10 modelos desenhados pela Pininfarina que não são Ferrari

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Design

10 modelos desenhados pela Pininfarina que não são Ferrari

A Pininfarina, a referencial casa italiana de design automóvel, nascida em 1930, é conhecida, sobretudo, pelos Ferrari que desenhou. Mas fez muito mais…

Infelizmente, já durante este século, vimos a Pininfarina perder alguns dos maiores clientes — mesmo a Ferrari passou a desenhar os seus modelos internamente —, a sua capacidade produtiva encontrava-se também suspensa ou sub-aproveitada, resultando num agravamento das suas finanças.

Face a este cenário, não restou outra alternativa à Pincar (empresa detentora da Pininfarina) senão alienar o capital ao gigante indiano Mahindra & Mahindra, um dos maiores produtores indianos de automóveis, camiões, máquinas e motociclos.

A Pininfarina como estúdio de design ainda existe e ainda trabalha para a indústria automóvel — têm sido bastante requisitados pela vietnamita VinFast, por exemplo —, e agora também temos a Pininfarina Automobili, uma nova marca automóvel que, por agora, tem apenas o hipercarro elétrico Battista em catálogo.

Contudo, é o seu passado que hoje recordamos, tendo-nos deixado um vasto portefólio que não conta só com modelos Ferrari — na realidade, podemos ver a marca Pininfarina em inúmeras outras marcas e muitos mais modelos.

Deixamos uma pequena amostra da sua extensa obra.

Alfa Romeo GTV

Alfa romeo GTV

O regresso do GTV na década de 90 inspirou-se no concept 164 Proteo, com o modelo de produção a assentar sobre a plataforma Tipo 2 do Grupo Fiat, a mesma que servia de base ao Fiat Tipo, Alfa Romeo 145 ou o Coupé Fiat.

VEJAM TAMBÉM: Alfa Romeo “invade” o maior encontro de fãs e donos de BMW

Ainda hoje, as linhas da Pininfarina permanecem distintas, apesar de estarem longe de ser consensuais como seria de esperar, tendo em conta as reações de quando foi lançado. Além do GTV, as mesmas linhas dariam origem ao Spider.

Alfa Romeo Spider

Alfa Romeo Spider

Uma das obras maiores da casa da Pininfarina, o Alfa Romeo Spider manteve-se quase três décadas (1966-1994) em produção, sofrendo várias atualizações, sem nunca desvirtuar as linhas mestras do original.

TÊM DE VER: Este podia ser o 156 GTAm que a Alfa Romeo nunca nos deu

Cisitalia 202

Cisitalia 202

O Cisitalia 202, revelado em 1947 e do qual foram produzidos muito poucos exemplares é provavelmente desconhecido de muitos, mas é um marco na história do design automóvel.

Porquê? Ao fundir o que eram habitualmente três volumes separados — capô e os dois guarda-lamas — num volume único e ininterrupto, passou a ser a bitola pelo qual todos os outros se guiariam. Os seus volumes e proporções seriam também a base para definir o desenho de muitos dos coupés durante as duas décadas seguintes.

A sua significância seria reconhecida pelo MoMa, o museu de arte moderna de Nova Iorque (EUA), que adquiriu um exemplar que se encontra em exposição permanente

Fiat 124 Spider

Fiat 124 Spider

O novo Fiat 124 Spider é um apelo ao revivalismo. Derivado do Mazda MX-5, o roadster de tração traseira recupera o as linhas mestras do 124 Spider da década de 60.

TÊM DE VER: Testámos TODOS os Abarth da atualidade em pista

Contudo, não tem a mesma «pinta» que o modelo original, desenhado pela Pininfarina e que conheceu um enorme sucesso, fosse comercial (sobretudo nos EUA), fosse na competição como Fiat 124 Abarth Rally.

Lancia Aurelia Spider

Lancia Aurelia Spider

Na verdade, foi a empresa italiana de design automóvel Ghia que ficou responsável pelo desenho do Lancia Aurelia.

VEJAM TAMBÉM: Davam quase 10 mil euros por este Lancia Prisma? Vejam as imagens

A oportunidade de criar uma versão Spider por sua vez, foi dada de «mão beijada» à Pininfarina, tornando-se rapidamente na mais desejada de todos os Aurelia.

Lancia Flaminia

Lancia Flaminia

Desenvolvido sobre a mesma base do Lancia Aurelia, o seu antecessor, o design deste Lancia Flaminia foi concebido integralmente pela Pininfarina, que provou que as berlinas podem ser tão ou mais bonitas que os modelos coupé.

Maserati GranTurismo

maserati granturismo

O Maserati GranTurismo é um automóvel claramente orgulhoso das suas origens: estúdios de Pininfarina.

VEJAM TAMBÉM: GranTurismo Folgore. Mais de 1200 cv para o primeiro elétrico da Maserati

Há carros que não precisam de ser os mais rápidos, nem os mais potentes, nem tão pouco os mais confortáveis para conquistarem um lugar na nossa garagem de sonho.

MGB GT

MG MGB GT

A britânica MG fez um excelente trabalho na conceção dos modelos MGB. Mas, quando a marca pensou em criar um modelo com tejadilho tradicional ao invés da lona ou do hard top que caracteriza os MG, decidiu recorrer à Pininfarina.

Esta parceria resultou num inovador hatchback prático e com bastante estilo, não fosse ele um carro britânico.

Nash-Healey Roadster

Nash-Healey Roadster

Após a Segunda Guerra Mundial, os carros desportivos começaram a ser uma tendência nos EUA e como a Nash não queria ficar de fora, criou o seu próprio modelo: o Nash-Healey.

Apesar de apenas ser comercializado no continente norte-americano, o carro conta com design de origem italiana — leia-se Pininfarina — e engenharia britânica, proveniente da Healey Motor Company.

Peugeot 406 Coupe

Peugeot 406 Coupe

A ligação entre a Peugeot e a Pininfarina prolongou-se por décadas e décadas, mas o elegante 406 Coupé é, talvez, o seu expoente máximo. Mostrou que faltava «qualquer coisa» ao 406 berlina… o toque italiano da Pininfarina.

VEJAM TAMBÉM: E dura, dura, dura… o Peugeot 405 continua a ser produzido

Curiosidade: o desenho do 406 Coupé derivou de uma proposta da Pininfarina para o… Coupé Fiat, que foi rejeitada.

Mais artigos em Clássicos