Mercado

Afinal porque é que se vendem tantos “SUV-Coupé”?

Fundado pelo BMW X6, o segmento dos SUV-Coupé não pára de crescer, mas porquê? Um investigador de mercado da Strategic Vision explica.

Começou por apenas contar com o BMW X6, mas o seu sucesso — superou até as expetativas mais otimistas, de acordo com a marca — fez com que, em poucos anos, o segmento dos SUV-Coupé visse as propostas multiplicarem-se com a chegada de propostas da Mercedes-Benz, Audi e até da SkodaRenault.

Mas quais as razões por detrás do sucesso deste formato de carroçaria que conjuga dois conceitos tão díspares como a desportividade associada a um coupé e a versatilidade de um SUV?

Para descobrir, os nossos colegas da Autoblog questionaram Alexander Edwards, presidente da Strategic Vision, uma empresa de consultoria automóvel.

VÊ TAMBÉM: Já sabemos porque os SUV e Crossover vendem tanto…

O perfil do comprador

Segundo a Strategic Vision há motivos demográficos e psicológicos e Alexander Edwards usa o caso da Mercedes-Benz como exemplo que tem nos GLC Coupé e GLE Coupé as suas propostas neste nicho.

De acordo com este, os compradores dos SUV-Coupé da marca alemã são, em média, quatro a cinco anos mais novos que o cliente típico de um SUV similar.

Para além disto, de acordo com o analista, são indivíduos muito preocupados com a imagem, menos interessados no fator preço e gostam da ideia de adquirir um modelo com um formato que não esteja tão disseminado.

Acerca disto, Alexander Edwards afirma que estes clientes “veem o carro como uma extensão deles próprios (…) Para além de quererem que o carro os represente a eles, querem que este seja também sinónimo do seu sucesso”.

VÊ TAMBÉM: Ainda te lembras dos pequenos coupé dos anos 90?

As razões por detrás da aposta das marcas

Tendo em conta o perfil do típico comprador dos SUV-Coupé (pelo menos no caso da Mercedes-Benz), não é de estranhar que as marcas continuem a apostar neste formato.

Apelam a uma faixa etária mais jovem, o que ajuda a incrementar a visibilidade e imagem de marca nessas camadas. Para além disso, e como refere Alexander Edwards, o facto de os seus compradores serem menos “sensíveis” ao preço pedido — regra geral, mais elevado alguns milhares de euros em relação aos SUV correspondentes de formato convencional —, permite às marcas o benefício de uma maior rentabilidade por unidade vendida.

Fonte: Autoblog


A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Sabes responder a esta?
Qual era a potência do Peugeot 505 Dangel 4x4?
Não acertaste.

Mas podes descobrir a resposta aqui:

Lembras-te deste? Peugeot 505 Dangel 4×4 para todo o terreno

Mais artigos em Notícias