Apresentação

Novo Peugeot 2008. És mesmo tu? Estás tão diferente

O novo Peugeot 2008 representa um salto tão grande para o antecessor como aquele que vimos no novo 208. Receita condenada ao sucesso?

O Peugeot 2008 é um dos SUV compactos mais vendidos da Europa, mas para manter esse estatuto, ou até, quem sabe, ameaçar a liderança do arquirrival Renault Captur — conhece também uma nova geração este ano —, não pode baixar os braços.

E ao observar estas primeiras imagens, a Peugeot não deixou os seus créditos por mãos alheias — tal como o novo 208 representa um salto considerável relativamente ao antecessor, o novo 2008 reinventa-se com novas proporções — mais comprido, largo e baixo — e um estilo bastante mais expressivo.

Parece ser o resultado de uma noite tórrida entre o 3008 e o novo 208, adicionando detalhes novos, e assumindo uma postura bem mais dinâmica, até agressiva, distanciando-se bastante da primeira geração — aqui é, sem dúvida, mais revolução que tímida evolução…

RELACIONADO: Vídeo. Peugeot 208, o novo rei do segmento?
Peugeot 2008, Peugeot e-2008

Felizmente as novidades não se ficam pelo novo visual, com o novo Peugeot 2008 a trazer mais e novos argumentos para o super-competitivo segmento dos SUV compactos. Vamos conhecê-los…

Maior, bem maior

Assente sobre a CMP, a plataforma estreada pelo DS 3 Crossback e também usada pelos novos 208 e Opel Corsa, o novo Peugeot 2008 cresce em todas as direções à exceção da altura (-3 cm, ficando-se pelo 1,54 m). E não cresce pouco — o comprimento aumenta uns significativos 15 cm, atingindo os 4,30 m, a distância entre eixos cresce 7 cm, atingindo os 2,60 m, e a largura é agora de 1,77 m, mais 3 cm.

Dimensões que o colocam bem mais perto do segmento acima, uma medida necessária para garantir espaço para o futuro 1008, que será o mais pequeno crossover da marca do leão, com um comprimento a rondar os 4 m, e que deveremos conhecer talvez ainda em 2020 — se os rumores se confirmarem…

Expetavelmente, as maiores dimensões exteriores refletem-se no interior com a Peugeot a reclamar o 2008 como o mais espaçoso dos modelos assentes sobre a CMP. Ou seja, promete o melhor de dois mundos; um estilo dinâmico e distinto, mas sem sacrificar o papel de (já não tão) pequeno familiar, bem pelo contrário — a bagageira, por exemplo, deu um salto de quase 100 l na sua capacidade, atingindo os 434 l.

Gasolina, gasóleo e… elétrico

O Peugeot 2008 replica a mesma diversidade de motorizações do 208, ao surgir com três motorizações a gasolina, duas Diesel e também uma variante 100% elétrica, denominada e-2008.

A gasolina encontramos apenas um bloco, o tri-cilíndrico 1.2 PureTech, em três patamares de potência: 100 cv, 130 cv e 155 cv, este último exclusivo do 2008 GT. Situação quase idêntica para as motorizações a gasóleo, onde o bloco 1.5 BlueHDi surge em duas variantes, com 100 cv e 130 cv.

Peugeot 2008

Duas são também as transmissões disponíveis. Uma caixa manual de seis velocidades surge associada ao 1.2 PureTech 100, 1.2 PureTech 130 e 1.5 BlueHDi 100; com a segunda opção a estar na caixa automática de oito velocidades (EAT8), associada ao 1.2 PureTech 130, 1.2 PureTech 155 e ao 1.5 BlueHDi 130.

VÊ TAMBÉM: Diesel ainda compensa? Teste completo ao Peugeot 308 SW 1.5 BlueHDi

Relativamente ao e-2008, apesar de inédito, as especificações não são novidade, pois são exatamente as mesmas que já vimos no e-208, Corsa-e e também no DS 3 Crossback E-TENSE.

Ou seja, o motor elétrico debita os mesmos 136 cv e 260 Nm, e a capacidade do pack de baterias (8 anos de garantia ou 160 000 km para um funcionamento acima dos 70%) mantém os mesmos 50 kWh. A autonomia é de 310 km, menos 30 km que o e-208, justificada pela diferença de tamanho e massa entre os dois veículos.

e-2008, tratamento especial

Tal é a especificidade do e-2008, que faz com que possua e integre um conjunto de características e serviços que não encontramos nos 2008 com motor de combustão.

VÊ TAMBÉM: DS 3 Crossback em vídeo. Gasolina e protótipo 100% elétrico testados!

O e-2008, tal como o e-208, promete elevados níveis de conforto térmico, ao incluir um motor de 5 kW, uma bomba de calor, bancos aquecidos (dependendo da versão), tudo isto sem prejuízo da autonomia da bateria. Entre as funcionalidades, permite, por exemplo, aquecer a bateria enquanto está a ser carregada, otimizando o seu funcionamento em condições de muito frio, com o carregamento a poder ser programado à distância através de uma aplicação para smartphone.

 

O e-2008 disponibiliza também um conjunto de serviços adicionais, como o Easy-Charge — instalação de Wallbox em casa ou no trabalho e passe de acesso aos 85 000 postos da Free2Move (propriedade da PSA) —, e o Easy-Move — ferramenta para planear e organizar viagens longas via a Free2Move Services, propondo os melhores percursos tendo em conta a autonomia, localização de pontos de recarga, entre outros.

i-Cockpit 3D

O interior acompanha o exterior, como um dos mais expressivos e distintos que podemos encontrar na indústria, sendo já uma das imagens de marca da Peugeot.

O novo Peugeot 2008 integra a mais recente iteração do i-Cockpit, o i-Cockpit 3D, estreado pelo novo 208. Mantém muitas das características que já conhecíamos de outros Peugeot — volante de pequenas dimensões e painel de instrumentos em posição sobreelevada —, com a novidade a estar no novo painel de instrumentos digital. Este passa a ser 3D, projetando a informação como se tratasse de um holograma, hierarquizando as informações de acordo com a sua importância, aproximando-a ou afastando-a do nosso olhar.

Peugeot 2008
Peugeot 2008

Tal como no 208, o sistema de info-entretenimento é composto por um ecrã tátil de até 10″, suportado por teclas de atalho. Entre as várias funcionalidades, poderemos encontrar um sistema de navegação 3D da TomTom, MirrorLink, Apple CarPlay e Android Auto.

VÊ TAMBÉM: Testámos a Peugeot 508 SW 1.5 BlueHDI. A motorização que mais vai vender?

Arsenal tecnológico

Drive Assist com cruise control adaptativo com função Stop&Go quando associado à EAT8, e sistema de alerta de saída de faixa de rodagem, aproximam o novo Peugeot 2008 da condução semi-autónoma. Não se fica por aqui, com o cardápio a incluir assistente de estacionamento, máximos automáticos, entre outros.

No interior também podemos encontrar carregamento por indução do smartphone e até quatro entradas USB, duas na dianteira, uma das quais USB-C, e duas atrás.

Quando chega?

A apresentação oficial ocorrerá ainda este ano, com a comercialização a iniciar-se ainda no final de 2019 em alguns mercados. Em Portugal, no entanto, teremos de esperar pelo primeiro trimestre de 2020 — preços e data de comercialização mais precisa só mais tarde.

VÊ TAMBÉM: Já conduzimos o Peugeot 508 Hybrid, o primeiro “plug-in” da PSA

Mais artigos em Notícias

Os mais vistos