Despedimo-nos do Aventador a recordar o Lamborghini Murciélago

Estamos a guardar energia para o que mais importa.

Superdesportivos

Despedimo-nos do Aventador a recordar o Lamborghini Murciélago

O lendário Murciélago foi apresentado em 2001 com a missão de trazer o icónico V12 da Lamborghini para o século XXI.

A Lamborghini anunciou o fim da produção do Aventador e com ele despediu-se dos V12 naturalmente aspirados e sem qualquer tipo de eletrificação. E esta foi a desculpa perfeita para revisitarmos o primeiro modelo com motor V12 que a marca italiana apresentou no século XXI, o lendário Lamborghini Murciélago.

Revelado ao mundo no Salão Automóvel de Frankfurt de 2001, o Murciélago — que é o antecessor espiritual do Aventador — nasceu para render o Diablo e para trazer o 12 cilindros da “casa” de Sant’Agata Bolognese para o novo século.

E foi muito bem-sucedido nessa “missão”. Na sua estreia o V12 de 6,2 litros era capaz de atingir os 580 cv, mas durante o seu período de vida (entre 2001 e 2011) no Murciélago evoluiu muito e chegou mesmo a ser “puxado” até aos 670 cv.

A NÃO PERDER: Escapes falsos no Lamborghini Miura? Sim, é verdade
Lamborghini Murciélago motor V12
Este é o “coração” do Murciélago, um V12 naturalmente aspirado que começou por ter 6,2 litros e 580 cv e acabou a sua carreira com 6,5 litros e 670 cv.

Qual a origem do nome Murciélago?

Mas vamos por partes. Primeiro importa olhar para o nome Murciélago (“morcego” em espanhol), que, tal como sempre acontece nos modelos da “Lambo”, tem origem no mundo da tauromaquia.

Reza a lenda — e conta a Lamborghini — que um touro com este nome foi oferecido a Don Antonio Miura e que foi a partir desse animal que o conhecido ganadeiro deu início à criação dos touros Miura.

Murciélago

Começou com 580 cv e “subiu” até aos 670 cv

Explicada que está a origem do nome, importa olhar novamente para a versão original do Murciélago, com 580 cv, que anunciava uma velocidade máxima de 330 km/h e um sprint dos 0 aos 100 km/h de 3,8s.

LEIAM TAMBÉM: CEO da Lamborghini: “Eletrificação mais do que uma opção é uma necessidade ditada pela legislação”

Esta configuração mecânica foi oferecida até 2007 (nas versões coupé e roadster), altura em que ficámos a conhecer a segunda geração do Murciélago, formalmente denominada de Murciélago LP 640-4.

Lamborghini Murciélago V12
Os anos passam mas as linhas do Murciélago continuam a não passar despercebidas. Não concordam?

Tal como o nome sugere, a segunda geração do modelo oferecia o motor V12 de 6,2 litros com 640 cv e manteve-se disponível até 2010, ano em que surgiu em cena o Murciélago LP 650-4 Roadster, com capota de lona manual e um V12 de 6,5 litros que produzia 650 cv.

Nessa mesma altura também ficámos a conhecer o expoente máximo do Lamborghini Murciélago, que chegou com a versão 670-4 SV (Super Veloce) cm 670 cv, uma velocidade máxima de 341 km/h e 100 kg mais leve, graças ao recurso intensivo à fibra de carbono.

O último com motor V12 a ter caixa manual

Comum a todas as versões do Murciélago era o sistema de quatro rodas motrizes (herdado do Diablo) e a caixa manual de seis velocidades, ainda que mais tarde a gama tenha sido complementada com uma transmissão eletrónica automatizada com patilhas montadas atrás do volante. Porém, este foi o último Lamborghini com motor V12 a ser proposto com uma transmissão manual.

A NÃO PERDER: Lamborghini vê combustíveis sintéticos como alternativa aos elétricos

Ao longo dos 10 anos em que esteve à venda foram produzidos 4099 exemplares do Murciélago, que conheceu várias edições especiais, como a LP 640 Versace, e até recebeu uma variante para o Campeonato do Mundo de GT, a R-GT.

 

Recorde de velocidade em Nardò

Mas um dos episódios mais importantes desta longa carreira teve lugar em fevereiro de 2002, quando a Lamborghini levou um Murciélago para a pista de testes de Nardò, em Itália, para tentar bater o recorde do mundo de velocidade para um automóvel de produção em série.

Com o piloto de testes Giorgio Sanna (hoje em dia é o “patrão” da Lamborghini Squadra Corse) ao volante, o Murciélago percorreu um total de 305,048 km numa hora, sendo que na volta mais rápida alcançou uma velocidade média de 325,98 km/h. A somar a isso, os recordes de 100 km e de 100 milhas também foram batidos.

Lambo Murciélago traseira

Aventador, o senhor que se seguiu

Como começámos por escrever no início deste artigo, o Murciélago foi sucedido pelo Aventador, que agora termina a sua carreira, com 11 465 unidades produzidas ao longo de 11 anos, tornando-se assim no Lamborghini com motor V12 mais vendido de sempre.

Aliás, o sucesso comercial do Aventador foi tão grande que em apenas cinco anos conseguiu ultrapassar o registo de vendas do Murciélago.

LEIAM TAMBÉM: Lamborghini Huracán STO. «Pilotámos» em circuito o mais radical dos Huracán

Agora resta-nos saber qual o “senhor” que se segue, com a certeza de que o tradicional V12 da “casa” de Sant’Agata Bolognese vai render-se à eletrificação.

Sabe responder a esta?
Em que ano foi revelado o Lamborghini LM002?
Não acertou..

Mas pode descobrir a resposta aqui::

Lamborghini LM002. O «touro indomável» de Sant’Agata Bolognese

Mais artigos em Clássicos