Comparativo

“Irmãos” e rivais. Colocámos à prova os Fiat 500X Sport e Jeep Renegade Orange Edition

O que une e o que separa o Fiat 500X Sport e o Jeep Renegade Orange Edition? Colocámos os dois "irmãos" à prova para descobrir.

O Fiat 500X Sport  e o Jeep Renegade Orange Edition assentam, como os restantes membros das respetivas gamas, sobre a mesma plataforma, usam as mesmas mecânicas e até são produzidos na mesma fábrica.

À primeira vista ninguém diria, pois o seu design exterior e interior não podia ser mais distinto. Mas com tanto a unir estes dois modelos, será que há mais a separá-los do que o seu design?

Para o descobrir, juntámos os dois modelos. Ambos equipados com o novo motor 1.3 Firefly Turbo de 150 cv, caixa automática (dupla embraiagem) de seis velocidades e duas rodas motrizes — a única combinação disponível com este motor.

TENS DE VER: De crossover a SUV. Já conduzimos o novo Mercedes-Benz GLA 220 d

Firefly enérgico e…

O 1.3 Firefly Turbo de 150 cv é o motor a gasolina mais potente das respetivas gamas 500X e Renegade. É o nosso segundo encontro com este ainda jovem motor, após o João Delfim Tomé o ter testado num outro Renegade e faço das suas as minhas palavras.

Os 150 cv e 270 Nm providenciam, tanto ao Renegade como ao 500X, a injeção de força/performance que sentimos falta no (interessante) Firefly de três cilindros e 1000 cm3 — com 1400 kg, estão longe de ser os mais leves do segmento, pelo que agradece-se o poder de fogo adicional.

Fiat 500X Sport
O 1.3 Firefly Turbo revelou ser um melhor parceiro para os B-SUV da FCA que o mil turbo de três cilindros. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

No entanto, a ação mais vigorosa deste motor é de alguma forma atenuada pela ação da caixa, que podia ser mais rápida, quando comparada com transmissões equivalentes — algo que se sente mais no modo manual.

Em modo automático revela-se suave na ação, à medida das pretensões da maioria dos cliente deste segmento.

Nenhum dos dois traz modos de condução — o que até se agradece —, mas tendo em consideração a natureza mais… sport desta versão do 500X, esperávamos uma afinação mais espigada.

Só mesmo quando somos um pouco mais contundentes com o acelerador, ou seja, quando pressionamos com mais convicção o pedal da direita, é que a caixa consegue retirar todo o sumo deste novo motor do Grupo FCA. De resto, um fenómeno partilhado com outros modelos que já testei equipados com transmissão de dupla embraiagem.

VÊ TAMBÉM: Novo Renault Captur testado. Tem argumentos para continuar a liderar?

… guloso

Temos força e performance q.b. do 1.3 Firefly Turbo em ambos os modelos — o 500X Sport é marginalmente mais rápido —, mas o seu apetite também.

Não interessa se estão aos comandos do 500X ou do Renegade, caso queiram explorar verdadeiramente esta mecânica, os consumos ficarão sempre a norte dos 9,0 l/100 km num uso misto (urbano+suburbano). A velocidades de autoestrada, já conseguimos baixar desta marca. Mas só mesmo a velocidades estabilizadas moderadas é que conseguimos que computador de bordo registe uns ainda assim gulosos 7,0 l/100 km.

Como se comparam ao volante?

Ok… Não encontrei diferenças entre o 500X Sport e Renegade ao nível do motor e caixa, mas ao volante, apesar da proximidade dos “irmãos”, há diferenças a registar.

Surpreendentemente é o 500X Sport quem lida melhor com irregularidades mais abruptas (juntas de expansão, tampas de esgoto, piso mais enrugado, etc.). Surpreendente porque seria de esperar que o aprumo dinâmico adicional do 500X Sport — taragem mais firme em 10%, menos 13 mm na distância ao solo e direção recalibrada em relação a outros 500X — o posicionassem como o mais delicado nesse ponto.

A “culpa” poderá estar nas rodas de maior dimensão do Renegade. Apesar de ambos virem com jantes de 19″ (opcionais no 500X Sport, de série no Renegade Orange Edition), o diâmetro das rodas (pneu+jante) é maior no Renegade: 235/45 ZR19 contra as 225/40 ZR 19 do 500X Sport.

