Concept

BMW Vision iNEXT. O futuro de acordo com a BMW

O BMW Vision iNEXT revela o futuro da marca bávara, com forte aposta na condução autónoma, mobilidade elétrica e conectividade. Dele derivará também um modelo de produção.

O BMW Vision iNext não é apenas mais um concept. Não só serve de concentrado tecnológico nas áreas que alterarão a indústria para sempre — condução autónoma, mobilidade elétrica, conectividade — como antevê um novo modelo a ser lançado em 2021.

O concentrado tecnológico é elevado, mas o formato do Vision iNext revela um SUV — tipologia que promete continuar a ter excelente aceitação comercial durante os próximos anos —, com dimensões semelhantes a um X5, destacando-se a reinterpretação do duplo rim característico da marca, com os “rins” unidos, como no concept iVision Dynamics apresentado há um ano.

Ao ser 100% elétrico, o duplo rim deixa de assumir o seu papel como entrada de ar, e passa a ser tapado, integrando uma série de sensores necessários à condução autónoma.

BMW Vision iNEXT
RELACIONADO: BMW iX3 Concept desvendado em Pequim com 400 km de autonomia

Foram reveladas muito poucas especificações técnicas. Sabemos apenas que teremos à nossa disposição a 5ª geração do grupo propulsor elétrico da BMW, que será estreado em 2020 pelo iX3, a variante elétrica do atual X3. No Vision iNext, foram avançados 600 km de autonomia e apenas 4,0s para atingir os 100 km/h.

A BMW i existe para gerar ideias pioneiras e criativas que transformam o modo como pensamos em mobilidade. O BMW Vision iNEXT é mais um largo passo nessa viagem de transformação, mostrando como os veículos podem ser mais inteligentes em tornar as nossas vidas mais fáceis e mais bonitas.

Adrian van Hooydonk, Vice Presidente Sénior do BMW Group Design
BMW Vision iNEXT

Boost e Ease

O BMW Vision iNext não terá ainda nível 5, mas ficar-se-á pelo nível 3 de condução autónoma, que já permite funções avançadas de condução autónoma em auto-estrada (até 130 km/h) ou numa situação de emergência (consegue encostar à berma e parar), mas obriga à atenção permanente do condutor, que pode necessitar de recuperar rapidamente o controlo do veículo.

RELACIONADO: Conhece todos os níveis da condução autónoma

Tendo em conta essa dualidade, o Vision iNext apresenta-se com dois modos de uso, denominados Boost e Ease, ou seja, ou conduzimos ou somos conduzidos, respetivamente.

No modo Boost, os ecrãs orientados em direção ao condutor disponibilizam informação relativa à condução (como em qualquer automóvel). No modo Ease, o volante recolhe, os ecrãs passam a dispor de outro tipo de informação, a que a marca se refere como modo Exploration — sugere locais e eventos na área circundante —, e até os encostos de cabeça dos bancos dianteiros recolhem para facilitar a comunicação entre os ocupantes dianteiros e traseiros.

Habitáculo ou sala de estar?

É uma tendência que ganhará momento durante a próxima década, com a introdução inevitável de veículos cada vez mais autónomos. O interior dos automóveis evoluirá e assemelhar-se-á cada vez mais a uma sala de estar rolante — podendo ser um espaço de relaxamento, entretenimento ou concentração —, e o Vision iNext não foge à regra.

BMW Vision iNEXT

O generoso teto panorâmico permite banhar o interior de luz, onde nos vemos rodeados de materiais como tecidos e madeira — repare-se na consola central… ou será mesa de apoio? Parece mesmo uma peça de mobiliário. A contribuir para a percepção de estarmos numa sala ou num lounge, o formato e materiais do banco traseiro, que se estende pelas laterais.

Onde estão os botões?

Com tanta tecnologia integrada no BMW Vision iNext, o interior é notável por não ter comandos ou áreas de controlo visíveis, excetuando os que encontramos diretamente à frente do condutor. Tudo para não distrair ou perturbar os seus ocupantes, preservando a perceção de se estar num lounge ou sala de estar.

BMW Vision iNEXT
Shy Tech “esconde” habilmente a tecnologia, e permite que mesmo superfícies em tecido ou madeira possam ser interativas

A tecnologia torna-se “visível” apenas quando a requeremos, pelo que a BMW denominou-a, não sem alguma ironia, de Shy Tech, ou tecnologia tímida. Basicamente, em vez de botões ou ecrãs táteis espalhados pelo interior, a marca alemã recorre a um sistema de projeção inteligente que tem o poder de tornar qualquer superfície numa área interativa, seja tecido ou madeira. A Shy Tech divide-se em três aplicações distintas:

  • Intelligent Personal Assistant — essencialmente permite comunicar via voz com o veículo, após darmos o comando “Hey, BMW” (onde é que já vimos isto?). Ao estar totalmente integrado com o universo digital, interligado com o BMW Connected, dispositivos e até casas inteligentes, permite até fechar as janelas da nossa casa recorrendo apenas e só à nossa voz.
  • Intelligent Materials — Em vez de usarmos um ecrã tátil para operar todos os comandos, no modo Ease, podemos simplesmente recorrer à consola central… em madeira. Os gestos da mão e braço são meticulosamente seguidos por pontos de luz. Atrás, o mesmo tipo de solução, mas usando o tecido presente no banco, ativado com o toque de um dedo, e usando gestos para controlar todos os comandos, que podem ser visualizados através de LED por baixo do tecido.
  • Intelligent Beam — é um sistema de projeção que permite visualizar informação (desde texto a imagens) em qualquer superfície, sendo também interativo. Poderá significar, a longo prazo, o fim dos ecrãs?
RELACIONADO: Mini Electric Concept revela futuro da marca

Antes do iNext Vision chegar…

… a BMW já terá no mercado dois novos veículos 100% elétricos. O Mini Electric, antecipado pelo concept homónimo o ano passado, chegará até nós em 2019; e o já mencionado BMW iX3, também revelado, para já, como protótipo, no último Salão de Pequim.

Mais artigos em Notícias