elétrica e memória
    • Bluetooth com LTE e carregamento por indução
    • Câmara traseira
    • Cockpit Virtual
    • Cruise Control com Speedlimiter
    • Espelho retrovisor interior com antiencadeamento automático
    • Espelhos retrovisores exteriores, elétricos, aquecidos, retráteis e com memória
    • Faróis de nevoeiro dianteiros com função cornering
    • 2 x USB á frente
    • Faróis full LED Matrix
    • Frisos cromados nas janelas
    • Front Assist com sistema de travagem de emergência
    • Hill hold control
    • Jantes de liga leve 17" Drakon, antracite
    • Kessy Go
    • Light Assistant — Comming/Leaving Home, Tunnel Light e Day Light
    • Luz interior na zona dos pés à frente e atrás
    • Monitorização da pressão dos pneus
    • Sensor de luz e chuva
    • Sensores de parqueamento à frente e atrás
    • Side Assist
    • Sistema de Infotainment com navegação Amundsen
    • Smartlink
    • Tomada(s) de 12 volts
    • Voice control
    • Volante multifunções com controlos de rádio, telefone
Extras
Care Connect + Infotaibment Online 1 ano; Teto de abrir — 1105 €; Travel Assist com reconhecimento dos sinais de trânsito — 70 €; Pintura metalizada — 540 €.
Avaliação
7 / 10
Confortável, espaçoso, bem construído e económico, o Skoda Superb é aquele tipo de carros que nos fazem querer embarcar numa viagem estrada fora para o mais longe possível da confusão dos centros urbanos. Posicionado num segmento dominado pelas propostas premium alemãs, o Superb tem contra si aquela que é uma das qualidades mais apreciadas pelos seus habituais clientes: uma grande sobriedade que o faz passar algo despercebido face à concorrência e o torna demasiado semelhante a outras propostas da Skoda. Não é impedimento para ser uma das propostas mais vendidas do segmento.
  • Consumos
  • Desempenho do motor
  • Aptidões estradistas
  • Visual demasiado semelhante a outras propostas da marca
Sabes responder a esta?
Em que ano foi revelado o protótipo Skoda Tudor?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Nada está a salvo. Skoda Tudor, o protótipo que até seria roubado

Mais artigos em Testes, Ensaio