Vectorização de Binário: tração à la carte

19/06/2014
1.022 views
Share Button

Funcionamento do TV da Ricardo na Audi:

Vantagens face aos diferenciais autoblocantes:

Com as recentes inovações tecnológicas introduzidas nos sistemas de vectorização de binário, os diferenciais autoblocantes tornam-se cada vez menos utilizados , com uma menor capacidade de resposta, maior peso do conjunto, penalização dos consumos e acima de tudo têm a limitação de apenas conseguirem fazer a variação de tração entre rodas, apenas quando uma das rodas tem rotação excessiva face à outra, fazendo com que o excesso de rotação force a embraiagem interna do LSD e do conjunto de molas, a fricção entre estes 2 componentes determina a repartição de binário entre as 2 rodas para que girem em condições iguais.

Formas de vectorização de binário?

Os diferenciais autoblocantes que podem ser de 3 tipos; os de 1via, 1,5vias e de 2vias, ou seja os diferenciais autoblocantes tanto funcionam apenas em aceleração 1via, como em aceleração e metade em desaceleração 1,5vias, ou então em aceleração e desaceleração 2vias, enquanto, os diferenciais autoblocantes se asseguram que as rodas recebem marginalmente 50% da tração, impedindo assim a rotação excessiva de uma das rodas sem tração, os sistemas de vectorização de binário também conseguem atuar tanto na aceleração como na desaceleração, mas com a vantagem de variarem ou até cortarem por completo o binário fornecido à roda com excesso de rotação.

Tem no ADN a paixão por automóveis, ainda no ventre materno já gostava de andar de carro. Atingiu na formação como mecânico de automóveis o nirvana do viver e respirar técnica automóvel. Define-se como um Gearhead/Petrolhead e tem a condução como o seu Elixir de Vida.