Fiat 500X Sport
“Inspirado” pelo pequeno 500, e de linhas a evocar tempos idos. Características que o demarcam da concorrência. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

As expetativas também foram “viradas do avesso” quando percebemos que o mais apurado 500X Sport é o que tem a direção mais leve. A diferença não é da noite para o dia, mas é claramente percetível.

As alterações operadas no chassis do 500X Sport não o transformam no derradeiro B-SUV para os entusiastas da condução, mas não desilude neste campo, sendo uma positiva evolução em relação aos outros 500X.

Jeep Renegade Orange Edition
Frente indiscutivelmente Jeep, a evocar o Wrangler, que por sua vez remete para o Willys MB original . © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

É certo que a combinação de rodas grandes, pneus de baixo perfil e taragem mais firme tornam-no mais agitado e nervoso no pisar — não deixa de ser confortável, equivalendo-se ao Renegade —, mas compensa com uma maior acutilância num encadeado de curvas.

Apesar do acerto mais macio do Renegade, o eixo dianteiro responde à mesma com prontidão e o adornar da carroçaria, apesar de mais acentuado, é relativamente contido. O maior peso da direção e a maior resistência que oferece, acabou por ajudar o Jeep Renegade em condução mais empenhada.

VÊ TAMBÉM: Kauai Hybrid ameaça Kauai Diesel. Ainda restam argumentos ao Diesel?

Diferentes, mas iguais?

O que se conclui é que, apesar das diferenças claras entre os dois, parece haver mais pontos a uni-los do que a separá-los — estava à espera de, por exemplo, uma maior diferenciação entre os dois no capítulo dinâmico. Ainda assim, há diferenças na forma como os percepcionamos, mesmo quando os conduzimos.

Quando aos comandos do Jeep Renegade temos a percepção de estar a conduzir um SUV… SUV — parece sempre mais… substancial —, enquanto no Fiat 500X Sport temos a percepção de estar a conduzir um automóvel mais convencional, menos aventureiro e mais citadino — nem a maior altura é assim tão perceptível ao volante.

Estas diferenças de percepção advém das escolhas de design nos dois modelos. As formas mais cúbicas no Renegade — à la Wrangler… —, os pilares mais verticais, e até a sua maior altura (exterior e interior), “transporta-nos” de forma mais evidente para o universo SUV, mesmo sabendo que esta versão Orange Edition, com as suas mega-rodas, gostam mais de asfalto do que de terra.

O resto do interior mantém essa percepção. As formas mais estilizadas do 500X Sport contrastam com o aspeto mais funcional do interior do Renegade. Parte da maior substância percebida traduz-se na prática: nenhum dos dois é referencial em montagem, mas foi o Renegade que melhor resistiu aos abusos dos paralelos de Lisboa, com menos “queixumes” dos plásticos do interior.

Fiat 500X Sport
Comandos logicamente arrumados e de fácil utilização no 500X. No entanto, o ecrã de info-entretenimento está numa posição mais elevada e recuada que obriga a esticar mais o braço do que o desejável quando temos de interagir com ele. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

As distintas escolhas no design do interior também acabam por dar alguma vantagem em usabilidade ao Renegade. Por exemplo, o ecrã de info-entretenimento está numa melhor posição do que no 500X. Apesar de ambos partilharem o competente UConnect, o interface é também mais intuitivo no modelo americano devido às escolhas gráficas — percebe-se, de forma mais clara, onde podemos ou não carregar.

Jeep Renegade
O ecrã de info-entretenimento do Renegade está numa posição mais acessível — mais baixo e próximo de nós. Destaque também para os enormes botões na consola central — revestidos a uma aderente borracha — que tanto facilitam o seu uso. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

O 500X Sport responde com um painel de bordo que, nesta versão em particular, é mais agradável ao olho, graças às aplicações em Alcantara e pele (opcional), e ao muito bom volante desportivo, mais satisfatório de pegar.

VÊ TAMBÉM: Gasolina vs GPL. Qual dos Dacia Duster é a melhor opção?

