Insólito

Este SEAT Ronda foi usado como prova em tribunal. Porquê?

O primeiro SEAT a ter o nome de uma localidade espanhola, o SEAT Ronda, foi alvo de um processo de plágio que só se resolveu graças a este peculiar exemplar.

O ano de 1982 não só viu chegar ao fim a longa parceria existente entre a SEAT e a Fiat como foi o ano da chegada ao mercado do SEAT Ronda — modelo que desencadearia uma disputa entre as marcas espanhola e italiana. Neste artigo contamos-te essa história.

No acordo de “divórcio” entre as duas marcas, o artigo 5.1 definia que a SEAT tinha de proceder a um restyling a todos os seus modelos de origem Fiat para os poder exportar. Tal significava que os SEAT Panda, 127, Ritmo e 131 teriam de receber um novo visual. Não se ficaria por aí, pois a SEAT procedeu ainda a uma mudança do seu logótipo.

Para além de tudo isto, o acordo assinado ainda em maio de 1981, comprometia a Fiat a assegurar a importação dos modelos da marca espanhola, evitando assim que esta tivesse de criar uma rede de concessionários própria na Europa.

VÊ TAMBÉM: Visitámos o museu privado (e quase secreto) da SEAT

Ora, o primeiro modelo da SEAT a ser lançado depois do “divórcio” foi precisamente o Ronda, que também foi o primeiro SEAT a usar o nome de uma localidade espanhola como designação oficial, como ainda foi o primeiro a não ter o envolvimento da Fiat e… acabou por ser o causador de uma disputa legal entre as duas marcas.

Plágio? Olhe que não, olhe que não

Desenvolvido com base no Fiat Ritmo, o SEAT Ronda deve as suas linhas à Rayton Fissore — sim, a mesma empresa por detrás do Magnum, o SUV… não o gelado — e viu o seu desenvolvimento ser levado a cabo em Martorell.

Ainda assim, após a revelação do novo Ronda, os responsáveis da Fiat olharam para ele e acharam-no semelhante ao seu Ritmo, demasiado até. Pelo que a Fiat decidiu avançar com uma ação em tribunal contra a SEAT, acusando a marca espanhola de plágio.

Face a esta acusação, o então presidente da SEAT, Juan Miguel Antoñanzas, teve uma ideia de génio.

Para demonstrar o quão o Ronda era diferente do Ritmo, pegou numa unidade de cor preta e pintou a amarelo todas as partes e peças que este tinha diferentes; fosse por fora, ou por dentro — vê bem o seu interior na galeria abaixo…

VÊ TAMBÉM: SEAT MÓ. Fica a conhecer a nova marca de mobilidade urbana da SEAT

Este peculiar Ronda foi assim apresentado como prova da SEAT no Tribunal Arbitral em Paris e… resultou. Os juízes decretaram, já no ano seguinte, em 1983, que as diferenças entre ambos os modelos eram suficientes para que o SEAT Ronda não pudesse ser considerado um plágio do modelo italiano.

Parece-nos hoje óbvio que, dificilmente, o Ronda pudesse ser considerado um plágio do Ritmo, o que nos leva a um rumor que persiste sobre o que realmente esteve por detrás da ação da Fiat contra a marca espanhola.

De acordo com esse rumor, o SEAT Ronda apresentava um visual bastante próximo ao que estava projetado para o restyling do Fiat Ritmo. O modelo da Fiat era criticado, desde o seu lançamento, pelo estilo “estranho”, e o restyling serviria para corrigi-lo, dando-lhe uma aparência mais consensual e conservadora como… o Ronda.

Fiat Ritmo
Olhando para o restyling do Fiat Ritmo não nos admirávamos de que a Fiat tivesse “inveja” do estilo do Ronda.
VÊ TAMBÉM: Ao volante do SEAT Mii electric. O primeiro de uma nova era

Ora, tendo o Ronda chegado primeiro ao mercado, o visual do renovado Ritmo terá sido, ao que tudo indica, “deitado ao lixo”. A Fiat acabou por adotar para o reestilizado Ritmo uma nova frente de faróis duplos, solução que manteve até à sua substituição pelo Fiat Tipo em 1988.

Fontes: SEAT, Seatfansclub.

Sabes responder a esta?
Qual foi o primeiro modelo da SEAT?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

SEAT 1400. Este foi o primeiro automóvel da marca espanhola

Mais artigos em Clássicos