500X mais acessível de base, mas Renegade melhor equipado

De base, o Jeep Renegade Orange Edition é 1750 euros mais caro que o Fiat 500X Sport, mas compensa com uma maior dotação em equipamento. Por exemplo, os espelhos retrovisores rebatíveis eletricamente e os sensores de chuva/luz são de série no Renegade e opcionais no 500X Sport.

Fiat 500X Sport vs Jeep Renegade Orange Edition
Apesar do muito que os une, acabam por ser duas formas distintas de abordar o diversificado universo B-SUV. © Thom V. Esveld / Razão Automóvel

No entanto, o “nosso” 500X Sport equilibra os pratos da balança graças aos 2700 euros em opcionais que carregava — no Renegade apenas a pintura era opcional —, ainda que o seu preço de aquisição passe a ficar acima do Renegade por aproximadamente 500 euros.

O 500X Sport acaba por ser o mais interessante dos 500X até agora — está disponível com todas as motorizações da gama, Diesel incluído —, seja pelo aspeto ou pela dinâmica mais apurada. A “laranja” Orange Edition do Renegade aposta, por outro lado, só na diferenciação estética — está disponível igualmente na versão 1.0.

Fiat 500X Sport vs Jeep Renegade Orange Edition

O resultado deste comparativo acaba por ser um empate técnico, sendo que o grande diferenciador é mesmo o que se referiu no início. Como preferem o vosso SUV: mais próximo dos carros ou dos puros SUV?

Seja qual for a escolha, são dois modelos cujas suas qualidades vão muito além do estilo.

Comparativo

Frente a Frente

  • Versão base: € 27350
  • IUC: € 171.70
  • Classificação Euro NCAP:
  • Versão base: € 29100
  • IUC: € 171.70
  • Classificação Euro NCAP:
  • Motor
    • Arquitectura: 4 cil. em linha
    • Capacidade: 1332 cm3
    • Posição: Dianteira Transversal
    • Carregamento: Inj. Direta, Turbo, intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv./cil.
    • Potência: 150 cv às 5500 rpm
    • Binário: 270 Nm às 1850 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Automática (dupla embraiagem), 6 vel.
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento: 4269 mm
    • Largura: 1796 mm
    • Altura: 1595 mm
    • Distância entre eixos: 2570 mm
    • Bagageira: 350-1000 l
    • Jantes/Pneus: 225/40 ZR 19
    • Peso: 1395 kg
  • Consumos e desempenho (valores oficiais)
    • Consumo médio: 7,1 l/100 km
    • Emissões de CO2: 161 g/km
    • Vel. máxima: 200 km/h
    • Aceleração 0-100 km/h: 9,1s
  • Garantias e manutenção
    • Mecânica: 4 Anos sem limite de quilómetros
  • Motor
    • Arquitectura: 4 cil. em linha
    • Capacidade: 1332 cm3
    • Posição: Dianteira Transversal
    • Carregamento: Inj. Direta, Turbo, intercooler
    • Distribuição: 2 a.c.c., 4 válv./cil.
    • Potência: 150 cv às 5500 rpm
    • Binário: 270 Nm às 1850 rpm
  • Transmissão
    • Tracção: Dianteira
    • Caixa de velocidades: Automática (dupla embraiagem), 6 vel.
  • Capacidade e dimensões
    • Comprimento: 4236 mm
    • Largura: 1805 mm
    • Altura: 1667 mm
    • Distância entre eixos: 2570 mm
    • Bagageira: 351-1297 l
    • Jantes/Pneus: 235/45 ZR19
    • Peso: 1395 kg
  • Consumos e desempenho (valores oficiais)
    • Consumo médio: 7,2 l/100 km
    • Emissões de CO2: 162 g/km
    • Vel. máxima: 196 km/h
    • Aceleração 0-100 km/h: 9,4s
  • Garantias e manutenção
    • Mecânica: 4 Anos sem limite de quilómetros
  • Airbags Laterais F/T
  • Airbags Curtain
  • Alarme
  • Controlo de Pressão dos Pneus
  • Assistente de Ângulo Morto
  • Assistente de estrada
  • Avisos de Proximidade
  • Faróis Bixénon/LED
  • Head Up Display
  • Navegação
  • A/C Automático
  • Bancos em Pele
  • Conectividade para Smartphone
  • Transmissão automática
  • Cruise Control
  • Sensores de Luz/Chuva
  • Tecto de Abrir
  • Isofix
  • Pack Desportivo

Jantes em liga leve de 19" — 350 €; Pintura Pastel Vermelho Seduzione — 550 €; Pack Comfort Sport (Apoio de braços dianteiro; Terceiro apoio de cabeça traseiro; Cargo Box - Bagageira Multifuncional; Tapetes dianteiros e traseiros desportivos; Banco do condutor com regulação lombar elétrica; Ganchos para retenção de bagagem no interior da mala) — 400 €; Pack Magic Eye (Câmara de estacionamento traseira; Sensores de estacionamento dianteiros) — 350 €; Pack Bad S (Volante com inserções em Alcantara e Cobertura do painel de instrumentos em Alcantara; Pedais e apoio de pé desportivos em alumínio; Luz de cortesia; Luz ambiente) — 500 €; Keyless Entry & Keyless Go — 200 €; Sensores de Luz — 150 €; Sensores de chuva — 100 €; Comando Sequencial de Velocidades no Volante — 110 €;

  • Airbags Laterais F/T
  • Airbags Curtain
  • Alarme
  • Controlo de Pressão dos Pneus
  • Assistente de Ângulo Morto
  • Assistente de estrada
  • Avisos de Proximidade
  • Faróis Bixénon/LED
  • Head Up Display
  • Navegação
  • A/C Automático
  • Bancos em Pele
  • Conectividade para Smartphone
  • Transmissão automática
  • Cruise Control
  • Sensores de Luz/Chuva
  • Tecto de Abrir
  • Isofix
  • Pack Desportivo

Branco Alpine — 600 €;

  • Dispositivo de segurança: 7
  • Montagem e Pintura: 7
  • Bagageira: 7
  • Dispositivo de segurança: 6
  • Montagem e Pintura: 7
  • Bagageira: 7
  • Área: 7
  • Versatilidade: 7
  • Qualidade: 7
  • Equipamento: 8
  • Posição de Condução: 7
  • Isolamento de Som: 7
  • Área: 7
  • Versatilidade: 7
  • Qualidade: 8
  • Equipamento: 7
  • Posição de Condução: 7
  • Isolamento de Som: 7
  • Condução: 8
  • Conforto: 7
  • Comportamento: 8
  • Acelerações: 7
  • Recuperações: 7
  • Travões: 7
  • Condução: 8
  • Conforto: 7
  • Comportamento: 7
  • Acelerações: 7
  • Recuperações: 7
  • Travões: 7
  • Consumo: 5
  • Emissões Poluentes: 5
  • Garantias: 7
  • Manutenção: 7
  • Preço: 7
  • Consumo: 5
  • Emissões Poluentes: 5
  • Garantias: 7
  • Manutenção: 7
  • Preço: 6
Avaliação
7 / 10
7 / 10
Dois modelos com tanto a uni-los e pouco mais que o design a separá-los só podia dar origem a um empate técnico na maioria dos pontos de avaliação. No entanto, contas feitas, é o Fiat 500X Sport que sai como vencedor, por curta margem, neste duelo entre "irmãos", devido a uma melhor relação preço/equipamento, mesmo considerando que se tratam opcionais. Dinamicamente também leva vantagem, ainda que não haja muito a separá-los. Num segmento onde a imagem vende, este é um dos grandes trunfos de ambos, destacando-se num parque automóvel cheio de propostas «cinzentas». Fora os elevados consumos, é o equilíbrio de características que apresentam que os definem — podem não ser referenciais em nenhum ponto, mas também não comprometem em nenhuma área em particular.
  • Motor enérgico (como no Renegade)
  • Equipamento
  • Comportamento eficaz e capaz de entreter
  • Volante de excelente pega e tato
  • Consumos elevados
  • Podia ser mais "Sport"
  • Falta apoio lateral aos bancos (como no Renegade)
  • Binómio conforto/comportamento
  • Tem mais espaço atrás
  • Info-entretenimento mais intuitivo de usar
  • Montagem mais robusta
  • Consumos elevados
  • Forma como lida com Irregularidades mais abruptas
  • Caixa podia ser mais rápida (como no 500X)

Mais artigos em Testes, Comparativo